Editoria: Helio Fernandes. Subeditoria: Roberto Monteiro Pinho

terça-feira, 20 de junho de 2017

NA CONFISSÃO DE BATISTA, A CONFIRMAÇÃO DAS NOTÍCIAS EXCLUSIVAS DESTE REPÓRTER

HELIO FERNANDES

Fevereiro de 2014. No meu blog, revelei detalhes da ida do então vice Michel Temer á sede da JBS. Tudo começou com uma doação do então quase desconhecido Joesley, a senadores do PMDB. Eduardo Cunha soube que a JBS havia doado 50 milhões a senadores. Intimissimo de Temer telefonou para ele, contou, terminou: "Nós ficamos sem nada".

Como diria 3 anos depois o próprio Joesley em depoimento e entrevista, "Temer agiu sem nenhuma cerimônia, quando se trata de dinheiro". Mandou ligarem para a JBS, "diga que estou indo para lá". Foi, cumprimentou Joesley como se estivesse FURIOSO, entrou logo no assunto. Textual como publiquei na época: "Você me criou um problema enorme, favoreceu senadores, os deputados estão me pressionando"

Acostumado, tranquiilo, Joesley perguntou, como resolver a questão. Já abandonando o tom de briga, Temer fez a proposta: "Com 15 milhões acalmo os deputados, apenas 30 por cento". 

Já saiu de lá com o dinheiro, 10 milhões para ele, 5 milhões para Cunha. Agora, o delator tentou dar um jeito, mas não apagou o fundamental. Confessou que doou 35 milhões aos senadores e com os 15 que teve que dar a Temer, pensou que chegaria aos 50 milhões, que na verdade passaram a 65.

O DIA TODO NA JBS

Como diria mais tarde, no inicio da conspiração parlamentar, "sou um vice decorativo", ficou lá até o fim da tarde. Ao se despedir, escreveu num papel o numero do seu celular particular, entregou a Joesley, isso no primeiro encontro. Na entrevista, o delator disse "que foi no segundo encontro". Foi no primeiro, qual a diferença? Joesley disse na entrevista, "passamos a conversar muito". Lógico, um corrupto corruptor que tem o celular (EXCLUSIVO) do presidente, tem que usá-lo. Daí para as madrugadas no porão palaciano, apenas um passo. 

O ENCONTRO COM MEIRELLES

Já não tem maior importância, mas como contei na época, repetição rápida. Ele era o  poderoso presidente do Conselho de Administração da JBS. Contei isso, numa das suas idas á televisão, como se fosse por acaso, afirmou: "Quando presidi o Conselho da JBS, eu mandava menos do  que um continuo". Não deixei sem resposta, e logo usei o blog para desmenti-lo.

Na verdade, uma coisa facílima. Meirelles e Gilmar Mendes, falastrões sem o menor conteúdo.

A POLÍCIA FEDERAL E EDUARDO CUNHA

Tudo indica que o ritmo é outro. Já pediu a segunda PRORROGAÇÃO do prazo. Afirmaram que estão encontrando dificuldades, principalmente na questão da obstrução da justiça. A mais grave e praticada pelo presidente a céu aberto.

Entregaram exame parcial, com visível constrangimento, concluíram: "O presidente Temer praticou crime de corrupção passiva, confirmado pela delação de Joesley Batista". A constatação que ninguém quis fazer, mas é rigorosamente verdadeira. E que mostra e demonstra o perigoso roteiro seguido pela PF.

Antes da publicação parcial, da cadeia, Eduardo Cunha SOUBE de tudo. E imediatamente entrou no Supremo, pedindo a ANULAÇÃO da delação. Motivo: Joesley teria mentido. O ex-presidente da Câmara, que tentava hostilizar Temer, agora se coloca na posição de seu defensor intransigente. Essa mudança, tem que ser apurada.

A JBS COLOCOU À VENDA, ATIVOS NO VALOR DE 6 BILHÕES

É preciso saber se existem compradores. E quem fez as avaliações. A desmoralização do grupo, total e absoluta. Ha 15 dias, o patrimônio ativo da JBS, era tido em 183 bilhões .Se essa avaliação estiver mantida, 6 bilhões, representariam  3 e meio por cento do total.

Difícil saber ou acreditar em qualquer coisa que venha dos Batista.

A REFORMA TRABALHISTA NO SENADO

A maior prova da falta de governabilidade do país. A votação foi na Comissão de Assuntos Sociais. Temer perdeu por 10 a 9. O líder do governo, Renan Calheiros, coordenou pela recusa, ou seja, a derrota do governo.

Na Rússia, assim que recebeu a noticia, Temer repetiu varias vezes: "Vou ganhar no plenário". Sem o menor constrangimento mostrou que é uma BRIGA pessoal. Em vez de demitir Renan de lá mesmo, mostrou que tem medo do ex-presidente do Senado não aceitar ser demitido. A credibilidade de Temer não dá  pra mais do que isso.

Senadoras lideradas pela presidente da Comissão, Martha Suplicy, protagonizaram espetáculo de baixaria. O som estava péssimo, não ouvi se houve palavrão.

AÉCIO LIVRE

Finalmente, quase ás 6 da tarde, a primeira noticia oficial: o julgamento foi adiado, não se sabe para quando. Conclusão: a defesa de Aécio, perdeu duas vezes,pedindo o adiamento. Mas conseguiu o tão pretendido  adiamento, pelo avançado da hora.

Temer disse ontem e hoje pela manhã, "salvarei o mandato de Aécio, na Comissão de Ética, ou onde for". Só que o AINDA presidente, nada a ver com a decisão.

Mas o dia estava para o senador afastado. Enquanto não fazia nada, a Primeira Turma reformou a própria decisão, e mandou Andréia Neves para prisão domiciliar. CERTISSIMOS. Com Adriana Ancelmo e Claudia Cruz, livres e absolvidas, a prisão da irmã de Aécio,  só merece uma palavra, em letra maiúscula: BARBARIDADE. Palavra que também se ajusta á justiça brasileira.


Nenhum comentário:

Postar um comentário