Editoria: Helio Fernandes. Subeditoria: Roberto Monteiro Pinho

quarta-feira, 25 de abril de 2018


A PRISÂO DOS AMIGOS INTIMOS DE TEMER

HELIO FERNANDES

Falta pouco. A PGR, cumprindo dever e obrigação, pediu. Falta  o atendimento, embora o Planalto, como sempre, diga, "estamos tranqüilos, não existe irregularidade", Embora os fatos desmintam o presidente corrupto e usurpador. Voltou o personagem principal, José Yunes, que tomou posse, "como amigo intimo de 50 anos". Assessor Especial.

As TVs estão repetindo a cobertura de maio de 2016. Yunes era e continua sendo apenas coadjuvante, querendo participar e colaborar. Como por exemplo, receber envelopes misteriosos a pedido do Chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha. Todos sabiam que era dinheiro, menos o bem intencionado Yunes.

Não demorou muito, foi demitido, não confirmam, mas a pedido (ou ordem) do próprio Eliseu. Que a partir de FHC, foi ministro de todos os governos, com exceção de Lula. Mas incluindo Dona Dilma, embora tenha participado da conspiração parlamentar contra ela. Ganhou mais poder como ministro da intimidade.

Só que Yunes voltou disposto  a contar a verdade. Está contando e assustando. A principal revelação: colaborava, mas contava tudo ao próprio Temer. Agora não vai parar, sabe que não é responsável por nenhum crime, principalmente de corrupção. E vão surgindo episódios tolos, primários, que poderiam ser realizados legalmente. Mas preferem complicar.

Por que Yunes teria que vender uma casa a Dona Marcela? Ela não tem renda nem patrimônio, mas querem convencer a todos, que o dinheiro era dela. Mas o cheque é do presidente corrupto e usurpador.

E ela quase imediatamente vendeu a casa,  todas as operações poderiam ter sido realizadas regulamente, é normal comprar e vender uma casa.

PS - A situação de Temer cada vez se complica mais. È impossível recusar o pedido de prisão dos amigos íntimos.

PS2 - E eu só tratei de um. Quando chegar a vez do ex-coronel Lima, aparecerão propinas de todos os tamanhos.

TRIBUNAL DO JÚRI, GRANDE AVANÇO DA JUSTIÇA, MENOS NO BRASIL

Na Idade Média, o Rei Henrique II, criou o Tribunal do Júri. 12 jurados investigadissimos, acima de qualquer suspeita. Decisão por UNANIMIDADE. Logo o mundo se apoderou da criação, Thomas Jefferson,  a grande figura da Independência dos EUA, escreveu: "O Tribunal do Júri é o grande avanço da Justiça. A aristocracia perdeu o poder de julgar, que passou para o povo". Ele consagrou isso em 1804, quando era presidente dos EUA.

Quando chegou ao Brasil, deturparam  e destruíram tudo. 7 jurados, decisão por maioria simples, quase sempre 4 a 3, vergonha e absurdo.

Agora o Tribunal de Justiça determinou que 77 policiais militares, depois de 26 anos, sem nenhuma punição, sejam julgados pelo Tribunal do Júri. São acusados da morte de 111 presos, no chamado "Massacre de Carandiru". Não acredito que vá haver o julgamento. Se houver, é bem possível que venha um 4 a 3, pela condenação ou absolvição, não sendo uma coisa nem outra.

PS - Para não esquecer. Na época do massacre, o secretario de Segurança de SP, era  Michel Temer.

PS2 - O governador Fleury, mandou seu secretario ir a Carandiru, tentar negociar. O resultado está aí.

TEMER - GILMAR MENDES

Mais uma vez, desavergonhadamente, o ministro do STF  vai conversar com o presidente da Republica, "fora da agenda". O STF tem vários assuntos na pauta já marcada. Ou perto de serem marcadas. Essa explicação que não explica nada é um fato acintosamente tornado público, revoltando a opinião publica.

Os 9 juízes (correspondendo aos ministros no Brasil) dos EUA, são vitalícios, seria assombroso e estarrecedor, que um deles inesperadamente, aparecesse na Casa Branca. Só em solenidades oficiais, com presença obrigatória.

PS - Daí a diferença de respeitabilidade, dignidade, credibilidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário