Editoria: Helio Fernandes. Subeditoria: Roberto Monteiro Pinho

domingo, 11 de junho de 2017

O SUPREMO TEM QUE MORALIZAR A VERGONHOSA IMORALIDADE DO TSE

HELIO FERNANDES

Ha mais de 40 anos estranho o fato do mais alto tribunal do país, julgar ações, que deveriam ser começadas e terminadas na primeira instancia. O Supremo é um tribunal constitucional, na definição, "o guardião da Constituição". Mas perde tempo precioso examinando litígios sem a menor importância

Agora se coloca ou deveria se colocar diante do Supremo, a decisão sobre o fato que atinge e surpreende toda a comunidade: enquadrar constitucionalmente um presidente da Republica, que cometeu uma serie de crimes, que impossibilitam a sua permanência dirigindo o país. Crimes de corrupção, mentiras, a falta de idoneidade, a obstrução da Justiça, por saber que não escapará.

Depois de tudo isso, exatamente no fim do dia do "julgamento" do TSE, surge a denuncia provada e comprovada: "Temer colocou o serviço secreto na trilha de devassar a vida de um Ministro que será relevante no seu julgamento". Temer será julgado pelo Supremo, atendendo denuncia do Procurador Geral. Mas antes, a vergonha e a decisão escabrosa do TSE, terão que ser revistas pelo Supremo.

O PSDB, autor da ação para cassar a chapa, já deveria estar preparando o recurso contra a abominável  patifaria dos 3 juristas de segundo time, comandados por Gilmar Mendes, o fanfarrão do dia seguinte. Mas o PSDB, estraçalhado moral e eticamente, tenta se agarrar a alguns cargos. Ma o sub-Procurador Nicolau Dino, que funcionou magistralmente no TSE, tem a obrigação de recorrer ao Supremo, para a decisão definitiva.

Para alertar e esclarecer a comunidade, vou adiantar e revelar o que acontecerá no Supremo, depois do voto dos 11 ministros .Começarei pelos 3 que já votaram e obviamente confirmarão os votos. Continuando na ordem de chamada do próprio Supremo. Vejamos. Portanto, 7 a 4

Gilmar Mendes- Absolvição
Luiz Fux-Condenação
Rosa Weber-Condenação
Alexandre Moraes-Absolvição
Edson Fachin-Condenação
Roberto Barroso-Condenação
Lewandowski -Absolvição
Dias Toffoli-Absolvição.
Marco Aurelio-Condenação
Celso de Mello-Acusação
Carmen Lucia-Acusação

Portanto, 7 a 4 devolvendo a credibilidade ao Judiciário. Mesmo que houvesse equivoco de 1 voto na apreciação, o que não ocorrerá, a vitoria da credibilidade seria obtida por 6 a 5.O único perigo: o Supremos esta impedido de examinar o julgamento do TSE. Como tramam nos bastidores.

TSE: A SEXTA INÚTIL

Começou, com expectativas, certezas e incertezas. Não quanto ao resultado, os 4 a 3 da desonra e da indignidade estão garantidos. O que falta resolver é o final da farsa. Uns garantem que até ás 4 da tarde, tudo será anunciado. Outros esperam o sábado para o anuncio. O relator já está falando ha 2 horas, deixando irrefutável: esse julgamento sem a roubalheira da Odebrecht, será uma ofensa e afronta á comunidade, pode haver consequencias desagradáveis.

Gilmar Mendes, o comandante da cavalaria rusticana, é um vitorioso temeroso. Duas opções, ambas derrotando o  adversário por 4 a 3. A ABSOLVIÇÃO, era a pretendida sempre, mas que permite mais trabalho. A outra, descoberta e assumida na segunda feira: o ARQUIVAMENTO, definitivo, mas desafio e afronta á opinião publica. De qualquer maneira, absoluto, o ministro sem toga, decidirá. Hoje ou amanhã, sem a menor restrição. Temos que esperar. Sem nenhuma chance de vitoria, para Herman, Fux, Rosa Weber, os defensores da dignidade, da credibilidade, da moralidade.

A ARROGÂNCIA DE TEMER

Em pleno julgamento do TSE, induzido pelo conselheiro maior, retumbou: "Cumprirei meu mandato até o final, 31 de Dezembro, de 2018".Esqueceu que não tem mandato conquistado,  chegou ao Planalto depois de uma conspiração parlamentar.
O parceiro está preso e condenado, o que já deveria ter acontecido com ele. O Ministro sem toga, diz: "Somos vitoriosos". No TSE. Mas na terça deverá ser DENUNCIADO no Supremo. 

HERMAN: 4 HORAS ININTERRUPTAS

Começou a falar ás 9 e meia só parou para almoçar, assim mesmo ficou um tempão conversando com Fux e Rosa Weber, 3 Ministros que honram o Supremo. Seu voto, contundente.E também minucioso, detalhado,esmiuçado, sem esquecer ninguém. Quando  falou e acusou Eike Batista, Gilmar Mendes virou o rosto. 

Como o voto longo e fundamentado era o dele, no momento em que escrevo, exatamente 2 horas da tarde, acredito que possa terminar mesmo hoje. Depois de 1 dia e meio, o relator resumiu sua formidável acumulação de provas, numa frase irrespondível: "CONDENO A CHAPA POR ABUSO DE PODER ECONÔMICO". Em maiúscula, como merece o relator, e como desmerecem os acusados.

O ASSUSTADO MICHEL TEMER

Enquanto o TSE se encaminhava para o resultado previsto e premeditado de não condená-lo, o presidente indireto tentava se livrar do Supremo. Não respondeu ás perguntas do Ministro Fachin. Motivo: medo do flagrante da mentira.  Mentira que ele mesmo confessou. Ele e sua família viajaram num jatinho particular. Insensatamente, confessou que viajara nesse jatinho particular, sem conhecer o proprietário. Logo desmascarado, estava farto de saber que o avião pertencia a JBS. 

Se fugiu da verdade numa questão a mais simples possível, o que aconteceria nas 84 perguntas que o Ministro entregou á PF para que respondesse por escrito? Encerrado o  prazo, devolveu as perguntas sem respostas.

Aproveitou para pedir o encerramento do inquérito. Não será atendido. O ministro  responderá afirmativamente, o pedido do Procurador Geral.

OS ÚLTIMOS A VOTAREM

Depois do relator, 3 inocentes úteis, ou inúteis, servos, submisso e sem honra. Depois, Fux e Rosa Weber, que se sabia, honrariam o Supremo, o relator, a eles mesmos. Vibrantes, bem informados e independentes.  3 a 3

(Enquanto Rosa Weber falava, a Globonews colocava uma faixa: "Gilmar Mendes dará  o VOTO DE MINERVA".Ha!Ha!Ha! Nesse tipo de votação, isso não existe.Estava 3 a 3, ele era o sétimo a votar, terá que desempatar. A Globonews, com uma equipe colossal, vem DESINFORMANDO desde o inicio).

GILMAR: O VOTO TOLO E COMPROMETIDO

Orgulhoso pelo fato de ser o ultimo a votar, de acordo com o roteiro  que ele mesmo escreveu. Não ligava para nada, só queria mesmo se exibir. Não importa que com 13 minutos, disparasse o disparate: "O TSE não tem que CASSAR MANDATOS, e sim aprimorar  a legislação".Silencio total, esperava ser aplaudido de pé. Foi rodando, circulando. falando, falando, sem nenhum pensamento ou convicção.

Com 32 minutos, sentindo que não estava empolgando, nem mesmo agradando, mudou de tática e de estratégia, se é que conhece a diferença. Olhou fixamente para o Ministro Herman e disse com veemência: "Seu voto é impressionante, tem meu apoio integral". E começou a falar e a citar, tudo na contradição com o relator. Mais do que tolice, impropriedade.

Como está completando 1 hora, e não sei aonde vai parar, faço uma pausa, dou um tempo.

GILMAR VOTOU E ENCERROU

De terça a sexta, 4 dias do TSE dominando todas as atenções. 1 dia e meio com  a memorável e inesquecível apreciação do voto do relator. Herman Benjamin inundou o plenário com aquela coleção de provas impressionante. Sufocou os juristas de segunda, deixou para o Ministro sem toga o velório e o enterro final execrável e lamentável.

Começou contraditório como sempre, sem categoria, como nunca: "A missão do TSE não é a de cassar mandatos". Assombroso. Esqueceu sua participação  de coadjuvante, defendendo e justificando a cassação de Dona Dilma.  Chegou a agredir com palavras o  Ministro Lewandowski, por não ter suspendido os direitos dela por 8 anos.

Assim que acabou seu voto, saiu sem falar com ninguém. O Planalto festejava, arranjou um jeito de dar os parabéns ao ainda presidente. Parabéns pela humilhação imposta ao judiciário. Humilhação e derrota. Excluídos naturalmente, Herman Benjamin, Luiz Fux, Rosa Weber. O ministro sem toga, alimentou a presunção de Temer de que é um vitorioso.

No festival do Planalto, Temer não escondia: "Foi a primeira vitoria. As próximas serão contra o Procurador Geral e o Ministro Fachin". Nem esconde.



Nenhum comentário:

Postar um comentário