Editoria: Helio Fernandes. Subeditoria: Roberto Monteiro Pinho

domingo, 28 de agosto de 2016

Temer prorroga a DRU até 2023. Coincidência?  As viagens depois de efetivado.

HELIO FERNANDES

O presidente provisório conseguiu com muita e generosa recompensa, o que todo presidente de fato, sonha em obter. Movimentar livremente, 30 por cento de toda a receita extorquida do povo. Dona Dilma tentou, nenhum sucesso. Seus ministros e sua base, serviram-se dela. Afastada e agora sendo triturada no Senado, no ultimo capitulo da usurpação-traição-conspiração.

Desde quinta- feira, varando madrugadas, voltando logo pela manhã, até o momento em que escrevo,baixaria em alto grau. O presidente Lewandowsk tem que exercer toda a competencia e habilidade, aprendida e apreendida em dezenas de anos no Supremo, para chegar a algum resultado. Precisa ir suspendendo a sessão, para que não se transforme em ring de boxe, sem nenhuma atração.

Esse duelo verbal sem categoria, tem que acabar, hoje, segunda feira. Pois hoje começa o depoimento de Dona Dilma. Que tem que terminar dentro de 48 horas, dia 31, com a votação, amplamente assegurada e vitoriosa da usurpação. No mesmo instante em que for apregoada a vantagem ampla, garantida pela coordenação, cooptação, compartilhação,

Temer será empossado. Pela segunda vez. A primeira como interino. A segunda como efetivo, até que o TSE se manifeste E apesar de presidido pelo senhor Gilmar Mendes, convoque eleição direta. E emposse o terceiro presidente deste ano de 2016. Que ninguém sabe quem será.Mas que haja o que houver, não será em hipótese alguma,pior do que Dilma e Temer.Juntos ou separados.

Enquanto os senadores vão se devorando ou se entre devorando, Temer tentava resolver duas situações que o atormentavam. A primeira, antes de viajar. Precisava obter o que Dona Dilma tentou com insistência e não conseguiu: aprovar a DRU. Significa que o presidente da Republica pode movimentar 30 por cento do orçamento, livremente, como bem entender. Praticamente um terço de todas as receitas.

Quase com os mesmos Ministros de Dona Dilma e a base partidária anterior, nenhum problema. E fixou a data de duração dessa DRU, num tempo que deve preocupar todos os que se julgam presidenciáveis em 2018. Entra em vigor agora. E termina em janeiro de 2023. Não precisam se preocupar, consultar calendários. Vou explicar.

Não é segredo que existe turbulência a respeito de 2018, ou seja, a sucessão, se chegarmos lá. Como partido, o PSDB é o maior que apóia o presidente provisório. E também o que desde já, tem 3 presidenciáveis: Aécio, Serra, Alckmin. Mas todos eles certos de que Temer, já que chegou ao Planalto, não quer sair logo.
Marina, Lula e até Meireles, acreditam nisso. Ele diz a todos: "Nem penso em reeleição". Mas ninguém acredita. Esse janeiro de 2023, é o dia em que acaba o mandato de quem for eleito em 2018. Para tranqüilizar a todos, bastaria a aprovação de uma PEC, proibindo a reeleição.Seria garantida por unanimidade.

O segundo tormento de Temer: as viagens. Não tendo nada o que fazer aqui, e não tendo feito nada mesmo, o melhor é viajar. A China é uma obsessão. Quer sair no
dia 31 ou seguinte, quando se encerra a votação da usurpação. Mas considera pouco, 3 ou 4 dias

Através de intermediários, tentou um convite da França. O Presidente Hollande veio para a Olimpíada, não respondeu favoravelmente. Agora o próprio Temer, fala num convite de Obama. Não consegui confirmar. Mas não é impossível. O certo: Temer fala em tudo, menos governar. E fica apavorado com o TSE, mesmo presidido por Gilmar Mendes.

O passaporte da discórdia

Contei ha dias, a provocação de Eduardo Cunha na Lava-Jato. Mandou o advogado pedir diretamente a Sergio Moro, a devolução do passaporte da mulher. Delegados e Procuradores tinham como certo que não devolveria. Devolveu e com uma declaração: "Ela não está proibida de deixar o país. Se quiser viajar, basta comunicar a este juizado". Cunha vibrou, Procuradores não acreditaram.

Já vinham insatisfeitos. Delegados fizeram investigações altamente competentes, indiciaram Claudia Cruz. Procuradores trabalharam num levantamento profundo no exterior. Constataram com provas irrefutáveis: em apenas uma viagem, gastou mais de 1 milhão. De DOLARES. Em objetos de grife. Deram entrevista á televisão, de grande repercussão. Denunciaram a mulher de Cunha. Até hoje, o juiz não despachou, o pedido continua engavetado.

O showmício ou o showpifio de Renan

Acostumado a dominar integralmente o Senado, junto com Eunicio Oliveira e Romero Jucá (mais Jader Barbalho, este, poderoso, mas escondido por causa da "ficha limpa", agora combatida pelo ínclito Gilmar Mendes) estava irritado de ficar horas, sem fazer nada. Sentado ao lado de Lewandowswk, sem ser consultado para coisa alguma. Decidiu explodir.

