Editoria: Helio Fernandes. Subeditoria: Roberto Monteiro Pinho

quinta-feira, 22 de junho de 2017

A GUERRA FRIA DA CORRUPÇÃO

HELIO FERNANDES

È devastadora para a comunidade nacional  e internacional.  Têm ramificação nos mais diversos países. Ha alguns anos, se localizava prioritariamente em países da África. Subitamente apareceu a Odebrecht, contaminando e apodrecendo o mundo, fazendo a África desaparecer do mapa do enriquecimento ilícito.

Surgiram os jornalistas investigativos, que conseguiram uma façanha: obrigaram a Suíça a abandonar as famosas contas numeradas, não receber mais clientes, que notoriamente depositam fortunas ROUBADAS do dinheiro público.

Aí surgiram os Batistas da JBS, que rapidamente se tornaram os mais ricos empresários do país. Apadrinhados e protegidos por presidentes da Republica. Miraram no BNDES, com dinheiro á vontade, jorrando ininterruptamente, com juros muito abaixo do mercado. E "dividas" que não era para serem pagas.

O primeiro benfeitor do grupo JBS, foi o presidente Lula. Deu caminho livre para que o dinheiro do cidadão (BNDES), fosse imediatamente para a JBS. De açougueiros que se tornaram notórios pela propaganda espetacular do FRIBOI, se transformaram em grandes empresários. Jogaram no lixo o avental branco, passaram a usar ternos caros. Denunciados, os Batista RECLAMARAM de Lula, que sem demora demitiu a direção do banco, colocou como presidente o dócil Luciano Coutinho.

TEMER IMITA LULA 

Como presidente do PMDB, depois vice que se dizia DECORATIVO, acompanhou toda a trajetória do grupo JBS X BNDES, manteve o relacionamento blandicioso, pecaminoso, vergonhoso, que sofreu o primeiro choque, quando se transformou em presidente indireto.

Precisava de uma mulher para um cargo importante, encontrou uma, colocou no BNDES, sem examinar seu curriculo. O BNDES degradado foi submetido a um processo de lavagem, acabou a roubalheira.

Atingido e apavorado, Joesley telefonou para Temer pelo celular particular que recebera no primeiro encontro. Protestou, contou que estava sendo prejudicado, ameaçou "tomar providencias", Temer pediu tempo.

Foi rápido, chamou ao Planalto o presidente do BNDES, EXIGIU sua demissão. Surpreendida, hesitou: Temer interpretou como resistência , colocou á sua  frente o já preparado pedido de demissão por motivos pessoais, ela assinou e foi embora decepcionada e com um elogio falso.

DEMISSÃO EM VEZ DE IMPEACHMENT

Câmara e senado, estão dominados pelos subterfúgios. Os que controlam as duas "casas", acusados e apavorados, tentam projetos estranhos e até  disparatados.Ontem, a CCJ do Senado (Comissão de Constituição e Justiça  ) aprovou o que a industria automobilística chama de RECALL. Ou seja, a troca de peças que não funcionam.

Do ponto de vista político, o que aprovaram: a substituição do presidente da Republica. Só que em vez do impeachment, que foi  apresentado em diversos momentos, e só aprovado em dois, seria o que chamam de REVOGAÇÃO .Mas não sabem quando começaria a ser utilizado. Parece apenas uma ameaça CONTRA Temer ou a FAVOR de Temer. Depende das circunstancias.

Ou a prova de que esse legislativo é uma VERGONHA.

PICCIANI X PEZÃO

Estamos vivendo em plena Era da imoralidade, indignidade, falta de credibilidade. O presidente da ALERJ, é o apogeu dessas três palavras. Pois ontem á tarde,  na televisão. Fez a seguinte declaração: "O Estado do Rio só tem salvação, com intervenção ou impeachment do Pezão"

Não quero defender o governador, mas o ultimo a poder acusá-lo é o presidente da Alerj. Pelo passado e o presente. E principalmente depois das reportagens revelações do jornalista Chico Otavio. Especialista em jornalismo investigativo.

MAIA, A FALA DO TRONO

Assim que a CCJ do senado, aprovou uma suposta substituição circunstancial do presidente da Republica, resolveu se manifestar. Deve ter imaginado, "também sou presidente não posso ficar calado, e tenho que me expressar logo, Temer poderá estar chegando".

Imediatamente, decretou: "Isso trará intranquilidade, não passa na Câmara". E foi descansar, a presidência da Republica é cansativa.

A MANUTENÇÃO DE FACHIN

Ontem, quando a sessão foi suspensa, escrevi: Fachim será mantido como relator, e validada a delação da JBD. Isso alcançou a maioria, a maioria, eram 16,20. Apesar disso, O ministro Toffoli continuou falando inutilmente por mais 1 hora.

Toffoli e Gilmar Mendes, são os cosmopolistas do exibicionismo. O ministro sem toga, tentou acusar ministros de CONTRADIÇÃO, levou resposta dura e veemente de Roberto Cardoso, saiu. Mas infeliz volto Toffoli continuava ostentando o que não interessava.

SUPREMO: MAIS PRORROGAÇÃO

A sessão de hoje, vinha de ontem, garantiam o final para esta quinta. Com 7 a 0.faltando apenas o  voto de 4 ministros, decidiram: levantaram os trabalhos, que continuarão na quarta próxima. 17,45, muito tarde. Os ministros moram longe, têm dificuldades conhecidas de transporte.

PS- Os ministros fazem todos os sacrifícios, incompreendidos.

PS2- A Suprema Corte dos EUA, julga no máximo 100 processos POR ANO .Comparem com os números da Corte brasileira. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário