Editoria: Helio Fernandes. Subeditoria: Roberto Monteiro Pinho

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Impeachment no Senado: crônica de uma farsa planejada. O Supremo no centro de tudo. Sergio Moro aplaudido

HELIO FERNANDES

È quase um jargão popular: "O Supremo tem sempre a ultima palavra e não pode ser contestado". Não quero contar a Historia do mais alto tribunal do país, que conheço como poucos. A ultima vez em que critiquei dura e coletivamente o Supremo, foi quando aprovaram e validaram por UNANIMIDADE, a "anistia ampla, geral e irrestrita". Os 11 Ministros aceitaram e aplaudiram a transformação de generais assassinos em juristas sem togas ou títulos relevantes.

O Supremo deu validade a um documento espúrio, que só beneficiava os generais, que foram inocentados por eles mesmos. Ninguém foi consultado. A oposição altiva e altaneira, que combateu o bom combate, ficou isolada e sem ser ouvida. Enquanto os generais, depois de 21 anos de truculência e violência, se retiravam para o cenário eterno, impunes e homenageados. Ao contrario do que aconteceu na Argentina e no Chile, onde pagaram com a perda da liberdade e dos direitos, que cassaram de centenas de milhares.

Agora, Ministros individualmente, sem o protesto de ninguém, votam pelo absurdo, mas protegendo amigos e antigos correligionários políticos. O mais assíduo nesse tipo de extravagância é o Ministro Dias Toffoli. Preso por determinação da Justiça, o ex-ministro Paulo Bernardo foi libertado pelo Ministro Toffloli. Justificativa para a libertação: "Ele estava num apartamento FUNCIONAL,não podia ser preso". Solto, logo rotulei o caso de "jurisprudência Toffoli".

Não demorou muito, Paulo Bernardo foi novamente preso. E acusado de "patrono" de um desfalque de 100 milhões, ele prioritariamente beneficiado. Com ele, outros participantes dessa corrupção.Como o próprio Ministro afirmou, "são amigos íntimos de longa data, Paulo Bernardo e a mulher,Gleisi Hoffman, também indiciada.Em outro processo.

Novamente na iminência de ser solto, o Procurador Geral Janot, entrou com pedido junto ao Ministro Zavascki, com recurso, para que a libertação seja impedida.
E a concepção estranha e inadequadamente, chamada de jurídica, atinge o Ministro Toffoli no exercício da presidência do TSE. Com projetos do PSDB e do senador Aécio Neves, pedindo a cassação da chapa,indicou como relatora, a Ministra Maria Tereza.

Por conhecimento e confissão dela mesma, a relatora é contra a cassação da chapa. Entraram outros pedidos iguais, o que fez o então Presidente Toffoli? "Reunificou" as diversas ações, continuando a ministra como relatora de todas. Já está com ela há quase 8 meses. Não dá sinais de terminar o trabalho, nem ninguém cobra nada. Eu sei o relator não tem prazo.
O novo presidente do TSE, Gilmar Mendes, tão esdrúxulo quanto Toffoli, tomou posse, garantindo: "Muitas coisas vão mudar por aqui, no TSE". Já completou 3 meses, não mudou nada. Quem não tem ideias, não pode modificar as ideias que os outros também não têm.

Para terminar por hoje, com o importantíssimo Supremo O presidente Ricardo Lewandowski, quer ficar no cargo, até o dia 14 de setembro, apesar do seu mandato terminar bem antes. Dois motivos para essa "permanência". Tentar influir num possível alongamento da votação do impeachment, o que irrita revolta e assusta Temer. E no plano interno, conseguir colocar em pauta, o projeto que revoga a decisão do plenário, que determina a prisão de um condenado em segunda instancia.

O próprio Lewandowski desrespeitou o julgado, mandando soltar um preso condenado pela segunda instancia. Presidente do Supremo, defende os recursos protelatórios, que modificam inteiramente o sentido da Justiça. Com royalties para Rui Barbosa: Justiça que tarda não é Justiça. Ou para Millor Fernandes, enfrentando a ditadura: A Justiça farda mas não talha.

Impeachment: acabou a primeira fase da farsa

Tudo aconteceu de acordo com o planejado. Começou com a indicação "unânime' do senador Anastasia, que não praticou o menor desvio. E não decepcionou Aécio Neves, nem os outros coordenadores. E sua velocidade, um portento. "Leu" as 534 laudas da oposição, redigiu as mais de 200 tidas como de sua autoria. Tudo em menos de 24 horas.

Passaram rapidamente á votação, nenhuma importância. Eram 21 com direito a voto, o resultado de 14 a 5, perfeito. Faltaram 2, talvez um acordo de contrários. Até suplentes sem direito a voto, falaram, se exibindo para o planalto. Como o senador Cristovão Buarque, lembrando que ministro de Lula, foi demitido pelo telefone. Isso ninguém esquece.

Os 14 a 5 projetados para o plenário, confirmam minha constatação repetida. O presidente provisório terá 60 votos. Provando que a cooptação foi brilhante, estimulante e reluzente. Mas não significa expectativa positiva.

Sergio Moro: consciente e aplaudido  

Sobrio, incisivo, conciso, definitivo. E consistente, exatamente como redige suas decisões. Examinou os 10  itens, um por um, de forma contundente e esclarecedora.Não deu o menor sinal de que a Lava-Jato esteja caminhando para o final. È evidente que terá um fim.Mas nada a ver com o titulo da prisão, importante, dos executivos da Queiroz Galvão.:"Resta 1".Pode significar que foi a ultima empreiteira roubalheira que faltava.Mas não o fim da Lava-Jato.

Falando sempre de improviso, conquistou a todos. Foi contundente contra o foro privilegiado, baseado na própria Constituição, que estabelece:"Todos são iguais perante a lei".Defendeu objetivamente uma Lei contra a corrupção.O que está explicito e mais do que implícito em cada um e em todos os 10 itens do projeto, com mais de 2 milhões de assinaturas.

A Olimpíada e a hipocrisia do governo

Temer passou o dia preocupado. Não gostou da reunião de Lewandowski com os senadores. E o consenso sobre os 24 itens. O Presidente do Supremo não aceitou sessões aos sábados e domingos. Temer sentiu saudades do amigo Cunha, irrepreensível. Está com medo que não possa viajar para a China como efetivo. Chegou a dizer a áulicos, que fingem de assessores: "Como provisório não viajo". Viaja, ora se não viaja. Mas pelo menos 60 votos estão garantidos.

Temer treme com as palavras que pronunciará hoje, no Maracanã: "Está aberta a Olimpíada", não mais do que isso. Não sabe se as vaias virão antes ou depois da fala. Acho que logo que ele falar. Eliseu Padilha, ministro de FHC, Dilma e Temer, prepararam o terreno: "Não estamos preocupados, vaia faz parte da democracia". E o governo obtido sem votos, longe do povo, faz parte de que democracia? 
Todos os ex-presidentes, foram convidados para a Abertura. Nenhum aceitou.


A Abertura receberá o entusiasmo do povo. Preocupação geral: até ontem, só o presidente da França havia chegado. Dos 100 anunciados inicialmente, 45 confirmaram, será que nem esses estarão presentes? Estou falando da quantidade, pois a qualidade, completamente deteriorada.

2 comentários:

  1. Nosso Rio de Janeiro, amado e maltratado, belo e poluído, alegre, apesar das tristezas cotidianas.

    Todos sabem do pão escasso e do circo armado, do esgoto aberto e do portão fechado para o trabalhador. Do superfaturamento e da esmola disfarçada de legado.

    Ontem, hoje, amanhã, sempre é tempo de amar este imenso país, sua cultura e diversidade, sua gente guerreira que tudo enfrenta com ânimo forte.

    Brasil sintetizado nas emoções em relação ao ponto de acumulação em longa história, linda cidade cultural em nossa pátria memória.

    Ninguém melhor do que Vinícius de Moraes para presenciar e expressar o que sentimos neste momento.

    "Tristeza não tem fim
    Felicidade sim

    A felicidade é como a pluma
    Que o vento vai levando pelo ar
    Voa tão leve
    Mas tem a vida breve
    Precisa que haja vento sem parar

    A felicidade do pobre parece
    A grande ilusão do carnaval
    A gente trabalha o ano inteiro
    Por um momento de sonho
    Pra fazer a fantasia
    De rei ou de pirata ou jardineira
    Pra tudo se acabar na quarta-feira

    Tristeza não tem fim
    Felicidade sim

    A felicidade é como a gota
    De orvalho numa pétala de flor
    Brilha tranqüila
    Depois de leve oscila
    E cai como uma lágrima de amor

    A felicidade é uma coisa boa
    E tão delicada também
    Tem flores e amores
    De todas as cores
    Tem ninhos de passarinhos
    Tudo de bom ela tem
    E é por ela ser assim tão delicada
    Que eu trato dela sempre muito bem

    Tristeza não tem fim
    Felicidade sim

    A minha felicidade está sonhando
    Nos olhos da minha namorada
    É como esta noite, passando, passando
    Em busca da madrugada
    Falem baixo, por favor
    Pra que ela acorde alegre com o dia
    Oferecendo beijos de amor"

    Vinicius de Moraes

    ResponderExcluir
  2. Hélio, cordiais saudações!
    Escreva sobre os quase 15 milhões de desempregados. Sobre os 65 milhões de cidadãos contribuintes eleitores que estão no SPC e das 147 mil empresas comerciais que fecharam as suas atividades. Principalmente desde 2015 para cá. Não há nada mais que incomode do que isso!!! Não adianta ficar remoendo o passado. Concorda? Vamos acertar o futuro. Exponha as suas possíveis idéias para reverter este quadro.

    ResponderExcluir