Mas não calculou bem o explosivo, foi o mais atingido. Chamou o Senado de "hospício", agrediu muita gente. Foi repudiado pelas coisas que disse sobre a senadora Gleisi Hoffmann. E sobrou para o Supremo. Os Ministros não gostaram de saber dessa "intervenção", feita por alguém indiciado 9 vezes nesse mesmo Supremo. Arrependimento total. Renan pediu desculpas gerais.

Mas Renan tinha outro motivo para quebrar o silencio. Precisava comunicar, que "fez acordo com Temer, a reconciliação entre eles, consumada". O presidente do Senado não contou, mas vai á China com Temer. Foi convidado, não por deferência, mas por desconfiança.Temer considera arriscado ficar fora do país, e deixar Renan aqui, sem nenhuma vigilância.

Temer e Rodrigo Maia

Na sexta feira, conversaram por mais de duas horas. Um único assunto. A viagem de Temer, a posse de Maia, como presidente da Republica. Deu conselhos, repetiu: "Tenho total confiança em você o que não aconteceria se o substituto fosse outro". Nem precisava dizer o nome.

Apesar de na véspera terem sido publicadas noticias desagradáveis sobre 
o pai, não tocaram no assunto. Rodrigo nasceu no Chile, durante "o exílio" de Cesar, até hoje sem explicação. Ele jamais combateu. Voltou, trabalhou 3 anos como economista, foi secretario de Brizola. Um fracasso total foi demitido sem rumor, bem que Brizola queria o contrario.

Prefeito antes da reeleição, foi sucedido pelo Conde. Criativo arquiteto e notável figura, foi melhor do que Maia. Acabou o mandato, já havia reeleição, Maia voltou. Num intervalo, se candidatou a senador, não foi eleito. Voltou a ser prefeito.  Noutro intervalo disputou o governo do estado, outra derrota. Agora vai se reeleger vereador, em 2018 tentará ir mais longe. Como sempre.

Usurpação

Nas próximas 72 horas, apenas um assunto em pauta: o depoimento de Dona Dilma no Senado. Vai até quarta ou quinta feira, quando então já será ex-presidente. Não reverterá 1 voto sequer. Nesse momento, 58 ou 60 senadores consumarão o primeiro holocausto político e individual da historia. Se ela fosse uma grande oradora, tivesse charme, carisma e competência, poderia perder engrandecida. E marcando sua passagem pela vida publica, de forma irrefutável.


Como não existe a menor duvida sobre o julgamento, apesar de "indecisos" continuarem negociando para obterem mais vantagens. E apesar de Temer e seus comparsas insistirem em espalhar, "estamos preocupados com a votação", não ha uma possibilidade em 1 milhão de haver reviravolta.

E Dona Dilma ser absolvida. Todas as duvidas sobre o que acontecerá com ela e seu futuro. Duas hipóteses. Tentei esclarecimento com quem sabe das coisas, não obtive nada. Examinemos então o que pode acontecer, depois que ela for afastada definitivamente.

1- Dois juristas: "O Senado ou o presidente do Supremo, não têm poderes para estender a punição". Insisti, não responderam. Outros dois, sem hesitação: "Fica inelegível por 8 anos, foi o que aconteceu com Collor". Se isso ocorrer, perde os direitos até 2024. Mas só haverá eleição em 2026. Estará então com 73 anos. O usurpador está com 75. E admite a reeleição em 2018, completando 78 anos.

2- Digamos que não perca os direitos. Poderá então disputar eleições livremente. Mas acredito que existem formidáveis interesses contra mantê-la na vida publica. E ela, qualquer que seja o caminho encontrado ou escolhido, será inabilitada por 8 anos. Vale então, a analise que fiz no item anterior.

3- Para que não haja duvida ou controvérsia. Desde o inicio, ha mais 8 de
meses, defendo: "Todo poder ao TSE". Ou seja: cassação da chapa e convocação de ELEIÇAO DIRETA. Não mudei um milímetro. Considero que é a única forma, do povo ter voz e voto. Não é infalível. Mas muito melhor.

4- Com apenas oito meses de existência a Associação Nacional e Internacional de Imprensa – ANI, vem elevando o setor do jornalismo associativo ao seu mais alto patamar. Presente nos dois principais movimentos, o “direito de resposta” que tramita no STF e o Marco Civil da internet, com ênfase a liberdade de expressão. Foi à primeira entidade, depois da Ordem dos Advogados em ter um núcleo de “Defesa das Prerrogativas” dos profissionais da comunicação. Abriu espaço para bloquistas, titulares de setores e outros meios de redes sociais.

5- Com foco nas Olimpíadas, foi à única entidade de classe que se preocupou em inscrever jornalistas no Comitê de Imprensa. E 41 profissionais que cobriram os jogos e todos os eventos do COI. De acordo com seu presidente jornalista Roberto Monteiro Pinho, a meta projetada é de atingir o número de mais de 6 mil associados. Com isso a ANI, desponta para ser a mais combativa e atuante entidade do segmento na atualidade.







Nenhum comentário:

Postar um comentário