Editoria: Helio Fernandes. Subeditoria: Roberto Monteiro Pinho

terça-feira, 11 de abril de 2017

PREVIDÊNCIA e imprevidência

HELIO FERNANDES

11 meses de um governo sem voto, sem urna, sem povo. E um presidente, inesperado, que chegava ao poder aos 75 anos, sem jamais ter disputado uma eleição majoritária. Completava 50 anos de política, desde a Universidade. Disputou muitas eleições para deputado Federal, em varias não passava de suplente, mas sempre assumia. È o único país do mundo onde o suplente assume quase imediatamente, basta ter poder dentro da legenda e não na rua.

(Não posso deixar de recordar de um suplente que chegou a presidente da Republica: Fernando Henrique Cardoso. Com a agravante. Disputou a eleição em 1978, em plena ditadura. Foi o único caso de alguém que se dizia perseguido, preso, no exílio, e que se candidatou a senador.

Ficou como suplente de Franco Montoro. Quando Montoro se elegeu governador, em 1982, herdou 4 anos de mandato. E chegou  a presidente, depois do impeachment de Collor. Sem a suplência na ditadura, e o impeachment de Collor, não teria sido presidente da Republica). E o Brasil não teria vivido o retrocesso de 80 anos.

15 anos depois da reeleição comprada e paga por empresários, estamos numa situação inédita, insustentável e sem solução. A República tem enfrentado os mais terríveis problemas.

O sonho de gerações de acabar com o império, desaguou numa Republica militar, militarista e militarizada, com 56 anos sem eleição. Só fomos votar e assim mesmo precariamente, em 1945. Depois de 41 anos da "Republica velha", do partido único, o Republicano. Substituído por uma ditadura de 15 anos.

Tivemos tantos vices que assumiram, quase no mesmo numero dos efetivos. Mas o atual escreveu uma carta, se declarando "decorativo", conspirou como vice, inspirador e insuflador da conspiração, tendo como aliado e executor, o presidente da Câmara.

Hoje este está cassado, preso, e inicialmente preso por 15 anos. Mas discursando na sessão da cassação, retumbou: "Se eu não existisse não haveria impeachment". Num plenário lotado, nenhuma contestação.

TEMER O CONSPIRADOR AMEAÇADO POR 2 PROCESSOS

Vitoriosa a conspiração, assumiu vergonhosamente no dia 9 de maio, está completando 1 ano de inutilidade. Não governa porque não sabe, exibe apenas a obsessão da reforma da Previdência. E garante: "Será aprovada por causa do grande trabalho que eu e o Ministro Meirelles estamos fazendo".

Ora, são necessários apenas 308 votos em 513, facílimo apesar do seu constante retrocesso. Semana passada, Temer e Meirelles desperdiçaram tempo conversando com mais de 30 deputados. Os dois consideram que hoje, o ultimo dia antes da Semana Santa, encerrarão as conversas. Temer devia estar preocupado com a Lava-Jato e a cassação. A Previdência será aprovada. Sua imprudência deve ser reprovada.

A situação de Meirelles, inteiramente diferente. Ontem um jornalista perguntou a ele: "O senhor é candidato a presidente?" E ele sobria e modestamente: "Sou candidato unicamente a continuar o grande trabalho que estou fazendo pelo Brasil". (Como dizia o Millor, pano rápido).

Eduardo Cunha não ganha uma

Ele já é sem duvidas, o recordista de recursos na Justiça. E de derrotas.  Ha dias revelei com exclusividade, que mandara emissário conversar com Temer.  Acrescentei que não conhecia o objetivo de Cunha. Agora já sei. O ex-presidente da Câmara pretendia começar (já começou) uma batalha com o judiciário.

E mandou pedir ao presidente que colocou no Poder, que o ajudasse. Não acreditava que Temer se manifestasse, mas queria provocar o maior constrangimento para ele. Pois espalhou o fato por toda a Câmara. E o indireto não sabe o que fazer. O ex-presidente da Câmara, neste momento está com quatro ações, pedindo liberdade, continuará preso.

PS- Evento oportuno, de bom formato a I MOSTRA NACIONAL – ANI DE FOTOGRAFIAS SOBRE DIREITOS HUMANOS, da Associação Nacional e Internacional de Imprensa – ANI está sendo apresentada desde o dia 05 de abril e vai até o dia 10 de Maio na Galeria Cultura, na Rua Senador Dantas, 45, no Centro da cidade do Rio de Janeiro. A Mostra tem como tema “A Defesa Permanente dos Direitos Humanos”. São120 obras (P/B) alusivas ao tema de autoria de fotógrafos profissionais e amadores especialmente convidados.
PS2- O presidente da ANI, nosso colega e subeditor da Tribuna online - Blog Helio Fernandes, jornalista Roberto Monteiro Pinho destaca no site da ANI, o compromisso da associação com os elevados valores DEMOCRÁTICOS E DA LIVRE EXPRESSÃO como forma de assegurar os direitos da comunicação e da sociedade na garantia da cidadania.
PS3- As obras expostas traduzem as constantes violações dos direitos humanos. O dirigente destacou que “esses direitos são violados a cada momento, não só no Brasil que é uma das nações que lidera o ranking da violência, mas também em países com área de conflito e de segregação racial. Nos últimos 15 anos, os EUA tem sido o autor intelectual e material de intervenções militares em diversos países do mundo, todas com o modus operandi baseado nas mais graves violações dos direitos humanos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário