Editoria: Helio Fernandes. Subeditoria: Roberto Monteiro Pinho

quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Temer: a obsessão das viagens, e o desprezo e desinteresse para governar

HELIO FERNANDES
Parece e acaba sendo mesmo um objetivo: ficar o maior tempo possível fora do país, por causa da impopularidade que não diminui. Quando era indireto-provisório, se desgastava e se desesperava, não podia sair e mostrar essa condição não conquistada e sim "conseguida" com a conspiração parlamentar. Comandada e transformada em vitoriosa, pela astucia, a falta de caráter e a indignidade do parceiro e amigo, Eduardo Cunha.

Empossado como indireto sem prazo de permanência, apesar de ser o primeiro na Historia do Brasil, a utilizar, simultaneamente, 3 palácios presidenciais, se desligou ainda mais do interno, para planejar e se exibir no externo. Horas depois de implantado já estava no avião, para uma viagem de 20 horas até á China.
Preferia os EUA, mas o G20 era a primeira oportunidade.

Depois a ONU, a decepção anunciada, mas com enorme propagação nas televisões do Brasil. E aí, começaram as desilusões e os vetos, dos próprios assessores. Queria ir á Colômbia, para a assinatura do acordo Farcs-governo. Insistiu, acabou não indo. Ficou irritado, mas não foi.

Ontem quinta, teve um desgaste com Serra. Este decidiu viajar para 
Israel, no enterro, hoje, do estadista e notável figura Shimon Peres. Temer disse "também vou", Serra afirmou que iria sozinho, o Premio Nobel da Paz também foi Ministro das relações Exteriores. Mais um veto. 

Segunda feira, depois da eleição, Temer vai á Argentina. Rodrigo Maia, ansioso, não sabe se assume. E dentro de duas semanas, estará indo ao Japão. Aí, serão 5 dias.
Por causa dessas ausências, como contei ontem com exclusividade, Aécio exigiu a presidência da Câmara para o PSDB. E já tem até candidato, o líder do partido, Antonio Imbassahy. Para 2017, fevereiro. Ficará na presidência da republica, como substituto, varias vezes. 

Sem plano e sem projeto de governo

Vai governando (?) aos saltos e sobressaltos. Contestado e contrariado pelos mais diversos ministros, localizava o problema na falta de um porta-voz. Mediocridade,
incompetência, imprudência. Inventou uma porção de problemas que precisava solucionar, foi rotulando das formas as mais diversas. Não votou e lógico, não aprovou nenhum. Alguns nem enviou, todos foram PRORROGADOS. Vejamos os nomes desses projetos, importantes, mas todos sem estudo, sem base, tudo improvisado.

Reforma Trabalhista
PEC do teto de gastos
Reforma da Previdência
Modificação do Ensino Médio

E varias outras ideias, que nem chegam ao Congresso. Ou então chegam, através de Medida provisória, de forma incompreensível. E que já será modificada.
Deixei para tratar separadamente da "repatriação do dinheiro", que está indevidamente no exterior. Já foi modificado e também prorrogado, por causa de interesses particulares e rigorosamente pessoais. Inicialmente o projeto ficou "limpo", dinheiro "sujo" não poderia ser beneficiado. Está parado, por causa da disputa entre os que só aceitam a volta de dinheiro explicado. O que é impugnado por deputados corruptos, em maioria.

Com tudo isso, o indireto tem uma super avaliação sobre ele mesmo. E afirmou numa entrevista na televisão: "Mesmo que eu termine o governo com 5 por cento de popularidade, mas consiga SALVAR O PAÌS, ficarei bastante satisfeito". Está bem perto de chegar a 5 por cento de popularidade. Mas bem longe de salvar o país. Que não vai aquentá-lo ou suportá-lo por muito tempo.

O TSE já deveria ter cassado Temer. Junto com Dona Dilma. Mas o indireto é protegido pelo Ministro Gilmar Mendes. Bizarro presidente do Tribunal.

Meirelles, o falastrão

Ainda não conseguiu nada de positivo ou pelo menos esperançoso. Mas vai prometendo e até garantindo. Semana passada: "Empresários e consumidores, se mostram confiantes no governo". Ontem repetia o que já disse duas vezes, só mudou as datas: "Esperamos fechar o texto da PEC dos gastos, na segunda ou terça feira". E acrescentou: "Estamos confiantes na aprovação das propostas". Existem muitas restrições. Depois, reafirmando: "Controle dos gastos são (sic) o pivô das mudanças".

O Ministro ficou irritado com as mudanças acontecidas na reunião do Conselho do Pré Sal. Motivo: ele esperava que a Petrobras, ficasse completamente fora da exploração e comercialização do Pré Sal, como vem ocorrendo. Só que o Conselho, em plena discussão, manteve a Petrobras com participação total. Ou seja, foi jogada fora a proposta do senador, agora ministro, José Serra.


 E para terminar a infelicidade do Ministro, (esta com tom pessoal), ficou assombrado, quando soube: a China cortou radicalmente, toda e qualquer importação de frango da JBS, envolvida em corrupção nos 4 maiores Fundos do Brasil. A China era a maior importadora, o prejuízo será grande.

E o Ministro sentiu-se atingido. Ele era o poderoso presidente do Conselho de  
Administração da JBS. Quando era identificada, como "a maior empresa do Brasil". E foi nesse cargo, que conheceu Michel Temer, ainda vice "decorativo", na sua própria avaliação. (Por enquanto, tudo exclusivo).  

 "Tropeço da democracia" e Lava Jato

Os que acompanham este blog, sabem: assim que houve o "fatiamento" da votação do impeachment, escrevi: "Foi esdrúxulo e extravagante".48 horas depois o também Ministro Gilmar Mendes, disse publicamente: "Foi no mínimo uma decisão bizarra". Comentei: "È lógico que haverá desdobramento". Era o obvio. Começou na USP, numa aula do Ministro Lewandowski. Textual: "A cada 25 ou 30 anos a democracia brasileira, sofre um tropeço". E chamou de lamentável. É evidente que se referia aos 2 processos de impeachment.

O Ministro Gilmar Mendes, que tem deixado os "data venias" de lado, respondeu ontem: "O tropeço da democracia não foi o impeachment, e sim o fatiamento da votação”. Como esse "fatiamento"só ocorreu com autorização de Lewandowski,as divergências estão acumulando.E os Ministros cada vez mais pertos.Os dois estão na Segunda Turma,Lewandowski substitui Carmem Lucia.

Hillary-Trump

O candidato registrado pelo Partido Republicano, mas repudiado pela própria legenda, tem conversado com amigos sobre o debate. Não reconhece a derrota,mas diz,"isso é coisa da NBC".Quis se referir ao canal que transmitiu com exclusividade,pelo fato do mediador ser da própria NBC".

(A BBC, que transmitiria o encontro, se fixou na assinatura do acordo Farcs-Governo da Colômbia, durante horas, sem interrupção). Trump tem dito: "Deixei de lado a defesa das minhas posições, não quis ser agressivo. Mas esperem o debate do dia 9 de outubro, e reencontrarão o Trump, que tem conquistado o eleitorado”. Como ele recomenda, não percam.

Lava-Jato

Não pode ficar longe do noticiário. No fim da quinta feira, ontem, e de setembro, o Procurador Geral da Republica pediu ao Ministro Zavascki, o desdobramento (fatiamento) dos processos a respeito de parlamentares do PP, PT e PMDB. Da Câmara e senado. Por enquanto esses partidos, têm praticamente 100 parlamentares envolvidos. O PP foi que começou tudo, com o maior numero de acusados.

Só que o Procurador Geral quer agilizar os processos, mas incluir outros partidos. O PSDB não está tranqüilo. Seu presidente foi acusado de ter recebido 10 milhões, das propinas da Petrobras.

Como havia morrido, pararam. Mas agora existem pelo menos indícios fortes de que o partido tinha conhecimento ou participação. No PMDB, a divisão dos processos, um estrondo. É que o PMDB é muito grande e com personagens, "abaixo de qualquer suspeita".

PS- No momento de começar o ultimo debate, hoje, quinta, na TV Globo, os candidatos principais não terão posição alterada. Crivela continuará liderando. Muita diferença na frente.

PS2- Freixo e o candidato de Paes, disputam o segundo lugar, bem longe. Mas segundo turno é outra eleição. Será um festival de baixaria.


Nenhum comentário:

Postar um comentário