Editoria: Helio Fernandes. Subeditoria: Roberto Monteiro Pinho

quinta-feira, 29 de junho de 2017

O ESTRANHO, ESDRUXULO E ESTRAVAGANTE PRESIDENTE TEMER, PERDÃO, MINISTRO GILMAR

HELIO FERNANDES

Não precisava pedir perdão, os dois se confundem, se equiparam, se acumpliciam no desrespeito á ordem constitucional vigente, ou uma outra que queiram implantar, com base na falta de credibilidade, dignidade, moralidade. São coerentes ou incoerentes, ecléticos no desrespeito e no desprezo a tudo de grandeza que se esperava de um presidente da Republica e de um Ministro do Supremo, o mais alto tribunal do país.

Tenho que ser sumario, o passado e o presente dos dois é aviltante e longo. O futuro de Temer mais do que visível e decidido, Gilmar continuará desafiante mas presente, ele é tremendo e assustador, mas continuará imune e impune. 

Temer foi sempre aproveitador, carreirista, em 50 anos de vida política jamais disputou cargo majoritário. Marcou seu próprio destino ha 30 anos, em 1987. Só existia um partido, o PMDB. Em 1986, FHC se elegeu senador carregado pela força eleitoral de Orestes Quércia. No ano seguinte convenceu Covas (também senador), a fundarem outro partido: o PSDB.

Deu como justificativa o fato de Quércia ser LADRÃO. (FHC não gosta de sinônimos). Convidou Temer para acompanhá-los, a resposta: "Vou ficar, sou amigo do Quércia". Excluída a parte moral, decisão acertada para sua vida. Foi secretario de segurança do governador Fleury (PMDB) quando houve o massacre de Carandiru. Era sua área, foi á penitenciaria como COORDENADOR, morreram 111 presos. Mas sua carreira não foi atingida.

Tanto isso é verdade, que chegou ao Planalto, sem voto, sem povo, sem urna. È tão sem convicções, caráter ou escrúpulos, que 1 ano depois, responde a vários crimes, está na eminência de ser expulso do Planalto.

Fez uma aliança com Gilmar Mendes, foi salvo por ele, no escandaloso julgamento do TSE, E ainda confia mil por cento nesse Ministro sem toga. Continuando, sumario de Gilmar. Também rápido, ele merecia mais.Logo abaixo.

GILMAR MENDES, INDECENTE PATRONO E PROTETOR DE TEMER

O passado de Gilmar, tão ruinoso, ominoso, perigoso, quanto o de Temer. Estiveram sempre em áreas distantes, Gilmar supostamente magistrado, mas muito mais político do que o próprio Temer. O relacionamento entre eles, começou e prosperou indevidamente, quando Temer foi RÉU perante o TSE, e Gilmar, nos últimos 13 meses, presidente autoritário, discricionário, e atrabiliário.

Ele fez tudo que um magistrado não deve e não pode fazer. Começou como Advogado Geral da União, criando os maiores problemas. Assim mesmo, como o Presidente da República era FHC, não ligou para os protestos e nomeou-o Ministro do Supremo. Não vou tratar, nem tenho espaço, síntese ou súmula para examinar sua absurda atuação como Magistrado.

Basta citar de passagem, o processo em que perdia por 8 a 1, pediu vista e só devolver 14 meses depois. Sem qualquer responsabilidade ou constrangimento. A perseguição dele, ao ex-presidente Lula, impediu que ele fosse Ministro da Presidente Dilma.

Sem qualquer partidarismo ou predileção, Lula podia ser Ministro e a Presidente Dilma, podia nomeá-lo. Isso não aconteceu, porque Gilmar relator do caso, engavetou o processo, foi viajar para a Europa e quando voltou, o caso estava superado, encerrado, e Lula, ultrapassado. 

Suas libertações, tendenciosas, amorfas e "generosas", valeram a liberdade para criminosos notórios. O corrupto Daniel Dantas, o monstro tarado Abdelmassih, que se aproveitando da "generosidade", fugiu para o Paraguai, onde ficou por 3 anos. E finalmente, mas não a última, a estarrecedora libertação do super rico e super corrupto, Eike Batista. Livre até agora.

Nos últimos 13 meses, o relacionamento Gilmar-Temer, é mais do que criminoso, é a degradação não apenas de 2 pessoas, mas de membros de 2 Poderes da República. Nesse tempo, como Presidente do TSE, se encontrou inúmeras vezes com o Presidente da República. O primeiro, como Juiz, o segundo, como RÉU. 

Ainda se comenta, se discute e se estarrece, com a absolvição de Temer, decisão única e irrefutável do Presidente do TSE. Que em determinado momento do julgamento, acusou o brilhante e competente Relator, Herman Benjamin, "de ter inundado o Tribunal, com excesso de provas". Até hoje, desde a primeira instância, Magistrados criticam a parcialidade de Gilmar Mendes.

Poderia continuar, mas vou encerrar, com o episódio criminoso, corrupto e estarrecedor de ontem.

Na véspera de participar de uma reunião do Supremo, o Presidente Temer, inesperadamente foi jantar na sua casa. Explicação do Presidente: "Tratamos exclusivamente de Reforma Política". Imaginem e se estarreçam à vontade. Uma das mais importantes questões do País é a profunda Reforma Política, pois eles trataram disso em apenas 1 jantar. 

Perguntado por que Elizeu Padilha e Moreira Franco estavam presentes, Temer respondeu: "Eles souberam que eu ia à casa do Ministro e disseram: "Nós também vamos". E foram.

Vinte e quatro horas depois, Gilmar falou 2h40 minutos, atacando dura e miseravelmente o Procurador Geral. E repetindo tudo o que o Presidente diria na televisão, na sua tola e primária defesa, declarando guerra ao Procurador Geral.

De forma nada surpreendente, pela falta de caráter e de credibilidade dos dois, Temer e Gilmar, comandam o espetáculo, que tem como expectadores, toda a população brasileira.

CARMEN LUCIA - LAVA JATO

Finalmente terminou a sessão do Supremo, que examinava a manutenção de Fachin como relator. E a possibilidade de uma delação ser revista e anulada. A dignidade e a credibilidade venceram esmagadoramente. Só faltava o voto da presidente. 

Carmen Lucia, no seu jeito simples e de forma lúcida, afirmou: "As delações só serão revistas, se existirem irregularidades ou falsidades provadas".

E terminando em grande estilo: "A Lava-Jato jamais correu risco no Supremo".

O FARSANTE MICHEL TEMER

Na "declaração de guerra" ao Procurador Geral, que apresentou como sua defesa, concentrou em 15 minutos o que eu identifiquei imediatamente como "acumulo de tolices". Falou textualmente: "Ele quer apresentar as denuncias em serie para prejudicar minha defesa".

Ora, isso acontece no mundo inteiro, o tempo da acusação não acaba. Aqui, os exemplos, relevantes e repetidos,  serginho cabralzinho filhinho, é REU 12 vezes, e já foi condenado uma vez. Teoricamente pode ser condenado mais 11 vezes.


O AINDA presidente pode ser afastado na primeira e preso nas outras. Em Curitiba, acusados com 5 e 6 denuncias. É que Temer estava acostumado com a impunidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário