Editoria: Helio Fernandes. Subeditoria: Roberto Monteiro Pinho

domingo, 18 de junho de 2017

ANÁLISE & POLÍTICA 
    “Informação com Liberdade de Expressão”

ROBERTO MONTEIRO PINHO

E a Globo por que estaria contra todos?

Afinal de contas, os poderes da República foram constituídos, para o povo, pelo povo e pela verdade. Afinal o que está por trás disso tudo? Desde o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, estamos reféns de manobras, que não só contém ingredientes deploráveis, mas também, manobras ardilosas e de flagrante afronta aos princípios dos direitos civis.

O País está conhecendo através da rede Globo detalhes assombrosos sobre a delação velada de Joesley Batista, executivo da construtora.  Para sacramentar o posicionamento da Globo, a revista Época desfilou um trecho enorme com informações, tendo como ator o próprio Joesley Batista.

Temer, Cunha e Joesley.  A prova fragilizada

A delação premiada e tida como blindada de Joesley Batista à Polícia Federal, deixou de ser prova jurídica e se transformou em notícia pública. Ao publicar os áudios da conversa entre o dono da JBS e Michel Temer. Existe um fator preponderante para subsidiara a denúncia, que é a prova gravada, no entanto, creio, não resistiria a uma perícia, daí, por tanto NULA.

Rodrigo Janot vai pedir a cabeça de Temer

Se tem notícia de que a denúncia contra o presidente Michel Temer deve ser apresentada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, na inicio da semana. Ocorrendo o caso se transforma em um processo no Supremo Tribunal Federal (STF).

Aliados se mobilizam para barrar a denúncia
O presidente Michel Temer conta com a mobilização dos seus aliados políticos, que já iniciaram as estratégias para barrar processo contra ele na Câmara dos Deputados. A iniciativa dos aliados seria de esvaziar a sessão da Casa que deve avaliar a queixa criminal contra o presidente.  É uma alternativa amparada no regimento da casa, e pode dar resultado. Afinal nunca o tempo se tornou tão aliado como agora, em tempos de crise no topo da vida pública brasileira.

Rodrigo Maia, o provável presidente por dez dias

Temer chefe de quadrilha?

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, quer cancelar o recesso para poder julgar a acusação em que Temer está envolvido. Joesley Batista, que em seus áudios confessou mais de 200 crimes acusa Temer frontalmente e ainda o titula como “chefe de quadrilha”.

Por mais que se possa dizer, Michel Temer é o presidente da República, e o inescrupuloso empresário, está violando os preceitos mais elementares do direito. Ao ofender, sem com tudo ter prova formada, a situação do corruptor Joesley, se agravou profundamente.

Segunda-feira dia 19 – começa o roteiro do dia “D” para Aécio

O STF poderá protagonizar mais um espetáculo de votação em seu Plenário. A partir do momento em que acederem os holofotes da mídia. Teremos horas, dias e talvez meses de discussão.  

Segundo alta fonte do colunista, na segunda turma, Aécio vencerá por três votos a dois. No plenário do STF é provável que a ministra presidente Carmem Lúcia decida o destino do senador.

E o Carnaval?

O Prefeito da Cidade do Rio de Janeiro Marcelo Crivela reduziu em 50% o apoio financeiro para a produção dos Desfiles do Carnaval de 2018. O fato é que o evento é tradicional, tem enorme repercussão internacional e move a cada ano a economia do Estado. São benefícios econômicos, financeiros, de geração de empregos e de renda, e que projeta imagem da Cidade do Rio de Janeiro e do Brasil.

Macron vence de novo na França

A República em Marcha (LRM), partido do presidente francês eleito em maio, mais uma vez saiu vitorioso com a conquista de 355 assentos na Assembleia Nacional. A informação é do instituto Elabe.

Durante o dia, pesquisas de intenção de voto feita pela Ipsos-Sopra Steria, indicavam o massacre do partido de Macron nas eleições. O LRM, partido centrista formado há pouco mais de um ano, ocupará mais de 60% das 577 vagas disponíveis na Assembleia Nacional francesa.

O partido conservador Os Republicanos (LR) foi o segundo mais votado a conquista de 125 cadeiras. O Socialista ficou com 49 e o partido de extrema direita Frente Nacional (FN), da ex-candidata a presidência da França Marine Le Pen, obteve apenas 8 cadeiras.

Apenas 35,33 votaram

São 47 milhões de eleitores franceses, mas apenas 35,33% desse total compareceu às votações, segundo dados do Ministério do Interior. Esse número corresponde a um novo recorde de abstenção nas urnas, superando inclusive os 40,75% dos eleitores que votaram no primeiro turno.

Após o fechamento das urnas, o secretário-geral do Partido Socialista francês, Jean-Christophe Cambadélis, anunciou sua renúncia. "Apesar da abstenção alarmante, o triunfo de Emmanuel Macron é inegável", disse Cambadélis, reconhecendo "a derrota da esquerda".

Insatisfação dos franceses

Um em cada dois franceses com direito a voto não apareceu nas salas de votação. A falta de eleitores presentes faz com que os correligionários de Macron tenham ainda mais chances de vitória no segundo turno. Mas é preciso ficar atento, já que o desinteresse do público pelas votações demonstra também insatisfação política.

Os candidatos do partido conservador, os Republicanos ficaram com o segundo lugar, com 21,56% dos votos. Esse deverá ser o principal partido da oposição. Já a Frente Nacional, que tem Marine Le Pen como representante – que disputou as eleições.


Um comentário:

  1. Na verdade não é um comentário e sim uma pergunta que dirijo ao ilustre jornalista Hélio Fernandes, que coloque um pouco de luz sobre a atuação do Grupo Globo nas denuncias contra Temer. Nada contra as denuncias, pelo contrário, tudo a favor, desde que sirvam para punir os culpados, mas tem algo muito bem escondido na atuação da Globo que não é fácil identificar e com certeza não se trata de democracia e de informação dos fatos, ou de interesses. Um a conjugação de tudo isso com certeza, mas o que move tudo isso mestre Hélio Fernandes ???

    ResponderExcluir