Editoria: Helio Fernandes. Subeditoria: Roberto Monteiro Pinho

terça-feira, 13 de junho de 2017

PMDB-PSDB: A PARCERIA DA BAIXARIA

HELIO FERNANDES

Antes da farsa de ontem, na tumultuada e contraditória reunião do PSDB, eu já havia escrito duas vezes sobre o mais do que visível e previsível apoio do partido ao governo Temer.(Sem contar as duas vezes em que analisei os dois discursos do governador Alckmin, apoiando, entusiasmado o governo Temer, "por causa das reformas").

Com nome e sobrenome, constatei que o PSDB não sairia, e que esse encontro, e negociação coordenados por Romero Jucá, resultaria na mais execrável indignidade. Foi pior do que eu havia examinado, redundou na mais completa exibição de  irresponsabilidade e falta de credibilidade. Dos dois lados.

 A reunião foi demorada, tumultuada, dominada pela intimação intimidação de Romero Jucá: "Se o PSDB abandonar o governo neste momento, o PMDB votará favor da prisão do Aécio Neves". O jovem presidenciável desde 1998, quase 20 anos depois se transforma numa simples moeda de troca.E O PSDB, que era anunciado como completamente dividido,  se uniu automaticamente, com 3 restrições, todas torpes,farsantes, dúbias e solertes.

1-Apoiaremos o governo em nome das reformas, o Brasil  está acima de desacordos pessoais ou  partidários.

2- O apoio a Temer não significa que abandonaremos o que foi julgado pelo TSE. Estamos preparando um recurso para o Supremo. O PSDB é o autor da ação que foi julgada. Seria humilhante, se ficássemos silenciosos. Impressionante que no auge da degradação, o PSDB recorra a essa palavra. È lógico e evidente que o PSDB não recorrerá ao Supremo.

3-Reexaminaremos o apoio, se surgirem  FATOS NOVOS. O que pode obter essa denominação ou identificação, em se tratando do volume e da diversidade das acusações contra Temer e seu governo miserável e impopular? Como recebeu os irmãos Batista mais de 20 vezes nos porões do palácio em conversas criminosas, para o PSDB, FATO NOVO, seria Temer ir a Nova Iorque para encontros com os irmãos corruptos- corruptores.

Levando o chanceler Nunes Ferreira, entusiasta da parceria PMDB-PSDB. E o ministro sem toga que presidiu a bandalheira do TSE, e pode ser conselheiro, em qualquer eventualidade. Temer nem usaria o avião presidência, utilizaria o jatinho JBS, que ele conhece muito bem.

FORO PRIVILEGIADO

Ha 15 dias o Supremo examinou o fim dessa excrescência, que se choca com a Constituição. O relator, Roberto Barroso, um voto magistral, soberbo, irrefutável.  Vem defendendo o fim dessa excrescência inconstitucional, disse isso no voto.

Depois dele, votou o ultimo e surpreendente Ministro, Alexandre de Moraes. Falou por mais de uma hora, não votou mas defendeu abertamente o privilegio. E pediu vista. Um absurdo. Como protesto, 3 ministros anteciparam o voto, incluindo a presidente que é a ultima a votar.

No mesmo dia escrevi que ele demoraria a devolver o processo. Duas semanas e nada. 

3 DELAÇÕES ESPERADAS E RETARDADAS

Pela ordem da prisão. Lucio Funaro, Palocci. Rocha Loures. O primeiro está preso ha 2 anos, ligadíssimo a Eduardo Cunha, seu apanhador de trigo em campo de centeio. Agora contratou um dos maiores especialistas em delação.

Palocci tem sido o mais temido e hesitante. Falam que agora decidiu, vai desmontar a arapuca financeira. E finalmente o assessor de Temer, que foi preso para complicar Temer. Mas vem sofrendo tremenda pressão palaciana.

EDUARDO CUNHA E A MULHER, SERGIO CABRAL E A MULHER

O juiz Sergio Moro condenou o ex-presidente da Câmara, a 15 anos de prisão. E ainda é RÉU em mais dois processos. Meses depois, surpreendentemente e sob protestos absolveu sua mulher. O Ministério Público que acumulou montanhas de provas contra ela, entrou com recurso, na Vara Criminal de Porto Alegre. A decisão está demorando

Agora, Moro comete a mesma imprudência ou generosidade. Condenou Sergio Cabral a 14 anos de prisão, absolveu sua mulher. O Ministério Público vai entrar novamente com recurso. Claudia Cruz é culpada. Adriana Anselmo é culpadíssima. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário