Editoria: Helio Fernandes. Subeditoria: Roberto Monteiro Pinho

domingo, 7 de maio de 2017

ANÁLISE & POLÍTICA
    “Informação com Liberdade de Expressão”

ROBERTO MONTEIRO PINHO

Renato Duque pode complicar Lula
Agora um novo personagem prestou depoimento no dia 5 ao juiz federal Sérgio Moro, Renato Duque contou que se reuniu três vezes com Lula após deixar a Diretoria de Serviços da empresa, em 2012, e que durante as conversas o ex-presidente o questionou sobre o andamento dos contratos da Petrobras com estaleiros para a construção de navios-sonda. A preocupação de Lula, segundo ele, era com os pagamentos feitos ao PT e com o possível rastro financeiro em contas fora do país que poderia ser detectado pelas investigações.
Réu em um dos processos da Lava Jato em Curitiba, Renato Duque foi reinterrogado hoje após permanecer em silêncio na audiência do dia 17 de abril. Agora ele próprio pediu para ser ouvido novamente. Além de Duque, os ex-ministros Antonio Palocci, o ex-presidente da Odebrecht, Marcelo Odebrecht, e o marqueteiro João Santana são réus na mesma ação penal.

França: Nem esquerda ou direita, apenas Macron

O novo presidente da França é Emmanuel Macron. O povo francês escolheu o candidato do partido centrista a Frente Nacional que venceu, neste domingo (7) o segundo turno das eleições presidenciais da França. A diferença segundo estimativas das pesquisas será de 30 pontos percentuais de vantagem sobre sua adversária, a líder da extrema direita Marine Le Pen.

Conforme previsto os votos válidos divulgadas pela imprensa francesa, a vitória obteve 65% dos votos contra 35% conquistados por Le Pen. Ainda há uma oscilação diante dos percentuais de votos  que o centrista recebeu, e variam entre 65,1%, informado pelo Instituto Ipsos, e 65,9% projetados pelo Instituto Elabe, conforme divulgou a emissora BFMTV. A agência francesa AFP divulgou que o novo mandante francês afirmou que uma nova página para o país será aberta. "Esta noite abre-se uma nova página da nossa longa história. Quero que seja a da esperança e a da confiança recuperadas" - declarou.

O que pesa contra José Dirceu

O juiz Federal Sérgio Moro, da 13ª vara de Curitiba, condenou o ex-ministro da Casa Civil do governo Lula José Dirceu a 23 anos e 3 meses de prisão por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e pertinência à organização criminosa, por envolvimento em esquema de pagamento de propina investigado na Lava Jato. Os crimes teriam sido cometidos durante o andamento do processo do mensalão, em qual foi condenado em 2013.
De acordo com o magistrado, Dirceu teria recebido ilicitamente cerca de R$ 15 milhões da empreiteira Engevix e repassado grande parte desse valor ao ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato de Souza Duque e ao ex-gerente de serviços Pedro José Barusco Filho, "através da cobrança de preço superior à estimativa, aliás propiciado pela corrupção, com o que a estatal ainda arcou com o prejuízo no valor equivalente".
O impeachment dos três ministros

Um abaixo-assinado online que pede o impeachment dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) Dias Toffoli, Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski já reuniu mais de 400 mil assinaturas em poucos dias. Os três decidiram por devolver a liberdade ao ex-ministro José Dirceu, condenado na Operação Lava-Jato e preso há mais de dois anos em Curitiba por ordem do juiz Sérgio Moro, o que provocou críticas.  Os ministros Edson Fachin, relator da Lava-Jato no Supremo, e Celso de Mello, que também faz parte da Segunda Turma, foram contrários à soltura do petista. Hospedada no site change.org, a campanha espera superar 500 mil assinaturas para entregar o documento ao Senado, onde pedidos de afastamento de ministros do STF devem ser apresentados.
“Os ministros Gilmar Mendes, Dias Toffoli e Ricardo Lewandowski proferiram diversas vezes decisões que contrariam a lei e a ordem constitucional. A recente soltura de réus como José Dirceu e Eike Batista demonstra o descaso com o crime continuado e a obstrução à justiça que, soltos, eles representam. Gilmar Mendes, especialmente, concede reiteradamente habeas corpus a poderosos (Daniel Dantas recebeu dele um habeas corpus num domingo), demonstrando julgar com parcialidade e a favor de interesses que nem sempre coincidem com o bem comum”, diz o texto que acompanha a petição.

Muro de Trump

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, assinou no dia 5 de maio uma lei orçamentária de US$ 1,1 trilhão para financiar o governo até a conclusão do atual ano fiscal, em setembro. O objetivo é evitar a paralisação de algumas atividades por falta de recursos. A lei não inclui nenhuma verba para a criação de um muro na fronteira com o México, apesar de ser uma das maiores promessas da campanha do republicano.

A informação sobre a assinatura da lei por Donald Trump foi dada pela porta-voz da Casa Branca, Sarah Huckabee Sanders, durante uma coletiva de imprensa. A lei orçamentária havia sido aprovada na quinta-feira (dia 4) pelo Senado dos Estados Unidos, um dia depois de ter obtido a autorização da Câmara dos Representantes.

Desemprego x inflação...

De acordo com a 62ª edição do Boletim Mercado de Trabalho, divulgado no dia 5 de maio pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), os primeiros meses de 2017 apontam para a reversão do desemprego e tem "encorajado os analistas a projetarem para esse ano o fim do quadro recessivo do nível de atividade e inflação em queda". Segundo o instituto, caso os prognósticos sejam confirmados, é possível que o mercado de trabalho apresente recuperação ainda este ano.

O rendimento real do brasileiro registrou valor médio de R$ 1.978 em 2016, apresentando queda de 2,5% se comparado ao ano anterior. Os homens tiveram diminuição de 3,3% em seu rendimento entre 2015 e 2016. No mesmo período, as mulheres tiveram perda de 1%. Na comparação por idade, os jovens novamente levaram a pior. As pessoas entre 14 e 24 anos tiveram rendimento médio 3,6% que em 2015.

Repórter é a pior profissão do planeta

Ser repórter de jornal é a pior profissão de 2017. É isso que revela o estudo da consultoria CareerCast, levantamento anual que promove o ranking de acordo com informações de salário, expectativa de crescimento no emprego, competitividade, grau de estresse e riscos à segurança pessoal. Além de ficar no topo, a segunda posição de pior profissão também é da comunicação, ocupada pelos profissionais de rádio e TV. A expectativa de crescimento para repórteres é negativa, de -8%. Para os profissionais de rádio de TV é ainda pior: -9%.


Depois de repórter de jornal e profissional de rádio e TV, as piores profissões são: lenhador (3° lugar), militares (4°), trabalhadores do controle de pragas urbano (5°), DJs (6°), vendedores de anúncios (7°) e bombeiros (8°). O estudo da CareerCast quantifica as facetas de 200 postos de trabalho e, em grande medida, os dados utilizados para avaliar as carreiras são fornecidos pelo Bureau of Labor Statistics. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário