Editoria: Helio Fernandes. Subeditoria: Roberto Monteiro Pinho

domingo, 31 de julho de 2016

Mauricio Azedo, nome de rua. Lula e PT, praticamente sem rumo. Em 8 anos, na Casa Branca, a segunda mulher, e negra.

HELIO FERNANDES

Justíssima a denominação de uma rua com o nome do grande jornalista. Reverencia homenagem, lembrança. Foi um dos presos mais cruelmente torturados. A inócua, inútil e exibicionista (com exceção de dois membros) Comissão da Verdade, esqueceu dos fatos mais revoltantes como esse. Para a Comissão, os 14 meses de prisão e tortura de Azedo, não existiram. Tempos terríveis, historia verdadeira, fatos inesquecíveis, de uma tragédia que durou 21 anos. O que aconteceu com o jornalista, aconteceu com muitos outros personagens.

Excluídos os que morreram, ninguém foi tão violenta e insensivelmente violentado quanto Mauricio Azedo. E teria morrido, inevitavelmente, nas masmorras da ditadura. Se não tivesse existido um homem chamado Prudente de Moraes neto.  As redações eram devastadas, os jornalistas se empilhavam no DOI-CODI, fundado e comandado pelo General Orlando Geisel. Queria ser "presidente", ficou apenas como Ministro da Guerra. O "presidente" foi o irmão Ernesto. (Nada a ver com "A importância de ser Ernesto" do notável. Oscar Wilde. Mesmo porque os dois irmãos tinham horror a livros).

Um grupo grande de jornalistas, decidiu mobilizar a ABI, mas com um presidente que simbolizasse a resistência. O nome surgiu logo, Prudente de Moraes, neto. Escritor, advogado, jornalista. Consultado, recusou, citou outros nomes. Diante da insistência, assumiu. Começou investigação, descobriu mais do que sabíamos. Mas logo se impressionou com a situação de Mauricio Azedo. Começou contato com generais.

Duas ou três vezes por semana, saía da ABI, ia a pé e sozinho, ao Ministério da Guerra, perto da Central do Brasil. Ali, onde nasceu a republica, que não é a dos nossos sonhos. Na primeira vez, chegou ao gabinete do Ministro, disse que queria falar com ele. Surpreendidos, pediram que se identificasse, respondeu: "Prudente de Moraes, presidente da ABI". Foi recebido imediatamente. Conversaram, Prudente ia sem avisar. Assíduo, recebia noticias alarmantes sobre Mauricio Azedo. Esse tormento levou meses.

Um dia, de surpresa, atende um telefonema direto do Ministro, pedindo que fosse lá, com urgência. Eram quase vizinhos, chegou logo. O Ministro estava sem nenhum assessor, apenas um oficial, não sabia quem era. O Ministro apresentou: "È o coronel comandante do Codi-Doi". Fez um sinal, o coronel falou: "Amanhã, ás 9 da manhâ, o jornalista Mauricio Azedo será libertado, o senhor pode ir buscá-lo. Recomendo ir de carro e com mais duas pessoas". Com outro gesto do Ministro, foi embora.

Prudente também não demorou, voltou para a ABI, preocupadíssimo. Deu uma serie de telefonemas, i mprescindiveis. Á noite foi para casa, morava no Meyer, ia sempre de bonde. Não conseguiu dormir, as instruções do comandante do CODI, alarmantes. Às 9 em ponto, tres pessoas sairam com um vulto, pela porta, que tinha a inscrição: "PIC, Pelotão de Investigação Criminal". Prudente e os dois amigos, seguraram o vulto, que era o Mauricio.

O fotografo que Prudente convocara, imediatamente "flagrou" a cena indescritível: Prudente e Mauricio, abraçados, chorando ininterruptamente. Os militares violentamente, tomaram a maquina fotográfica das mãos do repórter. Este, competente e experiente, conseguiu esconder uma. Publicada, provocou emoção e comoção, não sei onde está.

Prudente levou Mauricio para o Hospital Souza Aguiar (nome de um general), ali perto. Ficou 2 ou 3 dias, foi para uma clinica particular. Quase 1 mês em recuperação. 20 anos depois, por aclamação, Mauricio era presidente da ABI. Prudente já não estava vivo. Mauricio deu inicio a uma reformulação e recuperação do órgão.

Com a morte de Mauricio, morreu também a ABI. O presidente que assumiu, destrói tudo, acaba com a grande ABI do passado. Não se salva da destruição, nem o belíssimo prédio, projeto dos três grandes arquitetos, irmãos MMM: Mauricio, Milton e Marcelo.

(Tudo isso é contado de memória, lembrança com a noticia de que haverá uma rua chamada Mauricio Azedo. Os que morarem nessa rua, poderão ficar orgulhosos. E recordar que houve uma ditadura que não é orgulho para ninguém. Nem para a Historia do Brasil)

O PT está perdendo Lula, Lula pode não precisar do PT

O ex-presidente não está sendo perseguido. Simplesmente é cobrado, com grande atraso. Pelos erros, equívocos e até crimes que cometeu como Presidente. Em 2005, em pleno julgamento do mensalão, escrevi no jornal impresso: "O presidente Lula devia estar respondendo, junto com os outros que aparecem como réus". Não foi incluído, pela vontade soberana e ditatorial, do relator Joaquim Barbosa.

Engavetador de processos, sem justificativa. Retirou do processo não só Lula, mas também o distribuidor das verbas de publicidade do governo (já morreu), e o marqueteiro Duda Mendonça. Que foi absolvido e autorizado a ir receber em Portugal, 10 milhões que "lhe deviam". Não precisou nominar ninguém.

Afirmei, textualmente, ha 11 anos, que Lula sabia de tudo. Como não saber, se o deputado Roberto Jefferson, que detonou tudo, revelou publicamente: "Contei ao presidente Lula, PESSOALMENTE, o senhor está sendo traído dentro do palácio". Não aconteceu nada a Lula. O autor das denuncias, condenado. Lula inocentado. E os tesoureiros do PT, daquela época até agora, presos e responsabilizados. E os membros da cúpula do partido, apavorados que quebrem o silencio e contem o que sabem. Que estarrecerá a equipe da Lava-Jato.

Agora, Lula se surpreende com o volume de acusações, de investigações, de processos. Quando começou a ser acusado de corrupção no mensalão, depois no petrolão, veio com o primeiro jargão-bordão: "Duvido que exista no mundo, uma pessoa mais honesta do que eu". Serviu para "justificar" o triplex, o sitio, tudo agora provadissimo.

E ele não é réu do juiz Sergio Moro, foi denunciado pela Justiça Federal de Brasília. Não esquecer das denuncias, "sobre a fortuna que recebeu, por conferencias que não fez". Naquela época, se julgava inatingível, respondia com gozação: "Todo mundo quer me ouvir, eu cobro mais caro do que o Bill Clinton".

Desesperado, sem saída, não age mais com a arrogância antiga, aceita "conselhos disparatados", como esse de recorrer á Comissão de Direitos Humanos da ONU. O recurso é contra o Juiz Sergio Moro. Mas atingido é o país. A Corte não deve aceitar o pedido. Mas haja o que houver, o mundo inteiro lamenta e comenta o fato desagradável. E Lula recorre a outro jargão, adaptado do primeiro: "Duvido que exista alguém que respeite mais a Lei do que eu". Só que contratou um dos advogados mais caros dos EUA.

Lula não sairá tão cedo das manchetes negativas. Está ameaçado em duas frentes fundamentais e entrelaçadas. Tem certeza que pode ser preso, embora considere que seja mais uma perseguição, logo será solto. È possível.

Mas a segunda frente ou hipótese, essa é irrecorrível. Sua candidatura para 2018, se é que chegaremos lá, desapareceu. Isso se acreditarmos que existiu em algum momento. O PT, ha muito que se julga sem candidato, e sem possibilidades de voltar ao poder.

Os EUA, no caminho pacificam da Revolução sem sangue e sem armas  

Não foi o Partido Democrata e sim a Historia que marcou a convenção para a Filadélfia. Foi lá que tudo começou, a partir de 4 de Julho de 1776. Era um território enorme, sem nome, com 11 províncias (depois 13), de propriedade da Grã-Bretanha. Na, Filadélfia, começou todo o movimento da Independência, e a seguir a Republica. Desafiaram os poderosos senhores da terra, 6 anos de luta terrível. Os ingleses se renderam em agosto de 1781. A Independência assinada em Versalhes, quase 1 ano depois, 1782.

Superaram tudo, menos o preconceito contra os negros, por causa da burrice e intolerância do Sul racista. Lincoln foi assassinado em 1865, por causa disso. Embora 1 ano depois fosse aprovada em 1866, a emenda que acabava com a escravidão. Que resiste na pratica até hoje. EUA, Brasil e Cuba, foram os três últimos países a se libertarem da escravidão. Apesar de continuar a perseguição apenas por causa da diferença na cor da pele.

 Mas os EUA, apesar da covardia, do racismo, contraditoriamente estão num caminho de recuperação. Hillary, a primeira candidata mulher, ganhará com mais facilidade do que algumas pesquisas deixam entrever. Ninguém perde para um personagem como esse execrável Trump.


Com isso, dentro de 8 anos, em 2024, (a eleição, a posse será em 2025) poderá ou deverá entregar o cargo á segunda mulher e ao mesmo tempo, o segundo negro. Lógico que falo de Michelle Obama. Hoje tem menos 25 anos do que Hillary, e todas as condições para seguir a trajetória do marido. Não estou prevendo nem adivinhando como Carlos Lacerda dizia. È apenas o exercício da analise. Nem estarei aqui. Se acontecer, simplesmente acendam uma vela, e digam: "O Helio era um bom analista".

Nenhum comentário:

Postar um comentário