Editoria: Helio Fernandes. Subeditoria: Roberto Monteiro Pinho

domingo, 23 de abril de 2017

O REVOLTANTE abuso de autoridade.

HELIO FERNANDES

Ninguém é contra esse projeto. Nem contesta o seu espírito, essência, objetivo. A maioria apoiaria com entusiasmo, em outras circunstancias. Existe abuso de autoridade nos três poderes, sempre, sem qualquer duvida, contra os mais pobres, que nem podem contratar um advogado. E isso não é de agora.

Eu ainda estava na escola primaria, com 10 ou 11 anos, e já ouvia o clamor e o temor, dos que eram intimados a comparecer a uma delegacia, onde sofriam violências e humilhações. As formas das autoridades imporem suas vontades eram mais execráveis á medida em que os escalões eram mais altos, e o mínimo que se exibia, era o "sabe com quem está falando", logicamente contra os mais frágeis e indefensáveis.

ESSE PROJETO VEM DE 2009

Em 2007, o Senado viveu o ano todo da tormenta provocada pela falta de caráter e excesso de autoridade do senador Renan Calheiros. (O mesmo que agora, se apresenta como campeão das garantias e dos direitos da comunidade).

Ele presidia o Senado, usando o poder que lhe cabia, e o que usurpava. Inesperadamente foi enquadrado em infidelidade moral publica e particular, as duas se fundindo gravemente na falta de decoro, não apenas para ser presidente do Senado, mas até mesmo para exercer o simples mandato no plenário.

Levou meses negociando, manobrando, se movimentando para continuar presidente. Constatando que era impossível, fez a proposta humilhante: deixaria a presidência, mas manteria o mandato. Tiveram a fragilidade de concordar, voltaria reeleito em 2010, como se não tivesse acontecido nada. E logo em 2015, o mesmo Senado que o derrubara da presidência em 2007, o recolocava na presidência ainda com mais
poderes.

Não só enfrentava e desacatava o Supremo, como assumia a liderança e o comando da luta contra a Lava-Jato, pela anistia aos corruptos e corruptores, mas exorbitando da própria importância, desenterrava esse projeto intitulado de "abuso de autoridade", e enquadrava nele, todos os que tentavam combater a corrupção.

Em 2009, esse projeto seria apoiado e glorificado, pois abuso de autoridade, é hostilizado repelido e abominado por toda a comunidade. Tendo deixado a presidência do Senado, precisava de um relator de sua total confiança. Escolheu como porta voz, o duas vezes senador e duas vezes senador, Roberto Requião, que aceitou a condição vexatória, mas prazerosamente.

A sorte está lançada, pode ser aprovado esse projeto de abuso de autoridade, mas não no momento. Ou então, com uma determinação aprovada pelo parlamento.

ESTE PROJETO ENTRARÀ EM VIGOR ASSIM QUE TERMINAR A LAVA-JATO.
TEMER, SEM PRESENTE E SEM FUTURO
 
Melancólica, lamentável, desorientada, a entrevista do presidente indireto, a jornais da Espanha.
 Fugiu dos assuntos principais, elogiou Sergio Moro, mas afirmou, "não quero tratar da lava-jato". 
Depois, textual: "A corrupção não vai parar o país". Ora, mais paralisado do que está é impossível.
 
Disse que se sente muito triste pelo fato de mais de 60 parlamentares, estarem envolvidos 
com investigações. Mas não podia terminar a não ser com uma bobajada, colossal, muito no 
seu estilo: "Mas essas investigações chegarão ao fim e o Poder Judiciário condene ou absolva essas 
pessoas" Existe ou existirá uma terceira decisão?
 
È O QUE TEMER ESPERA
 
A situação dele perante o TSE, vai se agravando cada vez mais. Para a ex-presidente Dilma, 
tem apenas o valor do registro histórico, mais nada. Já foi cassada, perdeu o mandato, 
ficou com os direitos, por causa de uma "generosa extravagância" do Ministro Lewandowski.
 
O caso dele é inteiramente diferente. Cassado, fica sem presente e sem futuro. 
Por isso, luta intensa e incessantemente pela terceira decisão. Na entrevista, falou 
em CONDENAÇÃO ou ABSOLVIÇÃO. Para sua sobrevivência, e escapar da ação do PSDB 
junto ao TSE, tenta a terceira via, o NÃO julgamento.
 
 A protelação já tem 27 meses. Mas agora se agravou com as delações do
"fim do mundo" dos 77 da Odebrecht. Preservar o mandato de Temer, com
Gilmar Mendes e os 2 ministros novos no TSE será uma das maiores vergonhas.
 
A França tem novo presidente

Favorito, Montrol ganhou ontem, e ganhará de Le Pen, no segundo turno, ainda com mais facilidade. Ela acredita, que sendo de extrema direita declarada, terá os votos dos que não querem um direitista oportunista.

Ontem eu dizia que o poderoso Partido Socialista, que dominara longa época da França, não teria 10 por cento dos votos. Não teve.

PS- Bernardinho encerrou ontem uma carreira vitoriosa, conquistando o décimo segundo titulo da Super Liga de Vôlei. 10 desses títulos, contra o Osasco, adversário de ontem. Espetáculo sensacional no belo estádio Olímpico da Barra, lotadíssimo.

PS2- Agora Bernardinho começa carreira política como candidato a governador do Estado do Rio. Coordenado e convidado por Aécio Neves, se filiou ao PSDB.

PS3- Com a MASSIFICAÇÂO do PSDB na Lava - Jato, se desfiliou,
concorrerá pelo Partido Novo. Aécio não concorda nem suporta.


Nenhum comentário:

Postar um comentário