Editoria: Helio Fernandes. Subeditoria: Roberto Monteiro Pinho

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Obama tenta fechar Guantánamo, mas não encontra "compradores" para prisioneiros, cruel e selva gemente torturados

HELIO FERNANDES
O mundo ficou assombrado quando tomou conhecimento do que acontecia com prisioneiros "escondidos" na fortaleza de Cuba. Começou no governo George W. Bush, que também foi o patrocinador da destruição do Iraque, que dura até hoje. A ele não aconteceu nada. Nem pela fogueira que acendeu na região, com a falsidade de que o país tinha bomba atômica, e estava pronto para usá-la. Mentira vastamente divulgada e desmoralizada.
Os prisioneiros foram levados para Cuba, porque, constitucionalmente, nos EUA não pode haver tortura ou violência contra prisioneiros. Mas os presidentes podem autorizar tudo o que existe de mais tenebroso e criminoso, desde que aconteça em outro país. As "técnicas" horrorosas e horripilantes foram importadas de diversos lugares e executadas por americanos. Mas ninguém dentro dos EUA, aceitou, referendou, esqueceu esse crime monstruoso.

Guantánamo tem uma origem gloriosa, participante, de defesa e não de ataque. Em 1898, a Espanha invadiu Cuba. Os EUA que tinham uma Constituição pacificam e militarmente isolacionista, 110 anos depois saíram "de casa" para defender Cuba. E construiu Guantánamo para melhor derrotar a Espanha, o que conseguiram. Salvando também Porto Rico.

Quando Fidel Castro implantou a sua Revolução em 1959 não conseguiu retomar ou assumir Guantánamo. Você vai percorrendo a belíssima Havana, inesperadamente, encontra ou enfrenta a fortaleza, que continuou propriedade dos EUA. Na campanha de 2008, Obama prometeu que acabaria com a prisão. No governo positivamente falou duas vezes sobre o assunto.

Jamais conseguiu convencer os republicanos. Agora, eles continuam impedindo a ação do presidente democrata. Que tem que ultrapassar novo e grande obstáculo: para onde enviar os prisioneiros que restaram? A resposta seria: para os EUA. Só que os republicanos e a Constituição não permitem.

Uma nota que parece esportiva mas não é: "Desabou um pedaço da marquise da arena do Corinthians".

Agora só chamam de arena, a palavra estádio desapareceu, da mesma forma que a fabula de dinheiro gasto na Copa. A Odebrecht foi que coordenou toda a construção do Corinthians, não investiu nada. Apresentou ao Banco do Brasil um projeto de financiamento. 400 milhões As garantias não foram suficientes, pediram mais. Entregaram, o BB desistiu.
Foram então para o BNDES, com as mesmas "garantias" iniciais dadas ao BB. O banco presidido pelo economista Luciano Coutinho, mais "compreensivo", emprestou os 400 milhões. Quem tratou de tudo pela Odebrecht, foi Benedito Barbosa, reconhecido como o segundo da empresa, na verdade o primeiro. Alem dessa importância, outra publica e notória: "corintiano desde garotinho". Não esconde, dá detalhes sobre essa paixão.
.
Não perde jogo do clube, seja onde for. Na Libertadores vai com a delegação ou um jatinho que está sempre á disposição. Simpaticíssimo, conversa com jornalistas, informa atenciosamente: "No meu escritório ou na minha casa, bandeiras do Corinthians, sempre desfraldadas".

No momento o Corinthians com extrema dificuldade para pagar ou amortizar o empréstimo. E Benedito Barbosa, preso pela Lava-jato. Aconteceu na segunda feira Ontem, quarta, começou seu depoimento. Continuará.

Dilma tenta aliciar Michel Temer, o vice não quer conversar com ela

Alem de todas as fragilidades, desatenção, incompetência, sempre ZERO em administração e economia, Dona Dilma é péssima analista. Depois do desastre que foi a prisão do marqueteiro João Santana, e a desaprovação ruidosa do programa de televisão do PT, está assustada, sem saber o que fazer. E aí faz um movimento completamente errado. No caminho do majestoso Palácio Jaburu, despacha emissários e intermediários.

Não percebeu que atingindo duramente seu marqueteiro, praticamente desvinculou o vice da chapa da presidente. Dona Dilma já revelara antes que gastara 380 milhões na campanha, "dinheiro legitimo e declarado". O marqueteiro recebeu quase 90 milhões. Temer sabe disso tudo. E a carta que mandou para ela e distribuiu fartamente, "defesa previa ou preventiva". Ao se declarar "decorativo", estava pedindo a Moreira Franco que escrevesse para o futuro. Que chegou agora, acredito que de forma não imaginada. Hoje, quinta, o PMDB exibe seu programa eleitoral, com fortes criticas a
Dilma. E o Plano Temer 2.

Trunp ganhou em Nevada, faltam "só" 55 estados

Nevada não tem qualquer importância. Geograficamente, é um deserto. A única referencia é Las Vegas, um quilometro de restaurantes, vida noturna e os maiores cassinos do mundo. Gagarin, o primeiro a ir ao espaço, fez duas observações. 1- "A terra é azul". 2-"Lá de cima, o ponto mais iluminado da terra é Las Vegas".
Eleitoralmente, Nevada dá apenas 30 votos ao vencedor. Para o republicano são necessários 2.300 votos. Mas o miliardário não dá sinais de fragilidade.

O contraditório João Santana

Seu primeiro depoimento começou ontem, demorado, como se esperava. Depois de traçar e executar a estratégia de Lula e Dilma tem que apresentar a própria, que precisa ser matematicamente elaborada, para que obtenha sucesso. Duas questões básicas e fundamentais. 1- Mostrar ou provar que como trabalhou muito no exterior, uma parte, grande do que recebeu, não precisava ser declarada no Brasil.


2- O mais difícil: convencer que não sabia que o que foi pago a ele ou á sua firma, "tinha origem ou era remetido como propina da Petrobras". Está disposto a fazer concessões, que ele mesmo tem detalhado ou calculado. Considera que não praticou crimes nem prejudicou a Receita. Garante que a confusão (palavra para ele definidora) é mais do que natural, tendo trabalhado no Brasil e em vários países. Continuará depondo, aparentemente tranqüilo.
..............................................................................................................
Nossos leitores podem fazer comentários e se comunicar com os colunistas, 
através do: e-mail: blogheliofernandes@gmail.com
ESTA MATÉRIA PODE SER REPUBLICADA DESDE QUE CITADO O NOME DO AUTOR

Nenhum comentário:

Postar um comentário