Editoria: Helio Fernandes. Subeditoria: Roberto Monteiro Pinho

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Começa a caça a Dilma e a necessária cassação de Temer

HELIO FERNANDES

A partir das 9 da manhã de ontem, pontualmente, teve inicio a ultima fase da usurpação de um presidente incompetente, mas eleito. Por outro, igualmente incompetente, mas que jamais disputou eleição majoritária. O maximo a que chegou foi duas vezes a vice, carregado pela cabeça da chapa, duplamente financiado por dinheiro de propina da corrupção. Assunto e rotina eleitoral, que ele conhece muito bem. E desde sempre. Jamais poderia ser presidente, mesmo provisório.

Como vice e se arrogando a condição de constitucionalista, poderia ou deveria ter alertado a presidentA, (como os subservientes chamavam) "isso pode ser caracterizado, mais tarde em crime de responsabilidade". Ficou em silencio, usou o fato contra ela, na fase da USURPAÇÂO. Posição revoltante, exercida e assumida por ele, com a cumplicidade comprometida e comprometedora do corrupto Eduardo Cunha.

Agora, o que era usurpação, se transformou no julgamento do crime de Responsabilidade. Com o vice já presidente provisório. E esperando ser efetivado na próxima quarta feira E será. Usou todo o poder do caixa palaciano para cooptar o maior numero de senadores. Não sobrou ninguém, aparentemente avançou sobre o próprio grupo adversário. Esse festival de impaludismo verbal, irá durar até a próxima quarta feira. Com todas as televisões transmitindo.

Existem coisas mais importantes a noticiar, como por exemplo, a avalanche desequilibrada e destruidora, contra a Lava-Lato. Comandada pelo extravagante Ministro Gilmar Mendes. Aplaudido com entusiasmo por advogados  
 que têm até 13 "clientes" já condenados como empreiteiras roubalheiras. E na iminência de receberem a segunda condenação.

E favorecendo dezenas e dezenas de políticos, assustados com a Lava-Jato. Para todos eles, Gilmar Mendes "caiu do céu. Mas impensadamente, está muito mais perto do inferno. Tratarei disso, assim que comentar a abertura desse debate pífio que irá durar uma semana.

O Ministro Lewandowski começou a sessão, lendo tudo que havia sido combinado com senadores, que inesperadamente se transformaram em julgadores. Muitos deles, usando a própria palavra, e acrescentando: "Estou aqui. não mais como senador e sim como julgador”. Que vergonha.

Logo, logo, o tedioso, ominoso e pomposo líder do PSDB, Cassio Cunha Lima, usou da palavra. Repetiu o mesmo lugar comum que vem usando há três meses. Como se julga interprete de Deus e porta-voz do povo, repete: "Temos que acabar rapidamente com este processo. A comunidade que confia em nós, não suporta mais tanta PROCRASTINAÇÃO". Coloquei em maiúscula, pois ele já usou essa palavra quase uma centena de vezes.

Às 13 horas, primeira paralisação, quatro horas perdidas. Monótonas. Voltaram ás 14, reapareceu a jurista com vocação de judoca. Espalhafatosa. Cansativa. Falando em injuria. Calunia. Difamação. Discursou também o senador Fernando Coelho. Ia ser Ministro. Mas como o provisório está com gente de mais, citada na Lava-Jato, não pôde nomea-lo.

Mas o que vale é o troca-troca, nomeou o filho de 30 anos, naturalmente ainda sem credenciais. Essa chatice vai até a próxima semana. As TVs cancelam programa interessantes, ficam o tempo todo focalizando isso que vem sendo discutido ha 3 meses. E Temer no Jaburu, "colado”, estão traçando o seu futuro. Que pode não ser tão longo.

Pesquisas municipais, no Rio e em São Paulo

São 5 mil e 570 municípios. Mas importantes mesmo, esses dois. Pelo volume de eleitores, e a participação de personagens, na suposta sucessão presidencial de 2018. Muita gente acredita que chegaremos lá. Como sempre no Rio e em São Paulo, Crivela e Russomano saem na frente, mas acabam em terceiro ou quarto.

No Rio Pedro Paulo está em quinto. Apoiado por Eduardo Paes, lastreado pelo sucesso da Olimpíada. Mas tem que se livrar da pecha de bater em mulher.
Em São Paulo, João Doria disputa a primeira eleição, empurrado pela maquina do estado. E pelo patrocínio pessoal do governador Alckmin. Com tudo isso, Doria está em quinto, perto do sexto.

O debate da Bandeirante

Como sempre, faz o primeiro encontro entre candidatos. Adversários vetaram Luiza Erundina. Deviam convidá-la. Uma honra debater com ela. Existem muitos candidatos, alguns nem figurantes são. Não dá para expectativas, é o inicio. O major Olimpio foi incisivo, não perdeu oportunidade de se apresentar. E se apresentou bem. O prefeito Haddad, tenta a reeleição. Fez boa administração. È o mais credenciado. Mas paga o preço do descaminho e do desacerto nacional do PT. Pode ganhar. Devia ganhar. Mas enfrenta enormes obstáculos.

Marta Suplicy

È a candidata dela mesma, com uma saudade de 16 anos. Que só ela sente. A população da capital sofre, quando lembra de 2000 a 2016. Foi a sua primeira eleição, triunfante, ei-la prefeita da maior cidade do Brasil. Mas que fracasso. Retumbante. Estrondoso. Só ela não viu, se candidatou á reeleição em 2004. Identificada como "aumentadora de impostos", desapareceu. Não entendeu nada, tentou outra vez em 2008, com apoio de Maluf. Até hoje estão contando os votos que ela não teve.

Em 2010, um relâmpago de esperança. Todo o PT sabia que Lula procurava uma mulher para sucedê-lo. Seria a primeira mulher presidente da Republica. Um trunfo poderoso para a sua volta ao Planalto. Queria uma mulher, mas que fosse, também incompetente e inexpressiva. Era Dilma Houssef. Tudo que está acontecendo hoje, conseqüência da sua onipotência e auto-suficiência. E lógico, da reeleição, inventada e comprada por FHC.

A própria Marta confessou: "Quando eu soube da escolha do Lula, chorei. Considerava, que seria presidenciável obrigatória"

Marta abandona o PT, entra no PMDB

Tendo perdido a chance de ser candidata do Lula, aproveitou a oportunidade. E na primeira eleição a seguir, se candidatou ao senado. Nenhuma chance de vitoria. Orestes Quércia e Romeu Tuma, candidatos á reeleição, franco favoritos para as duas vagas. Aí aconteceu o inesperado. Surpreendente. Jamais se repetirá. Quércia e Tuma morreram durante a campanha. Marta ficou disputando uma das vagas com Netinho de Paula, ganhou por miséria de votos.

Apesar de ter blasfemado publicamente contra Dona Dilma, foi duas vezes ministra dela. Cultura e Turismo, sem o menor constrangimento. E participou do desgoverno, é participante de tudo o que está acontecendo. Quando completou 70 anos, (ha muito tempo) deu uma festa nacional. E fez duas revelações, num discurso para as centenas de convidados: "Estou deixando o PT, e entrando no PMDB, a convite do vice Michel Temer". (Ainda longe da campanha da conspiração traição).

Fez uma parada e terminou: "Serei candidata a prefeito de São Paulo em 2016". É agora. Só que sua campanha é uma tristeza só. Em todas as oportunidades, lembra "dos meus 4 anos, reconstruindo a cidade que adoro". Recorda o que os telespectadores e futuros eleitores, querem esquecer. Conhecida como "aumentadora de impostos", devia abandonar o assunto eleição. Longe disso.

Já admite ser vice de Meirelles em 2018. E compara seu futuro possível da promoção a vice, com o que aconteceu com Temer. Mas continua repetindo escandalosa e grotescamente: "O PT acabou. Enterrei 33 anos da minha vida lá. Tenho que recuperar alguma coisa".

PS- O Procurador Geral, Rodrigo Janot, é exaltado e aplaudido pelo Brasil todo. A população inteira confraterniza com a equipe da Lava-Jato. E 75 mil Procuradores já cumprimentaram Janot.

PS2- Para Gilmar Mendes, só repreensão e execração. Se houvesse impeachment para Ministro do supremo, Gilmar não escaparia. Nem ele nem Dias Toffoli.


PS3- Gilmar Mendes por desarranjo intelectual e verbal.  Toffoli por incompatibilidade com o cargo. Advogado geral da União, depois assessor do chefe da casa civil, não pode ser ministro do supremo.

3 comentários:

  1. É esse debate que teremos que aturar até a próxima quarta-feira? Bem típico deste Congresso Nacional que não representa nada! Como acreditar que o Senado teria postura diferente da Câmara dos Deputados? Poderia fechar este antro (Congresso Nacional) que além de não fazer falta, seria um bem para o povo brasileiro! Assim seria economizado milhões de reais em custos desnecessários! E ainda, o país estaria livre destes comerciantes de decisões, verdadeiros gigolôs políticos! VERGONHA!!!!

    ResponderExcluir
  2. O Sr. verdadeiramente acredita q o TSE irá cassar a chapa Dilma/MiShel? Como eu gostaria de ter essa esperança. Seria apenas preciso acreditar q o judiciário está fora do golpe. Esse é meu problema.

    ResponderExcluir
  3. O Sr. verdadeiramente acredita q o TSE irá cassar a chapa Dilma/MiShel? Como eu gostaria de ter essa esperança. Seria apenas preciso acreditar q o judiciário está fora do golpe. Esse é meu problema.

    PS_Se possível, peço apagar o texto como anônimo.
    Grato

    ResponderExcluir