Editoria: Helio Fernandes. Subeditoria: Roberto Monteiro Pinho

quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Renan: o intermediário entre a corrupção e o Planalto

HELIO FERNANDES

A chamada desavença ou divergência histórica entre Renan e Temer, é apenas histérica ou circunstancial. Primeiro suplente de deputado, Temer assumiu o mandato, e quase imediatamente, foi eleito presidente da Câmara. Os dois atos, conseqüentes e coincidentes, maquinados e executados exclusivamente por Renan, ainda simples deputado.

Oculto por elipse, como se fosse apenas um teste gramatical, o objetivo maior: salvar o presidente FHC dos vários pedidos de impeachment. Garantido, conseguiu comprar até a reeleição, paga com dinheiro impuro. Tão impuro e sujo, que seria porta estandarte da Lava-Jato, se já existisse na época.

Quase que imediatamente, o deputado Renan Calheiros recebeu a recompensa por tudo, através de um telefonema do presidente FHC: "Quero que você seja Ministro da Justiça". Renan tomou posse, não era indispensável, mas nem se lembrava que frequentara uma faculdade de Direito. 

A vida seguiu seu curso, jamais brigaram, embora ás vezes ficassem em lados ou posições contrarias, abertamente hostis. Quase sempre por causa de ciúmes. Renan cobrava de si mesmo, o fato de Temer, nos últimos 10 anos, ter chegado sem obstáculos a alturas que sempre desejou, ambicionou ou projetou.

Agora, juntos pelo medo do que pode acontecer

Independente do que o Supremo pode decidir na sessão de hoje, (se não for adiada), os dois estão juntos e incondicionais, em projetos mais duradouros e ambiciosos. Prioridade total e absoluta, para o combate á Lava-jato. Já tentaram numa madrugada escura, aprovar sem votação, a ANISTIA para o Caixa 2. Apanhados em flagrante, retirada humilhante e desastrosa. Ficaram imaginando o que fazer, descobriram num jantar a dois. (Depois contaram a Rodrigo Maia, que concordou integralmente). 

 Alem de aprovar a mesma anistia, fundamental, o que consideraram "genial e degradante" para a equipe da Lava Jato.

Já está circulando numa Comissão Especial, o projeto enviado pela equipe da Lava-Jato, com mais de 2 milhões de assinaturas populares. Ninguém tem coragem de se manifestar contra esse projeto. O maximo que conseguem; retardar o andamento, que ha 6 meses não sai do lugar. E "vetarem'“ uma ou duas das 10 instruções contra a corrupção. 

Mas não consideraram o suficiente. Partiram então para o combate "cara a cara", desafiando e afrontando a equipe de Curitiba, no seu próprio terreno. Decidiram felizes, satisfeitos e vitoriosos: enxertar no projeto CONTRA a corrupção, a anistia a FAVOR dos que usaram propina e dinheiro sujo, como Caixa 2.  

Aplausos gerais, não só pela ideia rotulada de "genial” por eles mesmos. Mas por anular os efeitos destruidores das confissões que não demoram a serem reveladas. Alguns não concordam. Não entenderam, mas estão sendo cooptados. Usando os mesmos métodos consagrados na conspiração do impeachment. Na Câmara e no Senado. Embora não contem mais com o principal coordenador. Preso e ameaçando com delação. Mas existe outra, mais desesperadora.

Pânico com a delação Odebrecht

Jornalistas de jornais, comentaristas de TV, blusões e sites, não poderão fugir do assunto Lava-Jato, nos últimos 2 anos. Mas na sexta feira, fui o único repórter a revelar: acabaram as conversas com Marcelo Odebrecht e 50 ou 70 executivos e ex-executivos da poderosa empresa. Negociaram quase 1 ano, foi a mais longa. Por um motivo: ninguém tinha a chave de tantos cofres, aqui e no exterior. E com a quantidade de nomes, documentos e quantias (propina) pagas.

Marcelo não se alterou um momento que fosse. Está preso ha mais de 1 ano, se adaptou á nova rotina. Não fez nenhuma exigência. Dizia apenas, sem a menor alteração na voz: "Depois do meu depoimento, vocês podem acabar a Operação, ninguém poderá acrescentar mais nada". E completava: "Estou aqui ha mais de 1 ano, quero ir para casa, inteiramente livre".

Tudo acertado, ficou assim. Condenado há 19 anos, já foi feita a redução para 10 anos. Antes de sair, a condenação estará em 2 anos. Como já cumpriu mais de 1 ano, ficará alguns meses em DOMICILIAR, sem tornozeleira, e depois TOTALMENTE LIVRE. Podendo ir ou fazer o que bem entender,

Dentro das circunstancias, e levando-se em consideração as quase 200 potencias, que seu depoimento irá tirar da circulação, foi um excelente acordo. Fica em liberdade 1 que PAGAVA, são atingidos mortalmente quase 200 que RECEBIAM. Gostaria de saber mais do que isso. Mas meu conhecimento dos fatos, termina com estas revelações.

Policia Federal e Ministério Publico Federal, estão fazendo revisão minuciosa de tudo o que gravaram. È como um escritor que leva 1 ano escrevendo o livro, e 2 fazendo ou reescrevendo o mesmo livro. Os membros da equipe não sabem ainda se revelarão tudo ainda neste turno 2016. Ou se começarão 2017, dando esse presentaço á comunidade, que espera com ansiedade. 

 Vereadores queriam aposentadoria VITALICIA

Foi uma grande vitoria da opinião publica. Vereadores do Rio, apresentaram projeto garantindo para eles mesmos, aposentadoria para toda a vida. O que significa ou significaria esse fato? Qualquer vereador, eleito 3 vezes seguidas, ou 4 com alternância, teria direito a ir para casa, tenha a idade que tiver, com aposentadoria integral.

Houve movimento de protesto, retiraram o projeto. Mas achando que não era muito forte, voltaram a colocá-lo em pauta, para votação imediata. Alguém teve a idéia de recolher pela Internet, assinaturas para um manifesto de protesto. Em menos de 15 minutos, já haviam 70 mil assinaturas online.

Os vereadores souberam, convocaram sessão extraordinária para votar o projeto. Por 40 a zero, foi recusado e derrotado. Isso na Câmara de Vereadores. A Alerj estava funcionando, seu presidente, o notório Jorge Picciani, presidindo a sessão, afirmou: "Fui consultado, imediatamente fiquei contra".

A opinião publica deve guardar e espalhar: esse recurso de MANIFESTO online, é um recurso instantâneo contra a corrupção. Fulminante, provocando pânico nos corruptos.
Desemprego

Todo dia o Ministro da Fazenda está na televisão, com afirmações fantasiosas. A de ontem: "O desemprego começará a cair em 2017". Ora, o que economistas e especialistas independentes se fartam de ensinar: "Numa economia em crise, o primeiro a ser atingido é o emprego. E o ultimo a se recuperar, é o desemprego". Explicação: a crise começa com o desinvestimento. E a recuperação e a retomada do emprego, só com investimento. O Ministro fala em 2017. Quando será isso?

PS- Quinta feira passada, o barril de petróleo estava a 50 dólares em Nova Iorque, e 51 em Londres. Ontem fechou a 45 em Nova Iorque e 46 em Londres. Não compartilho de jeito algum com o entusiasmo no exterior. Acredito que no final deste 2016, o limite não passará de 45 a 50.

PS2- Dona Dilma, que estava interessada em eleição, pelo fato de não ter perdido os direitos políticos, parece que mudou de rumo. Por não ter ido votar, surpreendeu até amigos. 

PS3- Alguns, antes do domingo, diziam a ela: "Não adianta disputar eleição e até ganhar, não vai recompor a carreira". E acrescentavam: "Para isso, tem que disputar a presidência em 2018". Contam que ela ficou extremamente preocupada. Talvez por isso, não tenha saído de casa no domingo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário