Titular: Helio Fernandes

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

LULA FALA DO SEU NOVO TRONO, A ABI. O PRESIDENTE DESSE CARGO DEVERIA SER ENQUADRADO NO IMPEACHMENT. TODOS QUEREM DERRUBAR (OU ROUBAR) A PETROBRAS, SALVAR AS EMPREITEIRAS CORRUPTAS.

HELIO FERNANDES
26.02.15

Politicamente o Rio de Janeiro nunca teve tanto poder. Eduardo Cunha, presidente da Câmara, encantado com o cargo, mas empolgado com o futuro. (Por isso já exige que o governo tome posição em relação ás arbitrariedades na Venezuela. A posição é correta, mas presidentes da Câmara jamais se preocuparam com assuntos externos).

Picciani, líder (?) do PMDB nacional. Agora para a CPI da Petrobrás. Cunha “trabalhou” o nome de Luiz Sergio, do PT, para relator. Depois de muita briga, foi referendado por causa do apoio de Cunha. Se não fosse isso, podia ser indicado mas não escolhido.

Como é impossível manter certas coisas em sigilo, foi acusado de ter feito acordo para que o relator fosse do PT, colocou um nome do Rio. Revoltado com a acusação, respondeu; “Não faço acordo nenhum”.

Mas ficou provado que faz, não é tão inatingível quanto pensa (?). Ficou de mau humor o dia todo. Só melhorou quando voltou para a bela residência privativa. Para quem morou anos em hotel de “lobistas”, que maravilha viver.

A propósito da Petrobrás: a Moodys finalmente fez o que pretendia fazer há muito tempo. Retirou da empresa todos os pontos positivos, acentuou os negativos. A empresa não é mais “investimento seguro”, passou á consideração de “aplicação especulativa”.

Citou como ponto preponderante, a corrupção. Mas sabendo muito bem o que fazia e fez, tinha certeza de que o chamado descrédito da empresa  é uma consequência provada e comprovada da roubalheira das empreiteiras, “associadas” com diretores da empresa, mais audaciosos por causa da omissão de Dilma e Lula.

A Moodys acertou na classificação, “aplicação especulativa”. Mas errou completamente o alvo. Devia ter punido os órgãos (SEC) que controlam Wall Street, os do Brasil, (CVM) que comandam a Bovespa. Os dirigentes desses órgãos e a própria Moodys, sabem que existe colossal “operação especulativa” com papéis da Petrobrás. Uma ação não pode subir 10 por cento num dia e no outro subir outros 10 por cento, e assim alternada e sucessivamente.

Uma ação da Petrobrás já valeu 72 dólares em Wall Street, hoje oscila entre 5 e 7. No Brasil seu valor começou com 43 reais, derrubaram agora, ESPECULAM entre 8 e 10 reais. Qual “pequeno investidor”. (o verdadeiro), teria poder de fogo para fazer esses estragos?
Tentando diminuir o impacto do “rebaixamento”, a própria Moodys explicou: “A punição da Petrobrás não atinge o país”. Não sabe das coisas. A Petrobrás não é uma empresa qualquer, mesmo de petróleo. Quase 100 mil empresas dos mais variados setores, dependem dela.

Logo depois, “alarmistas especulativos”, soltavam dois comunicados, que podiam ser boato ou não. 1 – A Fitch vai rebaixar também a nota da Petrobrás. 2 – A própria Moodys, utilizará outro recurso para reduzir ainda mais o conceito da maior empresa brasileira.

O PT controla a ABI.

Foi marcado movimento de trabalhadores da Petrobrás, (os petroleiros) em protesto contra os que derrubam a empresa mas são salvos por órgãos do governo. Comandados pelo Planalto, e alimentados por Luiz Inacio Adams, (Advogado Geral da União) tentam salvar as 23 empreiteiras corruptas-corruptoras-que-montaramn-quadrilha-enorme-para-assaltar-a-Petrobrás.

O encontro foi marcado para a ABI, agora controlada, liderada e dominada pelo PT. Mas o PT está tão dividido, que ninguém tinha a menor ideia, que o próprio Lula fosse comparecer. Foi, deu as ordens dentro da ABI, deixou que os manifestantes e militantes do próprio partido, fossem hostilizados pelos que "querem o impeachment". Lula comandou bobagens inacreditáveis, só favoreceu os que acreditam que o impeachment já é realidade.

Lula: desafios vazios.

O que disse o ex-presidente, levianamente. 1-Dilma tem que levantar a cabeça. (Quer dizer que está de cabeça baixa). 2-"Posso usar os sem terra". 3- "Quero paz e democracia, mas os que combatem o governo, não querem". 4-"Nós sabemos BRIGAR também, e não recuaremos". 5-"Vocês vão saber o que é BRIGA boa, quando o Stedile colocar o exército dele nas ruas".

Perguntinha inócua, inútil, inoperante: "O Lula que circula entre seu Instituto e Brasília, veio ao Rio ficando horas no seu novo feudo, a ABI".

Ficou 8 anos presidente, não fez um milímetro para que a indispensável reforma agrária progredisse e se transformasse em realidade. Agora bajula o movimento dos sem terra. Cada vez fica mais visível a razão do afastamento de Dilma do ex-presidente. É que ela está desesperada e de "cabeça baixa", mas Lula arrogante, mais desesperado do que ela, vê desaparecer a chance de "Voltar em 2018". Não "voltou" antes, está ficando cada vez mais longe.

Respostas.

Coutinho quer saber quanto tempo os jornais e as revistas (semanais) continuarão chegando ás bancas. Até onde a vista alcança, para sempre. Pelo menos nos próximos 50 anos, sem o menor risco de erro. Os jornais serão localizados, até isolados, mas não. Isso já vem acontecendo. De Santa Catarina para "cima", não recebem jornais do Rio, São Paulo e Minas. Os antigos Territórios hoje estados, idem, idem.

Antigamente não era nem raro as pessoas lerem até 3 jornais, hoje assinam ou compram 1 as vezes 2. Contribuiu para isso também a falta de tempo, a vida ficou muito mais curta, o transporte com dezenas de anos de atraso rouba espaço da atividade de todos.

A tecnologia avançou de forma dinâmica, criou enorme mobilidade da comunicação mas a internet, os sites, redes sociais são controlados pelos donos dos jornais. Então, nas grandes cidades, existirão 1 ou 2 jornais, e digamos 1 chamado de "tabloide de escândalo" mas vende mais de 1 milhão por dia.

O problema era o faturamento, o poderoso "New York Times", chegou a ficar em situação difícil. Descobriu a solução salvadora: "Cada cidadão que comprar um exemplar do jornal, poderá acessar a internet de graça". Começou a jorrar dinheiro.

Um só exemplo: o dono da importante "Amazon" cego de nascença mas com enorme visão empresarial, comprou o "Washington Post". Estava arruinado, hoje voltou a existir. Por que um empresário vitorioso no setor "virtual", se interessaria pelo espaço "real"?

Helio, desculpe, mas preciso de uma explicação. Você escreveu semana passada, que na Câmara não existe reeleição para o presidente. E o deputado Ulisses Guimarães, varias vezes presidente? Um abraço do Aurélio Jorge Mendonça.

Não precisa pedir desculpa, pelo menos enquanto o presidente da Câmara não puder ser reeleito. O doutor Ulisses não foi exceção, só que criou a formula que utilizou por várias vezes, legal e constitucional.

Fez carreira sempre na Câmara, não tentou o senado nem o governo de São Paulo. (Só em 1989, se lançou a presidente da Republica, teve exatos 5% dos votos). A legislatura da Câmara tem 4 anos, divididos em dois períodos de 2 anos cada. Por tanto, um presidente no período inicial, outro no final. Concluídos os 4 anos, a legislatura (não confundir com sessão Legislativa) acaba, como a renovação é total, começa tudo do zero.

A nova Câmara é implantada, presidida pelo deputado mais velho. O doutor Ulisses se apresentava era eleito. Longe de ser reeleito. Fez isso três vezes, precisava de tempo. Eduardo Cunha está tentando implantar a reeleição. Afinal, FHC comprou (e pagou) a reeleição para ele mesmo. Só que era presidencial. Cunha não está muito longe disso, pelo menos em sonho.

O problema é só dinheiro. Se Eduardo Cunha conseguir prorrogar o mandato, suas ações sobem muito. As que caem como se estivessem em Wall Street ou na Bovespa, são as de Dona Dilma e até de Lula.

PS- A ex-corregedora Eliane Calmon, foi hostilizada, quando denunciou os “bandidos de toga". O advogado Sergio Bermudes, não precisou de mais de 3 minutos de televisão, para fulminar o juiz (?) Federal que fagueiramente dirigia um carro de luxo que ele mesmo mandara apreender para levar a leilão.

PS2- Esse juiz (?) já deveria estar preso quando foi feito o flagrante do crime (crime mesmo) praticado por ele. Se demorar muito, dá tempo para esse juiz (?) ser aposentado com todos os vencimentos.

PS3- Ontem á tarde em Paris, foi lançada a nova lição do semanário Charlie. Depois do assassinato pelos terroristas, só saiu um número, feito na redação do “Liberacion”. Praticamente uma surpresa.

PS4- os cartunistas sobreviventes estudavam proposta do Charlie ser vendido exclusivamente para assinantes. O pedido para possíveis assinaturas é elevado, não sei o que houve.
.........................................................................................................................................
Nossos leitores podem fazer comentários e se comunicar com os colunistas, através do e-mail: blogheliofernandes@gmail.com
As respostas serão publicadas aqui no rodapé das matérias. (NR).

Jornalista Helio Fernandes,

Sou pai de um caminhoneiro, que retorna do trabalho desgastado e em péssimas condições humana. Lembrando que o Plenário da Câmara dos Deputados colocou na Ordem do Dia em fevereiro deste ano, para votar a Lei dos Caminhoneiros (Projeto de Lei 4246/12), que altera a regulamentação da profissão. Os deputados já aprovaram, em julho do ano passado, o texto-base que aumenta o tempo máximo ao volante de quatro para cinco horas e meia contínuas.  Atualmente, a CLT prevê descanso de uma hora a cada seis trabalhadas e permite, no máximo, a realização de duas horas extras. Já o projeto flexibiliza esses horários para que o motorista chegue a algum local onde terá segurança e poderá repousar – pelo substitutivo, a jornada do caminheiro continua ser de oito horas, com duas extras, mas convenção ou acordo coletivo poderá prever até quatro horas extras.
Num país onde o empregador exige ao extremo, paga mal, e não da condições de trabalho digno a esses profissionais, te pergunto: A Greve que ai está vai influenciar para melhorar suas condições?

Reginaldo Villas Pereira – Vitória - ES

2 comentários:

  1. Jornalismo de qualidade.

    ResponderExcluir
  2. "Antigamente não era nem raro as pessoas lerem até 3 jornais, hoje assinam ou compram 1 as vezes 2".

    Rsrs... sério mesmo, Hélio, que as pessoas ainda fazem isso no Brasil? Pode-se ler a grande maioria dos jornais importantes no mundo de graça sem grandes truques.

    Discordo inteiramente. Em 20 anos, talvez até menos, não haverá mais bancas ou jornais e revistas vendidos nelas. Poderá até haver o formato semelhante, uma espécie de papel eletrônico, onde se pode ler o que se quiser, pago ou não. Mais provável se ler o que quer que seja transmitido direto para lente de contato ou o óculos.

    ResponderExcluir