Editoria: Helio Fernandes. Subeditoria: Roberto Monteiro Pinho

segunda-feira, 29 de maio de 2017

A IMPONÊNCIA DA CORRUPÇÃO, A FALÊNCIA DA MORALIDADE

HELIO FERNANDES

Quem acreditava que a deposição – expulsão - demissão de Michel Temer fosse ocorrer através do TSE, pode se frustrar e se decepcionar antecipadamente.

Basta constatar a declaração do Ministro Gilmar Mendes na televisão: "Não cabe ao TSE resolver crise política". O Conselho Nacional de Justiça já devia ter tomado providencias a respeito do comportamento do presidente do TSE.

NÃO CABE a um Ministro do Supremo e do TSE, antecipar opiniões sobre questões que exigirão seu voto, duas vezes. Uma no TSE e outra no recurso ao Supremo.

NÃO CABE ao mais alto tribunal eleitoral do país desperdiçar 27 meses, e não chegar a uma conclusão sobre o processo.

NÃO CABE a um Ministro e ainda mais presidente  do TSE, manter o relacionamento intimo e publico, com o presidente da Republica, RÉU desse prorrogadissimo processo.

NÃO CABE ao ministro - juiz  pedir ao presidente - RÉU uma "carona" no avião presidencial publico.

Para terminar este capitulo, quero fazer uma confissão: quando escrevi no titulo APOGEU DA CORRUPÇÃO e FALÊNCIA DA MORALIDADE, eu me referia sem nenhuma duvida, a Michel Temer e Gilmar Mendes.

O PRESIDENTE TENTA ESCAPAR DA CONDENAÇÃO

O presidente não pode escapar impune e imune, apesar de ter ganho uma sobrevida de quase 10 dias. Ele sabe que sua irresponsabilidade foi tão grande e CONFESSADA, que já deveria ter sido afastado e preso.

As provas foram produzidas por ele mesmo, não dependem do gravador estar em boas ou más condições. Basta a constatação autenticada pelo próprio presidente: "Sim,era  ele, que de madrugada, recebia no palácio, um corrupto criminoso, que relatava a forma como conseguira corromper autoridades publicas".

Apesar de confiar na cumplicidade do Ministro sem toga, Temer tomou providencias no domingo. Demitiu o Ministro da Justiça, porque não sabe nada do que acontece no seu ministério, não tem personalidade. Rigorosamente verdadeiro. Mas não foi ele que nomeou esse Ministro, noutro dia? 

Colocou no Ministério da Justiça, Torquato Jardim, de muita personalidade, capaz de tomar providencias  contra a Lava-Jato. È isso mesmo, mas ele não terá tempo para coisa alguma. Também favoreceu a nomeação de Jardim o fato dele ter sido Ministro do TSE. 

Mas foi ha tanto tempo, que não conhece mais ninguém. E Temer acredita que todos podem se degradar com a facilidade com que ele o faz.

E finalmente, tem que arranjar um ministério para Serraglio. Não por ele, mas pelo intimo Rocha Loures, rapaz de "boa índole",que tem que continuar na Câmara por causa do foro privilegiado.

RENAN CALHEIROS

Sua posição é cada vez mais periclitante. Pelo menos a 10 dias estava completamente fora do noticiário. 

Ontem seu nome apareceu, mas de forma negativa. Senadores do PMDB pediram reunião da bancada. Motivo:`querem uma reunião para discutir a liderança. Um levantamento, mostrou que 14 senadores querem mudança da liderança. 9 não se interessam.

Mas a bancada do PMDB, não apenas no Senado, não torna legitima qualquer pesquisa. Essa ideia de tirar Renan da liderança, surgiu de um motivo grave.

Temer esteve em Alagoas, por causa das chuvas que atingiram o estado. O governador, filho de Renan, quis receber o ainda presidente. De forma inesperada, deram  a resposta sucinta e sumaria: "È melhor, não".

SUPREMO E FORO PRIVILEGIADO

Ha mais ou menos 1 mês, foi incluída na pauta do dia 31, amanhã, esse assunto importantíssimo. A comunidade está voltada para a decisão dessa questão. Mas o fato de estar na pauta, não é mais segurança de julgamento.

Depois da vergonhosa, tenebrosa, ruinosa e amistosa reunião de Temer com um dos bandidos da JBS, o Procurador Geral da Republica pediu ao Supremo para ouvir o presidente da Republica. Como tem relação com a Lava -  Jato, foi para o Ministro Fachin que mandou para o plenário. Pautado para quarta passada, não examinaram nem explicaram.


Nenhum comentário:

Postar um comentário