Titular: Helio Fernandes Editoria: Roberto Monteiro Pinho

quinta-feira, 18 de julho de 2019


TOFFOLI, NOVAMENTE NAS MANCHETES CALAMITOSAS, INDIGNAS DE PRESIDENTE
DO STF

HELIO FERNANDES

Ontem escrevi artigo sobre ele, com o titulo, "vergonha nacional", a
propósito da decisão de favorecer e privilegiar o filho de Bolsonaro,
suspendendo INDEFINIDAMENTE o processo a que responde
perante o COAF.

Revendo,revelando e recordando as ligações estranhas, estapafúrdias
E inconvenientes entre Toffoli e Bolsonaro, resolvi mudar o titulo,
escrevi este artigo, "vergonha mundial".

Toffoli já foi criticadissimo ha meses, (inclusive por este repórter)
forjando provas de intimidação para reprimir supostas ameaças até
mesmo á integridade física.

A repercussão foi tão destruidora  que sugeri :deveria  RENUNCIAR á
presidência. Ou se APOSENTAR do STF, livrando o mais alto tribunal do
país da sua presença e convivência. Não fez nada e ainda agravou tudo
com novo absurdo e contradição.

(Sua decisão de desmoralizar um órgão de Inteligência financeira, que
é o COAF, tão grave, que Globo e Folha, saíram ontem com a mesma
manchete na Primeira, praticamente sem diferença alguma. Textual, com
o mesmo sentido implícito e explicito: "Toffoi suspende inquérito e
favorece filho de Bolsonaro". Gravíssimo, advogados de acusados e até
condenados se preparam para pedir o mesmo privilegio).

As ligações Toffoli-Bolsonaro começaram com ele já eleito, mas ainda
não empossado. Foi ao STF, disse textualmente, jornais e TVs
publicaram: "Vou precisar muito dos seus conselhos no meu
relacionamento com o Congresso, posso cometer erros". E se abraçaram
efusivamente. Ontem, nas redes, colocaram essa foto, degradando
presidentes de dois Poderes.

As ligações dos dois foram ininterruptas até agora. Ininterruptas e
desmoralizantes.

Vou citar apenas uma, são tantas, ficam para depois, esse escândalo
inqualificável, vai se prolongar.

PS- Uma lembrança que o próprio Toffoli esqueceu, deliberadamente.
PS2- Ha anos, 1916, Toffoli era apenas nada ou louvado ministro.
PS3- Um acusado pelo mesmo crime que agora é atribuído ao filho de
Bolsonaro, entrou no STF pedindo arquivamento do processo.

PS4- Perdeu por 9 a 2. Um dos 9 que negou o arquivamento, o mesmo
Toffoli que agora favorece o Bolsonaro filho.

PS5- Contradição. Ou mudança de "convicção", as aspas
são indispensáveis.
 
BOLSONARO COMO SEMPRE DESINFORMADO
 
Agora a respeito da nomeação do filho para embaixador nos EUA. Não
admite conversa ou transigência sobre o assunto, garante que o senado
não se "arriscará a vetar a indicação do filho".
 
Alertado sobre a divisão dos senadores, ( na CCJ e no plenário)
respondeu com a habitual prepotência e arrogância: "Já encerrei minha
participação nesse assunto". Sua base para essa afirmação, é o
comportamento histórico e subserviente dos senadores, sempre
ratificando e aprovando as indicações para as mais diversas
embaixadas.
 
Que eu me lembre, o senado vetou a indicação de um empresário
importante e progressista para embaixador em Bonn, na Alemanha.
 
(Berlim ainda não voltara a ser a capital). Ele foi indicado por Jango,
o senado votou contra o presidente e não contra o empresário. Ele era
presidente da importante Votorantim. (Não quero citar seu nome, já
morreu ha muito tempo, fomos grandes amigos).
 
Isso aconteceu em março de 1962. O empresário recebeu a noticia, não
se aborreceu, afirmou: "Não me preocupo,em outubro eu me elejo senador
por Pernambuco". (Seu estado). Foi eleito mesmo, teve excelente
relacionamento com os senadores que o vetaram.
 
PS- Nada a ver com a questão de agora, inteiramente diferente.
PS2- Existe uma verdadeira revolta, é a primeira vez que um presidente
nomeia o filho embaixador. (Já foi registrada a exceção: na ditadura
Saudita).
 
PS3- Bolsonaro afirmou: "Já encerrei minha participação nesse caso".
 
PS4- Do Planalto surge a noticia oficial: "O Itamaraty já preparou o
pedido de agrement para enviar aos EUA".
 
PS5- A situação política de Brasília, ao mesmo tempo,
subserviente,arbitraria, autoritária, atrabiliaria, pode transformá-lo
em embaixador,
 
PS6- Mas na certa, terá muitos votos contra, e uma sabatina não tão
displicente quanto gostaria.
 
SUPERLOTAÇÃO DAS PENITENCIÁRIAS BRASILEIRAS.

Em 1957 sofri um processo,precisava de advogado. Normalmente  se diz, "contratei" e vem o nome. Mas como em ações jornalísticas-politicas, não existe cobrança ou pagamento, fui defendido pelo extraordinário Evandro Lins e Silva.( E seu irmão Raul, pai do Tecio e do Raulzinho ,mais tarde importante desembargador). Evandro me defendeu 9 vezes. E recordação da qual me orgulho até hoje: ficamos grandes amigos.

Quem me processou: o então presidente do BNDE. (Não tinha o S de Social. Hoje tem o S mas continua sem o Social. Basta dizer que o presidente que assumiu agora, afirmou sem constrangimento:"Minha principal meta é descobrir a caixa preta do banco". Não cito o presidente que me processou e perdeu, já morreu ha muito tempo, servindo á ditadura de 64 ).

Dominando a palavra escrita e falada, se projetou rápida e facilmente nos mais diversos setores. No Tribunal do Júri, grandes debates, se consagrou como o maior criminalista do seu tempo.

De lá para o STF, bravo e destemido combatente. Depois, eleito para a Academia com o reconhecimento da sua vocação  e realização como escritor nato e admirado. E a participação política como Ministro Chefe da Casa civil de Jango. A vida inteira a preocupação com o que chamava de "encarceramento em massa". Defendia o mínimo de prisões, alertava , já naquela época, que estavam enchendo as penitenciarias com inocentes ou pessoas que não tinham culpa formada. Hoje as penitenciarias representam problema tremendo com presos identificados como "provisórios", que morrem sem culpa  e sem advogados. Um dia Evandro me chamou  no escritório, falou: "Não posso mais advogar, mas vou indicar para você um jovem e brilhante defensor . Evaristinho de Morais . Eu comecei  no escritório do pai  dele,(o patrono dos advogados brasileiros) ele começou no meu. Ganhei um notável advogado e grande amigo. Pena que tenha morrido tão moço.

TOFFOLI CONDENADO NO BRASIL E NO RESTO DO MUNDO

O mundo judiciário nacional e internacional, têm sido implacável com o presidente do STF. E agora, além das críticas que vem sofrendo de todas as formas, no próprio plenário do STF, surge uma divisão que o envolve negativamente. 

Nos bastidores de todos os tribunais do Brasil, o que se fala é que Toffoli estaria preparando um retrocesso. Em vez do recurso ser realizado dentro de 4 meses como ele mesmo marcou, aconteceria logo que terminasse o recesso. O que se fala, e não apenas nos bastidores, é que a decisão de Toffoli poderia ser examinada quase que imediatamente. 

O presidente do STF tem sofrido restrições através de importantes órgãos internacionais. Até a ONU já se manifestou acusando Toffoli de ter quebrado tratados internacionais. 

PS- Como se vê, a situação do presidente do STF é desesperadora.

PS2- É possível que o mais alto tribunal do país esteja caminhando novamente para um 6 x 5.

PS3- Não se sabe se contra ou a favor. Mas esse placar foi tão repetido, que pode acontecer muito rapidamente.

A HISTÓRICA ABI E O JUNHO FATÍDICO

PS- Três chapas disputaram as eleições da Associação Brasileira de Imprensa – ABI.

PS2- Nenhuma delas convincente, inteligente ou razoável, ao contrário, um festival de mentiras, desfocado dos fatos que envolvem a Casa do Jornalista.

PS3 – Sua sede um patrimônio, esquecido, empoeirado, andares vazios. Só lhe restou o eco das vozes de grandes personalidades do jornalismo brasileiro. Barbosa Lima Sobrinho entre outros figurões da história brasileira na comunicação freqüentavam seu salão social.

PS4- O resultado da eleição foi senão irônico, nada surpreendente, eis que no universo de pouco mais de 400 associados, e os que melhor se mobilizaram venceram.

PS5-  Uma mistura esquerdinhas desempregados montou acampamento no 7º andar e agora querem salário de diretor.

PS6- Mais que um espetáculo cruel, eis que jamais as diretorias que ali passaram tiveram a audácia, a petulância e “insolência”, de propor tamanha hipocrisia.

PS7- Certamente, impiedosamente e sem o menor pudor os eleitos querem dissecar o cadáver da instituição, e lamber seus ossos.




      


quarta-feira, 17 de julho de 2019

DALLAGNOL E JAQUES WAGNER

HELIO FERNANDES

È um prazer ler o Elio Gaspari.  E satisfação completa, complementar
matéria  em que um personagem é o agora badaladíssimo Procurador. Já
em plena derrocada, o grupo da Republica de Curitiba não admitia nem
aceitava a carreira  política e eleitoral dele. O próprio PT se
surpreendia com as conquistas dele. Governador por 8 anos,(eleição e
reeleição)fez o sucessor em 1914 e comandaria sua reeleição em 1918.

O comando nacional do partido, que não tinha a menor simpatia por ele,
exigiu sua candidatura na campanha presidencial de 2018 .Wagner, que
tinha garantido o mandato de senador, (8 anos irrefutáveis e
irrevogáveis) não aceitou nem negou. Dividiu seu tempo entre a
campanha na Bahia. E o resto em SP e Curitiba, a chamado de Lula.

Com o ex-presidente, abriu o jogo: "Não tenho a menor chance de me
eleger presidente. E já eleito senador, serei mais útil ao partido".

Lula deu sinais de que concordava, Wagner concluiu: "Presidente, por
favor, não conte isso a ninguém". Procurou Haddad, que tinha medo de
uma  suposta candidatura rival de dentro do próprio PT, adorou e
também garantiu silencio.

Dallagnol soube dos fatos depois deles terem acontecidos. Como
confessou,"resolveu investigar e denunciar Wagner". Não obteve nada.

Se fosse mais bem informado, deveria saber que Wagner foi diretor da
Petrobras, no auge e no apogeu das empreiteiras. Entrava e saía do
prédio, projetado e construído pela Odebrech.

PS- Foi investigado, claro. Constataram, (primeiro pelo próprio
Dallagnol depois por todos) totalmente inocentado.

PS2- Concluindo. Jamais falei com Jaques Wagner nem estive perto dele.

Não vou a Brasília, não tenho relações mesmo jornalísticas,
diretamente, com personagens, que começaram se lançando como a
"geração da nova capital".
 
BOLSONARO FALA SOBRE FERNANDO DE NORONHA
SEM CONHECIMENTO DE CAUSA
 
Seus erros, equívocos e desinformação, são alarmantes, constantes, se
transformaram em lugar comum. Ontem falou, sempre pela TV e
Redes: "Cobrar taxa para visitação de Fernando de Noronha, é um roubo".
 
Podia se informar, é fácil: "Nunca houve cobrança de taxa para
ninguém". E se existisse cobrança, o roubo estaria sendo praticado
pelo governo federal, comandado (?) por ele.
 
Até 1937, Fernando de Noronha pertencia ao estado de Pernambuco.
Instalada a ditadura do Estado Novo, Vargas deu uma festa para mais de
100 pessoas, todos os ministros e interventores. O de Pernambuco,
Agamenon Magalhães, muito amigo de Vargas, ficou perto dele, queria
falar, mas estava com receio.
 
Vargas percebeu, perguntou: "O senhor quer alguma coisa, governador?"
( Não existiam mais governadores, só que o ditador usava o eufemismo).
 
Agamenon colocou a questão, "presidente, Pernambuco está com grandes
problemas financeiros, queria vender Fernando de Noronha ao governo
federal". O ditador riu, chamou Souza Costa, Ministro da Fazenda.
 
Ele veio, recebeu a ordem: "O governador me fez um pedido, concordei,
é  prioridade absoluta".
 
Desde 1937 a ilha pertence á União.  Se estão cobrando o que o capitão
chama de "roubo", ele é cúmplice, pode (e deve) tomar providencias.
 
IMIGRANTES EUA: POLÍTICA DE TRAIÇÃO E SUICÍDIO, 
COM PASSADO, PRESENTE E FUTURO
 
Quando derrotaram os ingleses em 1762, sua população era mínima.
 
Washington formou um exercito de 31 mil soldados, para habitar aquele
imenso território, sobrava ( faltava) gente para povoá-lo. Exerceram
então um projeto de estimulo e proteção aos imigrantes. Criaram o que
se chamou de"sonho americano". Com isso, multidões chegaram, se
instalaram, adotaram o país para sempre.
 
Isso é mostrado de forma clara e definitiva, no filme de grande
sucesso, " O Poderoso Chefão". (Eles se  basearam no livro magistral
de Margareth Mitchell sobre  a terrível guerra civil americana.
 
Milhares de estrangeiros chegavam ininterruptamente, e faziam o país
crescer e existir).
 
Agora, Trump, representando um grupo odioso e bilionário, prega
maldição e expulsão dos imigrantes.
 
O VICE MOURÃO VOLTOU ÀS MANCHETES
 
Mas em tom "neutro", "construtivo", "moderado", abandonou as
"caneladas", supostamente contra o capitão. Condenado ao silencio em
questões polemicas, cuidou de um tema preocupação nacional, o número
absurdo de partidos. E consequentemente o troca-troca dos excessivos
ministérios, gastos abusivos e a impossibilidade de governar, seja
quem for o presidente.
 
Cuidou da vida partidária, com bom senso, pregando à importante
reforma, fixando até o numero de partidos que podem ser registrados e
oficializados Segundo ele, de 5 a 7. Seria redução drástica e
positiva, já comentado por diversas pessoas, incluído este repórter.
 
Defendo a existência no máximo de 5 partidos. De centro,
centro-esquerda e centro- direita. E perfeitamente aceitável e
compreensível: 2 partidos temáticos. Um deles, o Verde,,que cresce no
mundo todo. Com idéias construtivas e sem ideologias agressivas.
 
PS- Podemos aproveitar a oportunidade e começar a discutir e debater
o assunto. Importantíssimo e fundamental.
 
PS2- Mesmo acuado, Mourão é general e vice-presidente eleito. Colocou
a questão aberta e publicamente.
 
PS3- O fato dele querer manter o cargo em 2022, não prejudica ou
compromete o  debate.
 
BOLSONARO NÃO VAI DESISTIR DE TRANSFORMAR 
O FILHO EM EMBAIXADOR
 
È tão irresponsável, que acreditava e acredita: é o presidente eleito,
pode agir autoritariamente. Como sempre desinformado não constatou,
que só um país em toada a História nomeou o filho embaixador nos EUA.
 
(Já foi fartamente publicado: aconteceu com o ditador da Arábia
Saudita, um exemplo para não ser seguido e sim repudiado).
 
Preocupado, não desiste do ato absurdo e estapafúrdio, passa a se
defender de forma primário. Exemplo textual: "Se está sendo tão
criticado, é porque é adequado". Pensa (?) que contradição é argumento
convincente.
 
Não vai mudar de ideia. Desistir de nomear o filho embaixador nos EUA,
será ou seria confissão de derrota e fragilidade, logo ele, que se
julga poderoso, popular, que não pode ser contrariado 
de maneira alguma.
 
Mas não pode esconder e confessa em conversas de bastidores. "Estou
surpreendido cm noticias que chegam do senado". Essas noticias
mostrariam que existe uma tendência de não aprovar o filho como
embaixador. O senado mudaria a posição contemplativa praticamente
histórica, por um veto também histórico. Se isso se confirmar, não
será aceito pelo capitão presidente.
 
PS - O capitão autoritário terá que "inventar" uma "solução",
ultrapassando tudo de espantoso, acintoso, calamitoso, que já fez em
pouco mais de 6 meses.
 
O PIB DA CHINA E A IGNORANCIA DE TRUMP
 
Oficialmente o país anunciou o menor crescimento nos últimos 27
anos:6,2%. Para quase todos os países esses mais 6,2% seriam motivo de
comemoração. (Menos para o país comunista-capitalista, que tem
evolucionado muito mais, repetidamente. E o crescimento da China
capitalista tem sido positivo para a economia mundial. Mesmo
reconhecendo o perigo do fortalecimento  da ditadura comunista).
 
Só houve uma comemoração pela queda do PIB da China: promovida pelo
presidente dos EUA. Trump festejou a queda do crescimento. E mais
grave, a demonstração de primarismo, burrice, incompetência do
presidente dos EUA. Ele festejou a redução da economia da China,
inacreditavelmente confessando na TV: "A política comercial dos EUA,
foi a grande responsável pela retração comercial e a redução do seu
PIB".
 
O próprio Trump e alguns áulicos consideram que as duas coisas
favorecem a reeleição dele em 2020.
 
A DECISÃO DE TOFFOLI DEIXARÁ 
DE SER MONOCRÁTICA EM NOVEMBRO
 
Essa absurda e desvairada proteção ao filho de Bolsonaro, será julgada
pelo plenário, em novembro. Não existe nenhuma razão para que só entre
na pauta depois de 4 meses de espera. E pela gravidade e repercussão
negativa, todos os motivos para que o privilegio seja examinado
imediatamente. Juristas independentes e especialistas na matéria,
advertem:"Em 4 meses o STF será atropelado e atrofiado, tecnicamente e
em matéria de tempo, com recursos para receberem o mesmo tratamento
dado ao senador".
 
O coordenador da Lava-Jato no Rio, Procurador, definiu as
consequencias da irresponsabilidade do presidente do STF: "Todas as
operações, acusações e investigações sobre lavagem de dinheiro, serão
atingidas".
 
Nada pode ser consumado ou determinado, para mudança de prazo. O
"dono" da pauta é o próprio presidente, nenhum outro ministro pode

interferir.

terça-feira, 16 de julho de 2019

COMPROMETIDO E ACUSADO, DALLAGNOL 
REFORÇA AS DENÚNCIAS DO INTERCEPT 
E DO JORNALISTA

HELIO FERNANDES

Em matérias contundentes, ininterruptas e não contestadas, Grenn
Grennwald,  desmonta o Procurador e prova de forma irrespondível, que
ele não é um paradigma de moralidade, independência e de prioridade
para o espírito publico como apregoava. Em matérias vastamente
publicadas e com enorme repercussão, seus interesses pessoais e
particulares estão sempre acima de tudo.

Não estou revelando nada, apenas repercutindo e comentando o que foi
vastamente publicado. Também as acusações, diversas e variadas,
registram coincidentemente, o propósito de FATURAR, pessoalmente, os
sucessos da Lava-Jato, antes do conluio Procuradores-Moro ainda
magistrado. Todos supostamente empolgados com o propósito de "servir
á coletividade".

Propósito e objetivo destruído pela ação deles mesmos. A ação e
execução, contradizendo e contrariando o que tentavam ou imaginavam
transmitir á comunidade, como desprendimento.

Dallagnol, o chefe e coordenador da Procuradoria da Lava-Jato e um
subordinado, conversaram sobre a formação de uma firma, para faturar
com a popularidade da operação. Como prova insofismável de que não
imaginavam deixar a Procuradoria, a "firma ficaria em nome das
mulheres".

Depois, tentando se justificar, diria: "Eu faria conferencias contra a
corrupção". Não explicou quanto cobraria ou se teria agente.

(Presidentes dos EUA fazem conferencias cobrando caríssimo, mas só
depois de deixarem os cargos. E não poderem mais ocupar cargos
públicos, eleitos ou nomeados).

PS- Existe um evidente choque entre o procurador em exercício, e o
palestrante, com ou sem firma.

PS2- A própria Folha, que deu destaque ás matérias, registra e
conclui:  "Como conseqüência, julgamentos podem ser anulados".

PS3- Rigorosamente verdadeiro. E dá mais repercussão e importância ao
julgamento do STF, no fim do recesso.

PS4- No dia 1 de agosto, na pauta do STF, está a continuação da
apreciação da PARCIALIDADE ou IMPARCIALIDADE de Moro.

PS5- E com royalties para Rui Barbosa, "até as pedras da rua", sabem
que isso pode beneficiar Lula.

PS6- Perdão, beneficiar o ex-presidente não. Confirmar a PERSEGUIÇÃO
que venho denunciando ha mais de 1 ano.
 
A NOVA PREVIDÊNCIA, ENFRENTARÀ ENORMES 
PROBLEMAS NO SENADO
 
Eu já havia chamado a atenção: os senadores não estavam gostando.
Dificuldades com deputados, diziam, "isso será resolvido pelos
senadores". Concluí, informando: estavam conversando para encontrar
uma resposta. Têm tempo de sobra. A Câmara prorrogou o segundo turno
para agosto. Vão aprovar. Mas quando isso acontecer o senado estará em
recesso. Deputados ficarão dependentes de senadores.
 
Mais tempo desperdiçado, principalmente para os que pretendiam
resolver tudo no primeiro semestre. Mas com a contradição Onix
Lorenzoni, tinha que haver confusão. Bolsonaro afastou-o
Da "coordenação política", ele se licenciou, (todos sabem que 
é deputado federal) voltou á Câmara, não saiu das manchetes, 
posava como grande líder e vencedor.
 
O presidente e o relator da Comissão Especial da Câmara, falaram muito
e decidiram pouco. O problema mais importante de todos, a participação
na reforma, dos governadores e prefeitos, foi "jogado para o senado".
 
Desprezados, abandonados, ignorados, comentei: "Não estão percebendo
que sofrerão as conseqüências dessa imprudência". Os surpreendentes
379 votos da primeira votação enganaram muita gente.
 
Enquanto Rodrigo Maia conversava com os governadores, certo da
reviravolta que aconteceria com a falência, os "lideres" ligados a
Bolsonaro, apregoavam que no senado as coisas se resolveriam.
 
A definição correta não é essa palavra. Mas os governadores assumirão
o comando das articulações, coordenações, negociações,votações. Não
escondem duas coisas que consideram prioritárias. 1- A volta deles
participando em igualdade da Nova Previdência. 2- Farão proposta de
aprovar no senado, um projeto inteiramente diferente do que venceu o
primeiro turno, e que será facilmente ratificado no segundo, nos
primeiros dias de agosto.
 
 
Os deputados bolsonaristas estão fazendo circular nos bastidores:
"Isso é apenas mistificação, intimidação, ameaça".
 
PS- Terão que pagar para ver. È isso o que afirmam governadores 
e senadores.
 
PS2- O presidente do senado, surpreendente.
 
PS3- Está firmando uma liderança na linha Rodrigo Maia.
 
PS4- E sem a menor hostilidade entre eles.
 
TEMER VOLTOU À VIDA NOLMAL EM CASA E NO ESCRITÓRIO
 
O  ex-presidente corrupto e usurpador, em total tranquilidade. Nenhuma
preocupação com prisão, quem podia e continua podendo garantir, lhe
disse," sua prisão foi um equivoco total". Dias depois, reafirmou: "A
própria justiça restabeleceu a credibilidade, mandando libertá-lo".
 
Temer tem recebido para jantares na sua famosa residência, num bairro
aristocrático de SP.
 
E o escritório, nunca esteve tão movimentado.
 
DIAS TOFFOLI VERGONHA NACIONAL
 
Ultrapassou o âmbito do judiciário, se projetou negativamente no pais.
Pelas ligações e o cargo político que ocupava, não podia ser membro do
STF. Mas foi, e agiu contrariando os padrões exigidos de um ministro
do mais alto tribunal do país. Mas não surpreendeu ninguém.
 
 Não podia ser presidente, mas como não ha eleição, é rodízio, chegou
a sua vez, foi feito presidente.
Foi personagem de um episodio vergonhoso, tão acintoso, clamoroso, que
a opinião publica se revoltou, o que fazer?
 
Escrevi que ele deveria RENUNCIAR á presidência ou antecipar a
APOSENTADORIA, deixar o tribunal. Desprezou as duas possibilidades.
 
Agora, sem o menor constrangimento suspende INDEFINIDAMENTE o processo
e logicamente as investigações contra o senador Flavio Bolsonaro.
 
Serve ao filho, mas agrada ao pai. Com uma decisão desmoraliza os
presidentes de dois Poderes, que pela Constituição,são autonomos e
independentes entre si.
 
Que Republica !!!
 
ALEM DE SUBSERVIENTE, NOSSO CHANCELER CULTIVA 
O LUGAR COMUM
 
Ontem, participou da reunião do Mercosul na Argentina. Autorizado pelo
quase embaixador nos EUA, que manda no ministério do Exterior.
 
Logicamente um dos assuntos preponderantes, foi a situação calamitosa
da Venezuela.
 
Muitos falaram. Contribuição de Ernesto Araujo, que desanuviou o
ambiente, provocando gargalhadas gerais: "A Venezuela é um elefante na

sala"