Editoria: Helio Fernandes. Subeditoria: Roberto Monteiro Pinho

quarta-feira, 31 de agosto de 2016

*ESPECIAL IMPEACHMENT NO SENADO - IV

Ainda não começou a decisão definitiva e já resolvida antecipadamente

HELIO FERNANDES

São 10 horas em ponto. O plenário completamente vazio. Varias vezes devassado pelas câmeras de televisão. E principalmente pelas câmeras da brilhante cineasta Ana Muilaert, que faz importante documentário. Que pretende exibir nos cinema, o mais rápido possível. Movimento em vários gabinetes. Muitos ou quase todos, que pretendem dizimar a presidente eleita, reeleita, afastada, e agora destroçada. Querem que a destruição seja para sempre.

Movimento maior e exagerada angustia no Jaburu Quase lotada antes das 9, todos querem cumprimentar, bajular e até soterrar de abraços,assim que a votação tiver  sido anunciada. Temer repete: "A que horas tomarei posse?". Ou então, variando um pouco: "Dará para viajar hoje?". Ninguém responde, não sabem ou já responderam. Mas ele insiste na obsessão.

Poucos dormiram. Temer nem tentou, sabia que não conseguiria. Moreira Franco saiu do Jaburu ás 23 horas, foi para casa. Tinha a incumbência mais difícil e até impossível. Traduzir e redigir num  discurso á Nação, as ideias que Temer não tem. E os compromissos que não irá cumprir. Isso se não for cassado agora pelo TSE. Seria admirável, haveria eleição direta. Moreira terminou quase pela manhã, nem mostrou ao provisório. Desde a carta a Dilma, se considerando "decorativo" tudo sai da imaginação do ex-governador.

São 11 horas, a sessão não começa, nem ha informação. Uma das primeiras a chegar, embora não vote, é a jurista-judoca, Don a Janaina, que é cumprimentada,por ter  discursado, na véspera, chorando. Segundo ela, "de tristeza e arrependimento, por ter derrubado uma presidente mulher'". A primeira a ter sido eleita e reeleita

*Cobertura exclusiva para o blog do jornalista Helio Fernandes


Nenhum comentário:

Postar um comentário