Editoria: Helio Fernandes. Subeditoria: Roberto Monteiro Pinho

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

ATACADO PELA FRENTE, COM UMA FACA, POLICIAL ASSASSINA ESTUDANTE, "COM TIRO PELAS COSTAS". METADE, NO MÍNIMO DO PSDB "RENOVADO", VOTARÁ NO ARCAICO E COMPROMETIDO EDUARDO CUNHA.

HELIO FERNANDES
29.01.15

Sabidamente uma das metas de dona Dilma, é a de se aproximar dos empresários, principalmente dos banqueiros, os únicos que não produzem coisa alguma. São incluídos no que chamam de "mercado", junto com especuladores da Bolsa, que gostam de ser chamados de investidores.

Como dizia o famoso Paul Getty, acumulou fortuna jogando com ações, comprando e vendendo. E afirmou a jornalistas na época: "Ganho na alta e na baixa". Não estava mentindo.

Os banqueiros extorsionistas já receberam suas cotas nos primeiros dias do segundo mandato, Vejam os números. Cheque especial: 200 por cento. No cartão: 260 por cento. No dia a dia, simples empréstimo: 43,6 por cento. Mais de 3 e meio por cento ao mês. Quando o cidadão tem algum dinheiro para investir, recebe no máximo meio por cento de remuneração. Que República.

Petrobras

Ontem, na primeira metade do pregão, as duas ações da Petros, ordinárias e preferenciais, caíam 10 por cento cada. Foram interrompidos os negócios. Tudo especulação e jogatina. Pequenos ou até médios acionistas não tinham poder para atingir esses números. 

Operadores diziam mistificadoramente: "O impacto foi porque a direção da Petrobras não apresentou prejuízos com a corrupção". Quem pode saber? 792 milhões de dólares (o mínimo), mais de 2 trilhões, só em Pasadena. Na refinaria Abreu e Lima, como calcular perdas: Orçada em 2 BI, já está quase em 20 BI, tudo por conta dos "aditivos".

Não demora, e esses especuladores criminosos que agora VENDERAM em massa, lucrando alto, COMPRARÃO também em massa, dobrarão o lucro. Tudo planejado, sem o menor risco, Como acionistas pequenos fariam isso? No fechamento, as duas ações da Petro, caíram mais de 11 por cento cada uma.

O ex-diretor Cerveró está preso ha 10 dias em Curitiba. O Ministério Público insiste e ele recusa a "delação". Ontem, utilizaram "tática diferente". Ele foi levado oito vezes para depoimento. Não disse nada. Interrompiam, conversavam com microfones ou gravadores, argumentavam, “seria melhor para o senhor falar e ser solto”. Não aceitava, respondia: “Só falarei em juízo”.

Mas agora, seus advogados passaram, a não aceitar mais a Justiça do Paraná, mesmo sendo Federal. E afirmam: “Essa Justiça não tem competência para julgar questões ligadas á Petrobras”. No entanto até agora ainda não informaram ou mesmo sinalizaram, se contestarão a Justiça do Paraná. Só pode ser no Supremo. Mas até agora, todos que recorreram, perderam.

Surfista morto, policial assassino.

O episódio se repete, de novo só a condição do personagem atingido, 24 anos, simpaticíssimo, praticante de esporte, admirado por todos. Lugar comum o policial que mata e nada lhe acontece. O de agora, surpreendentemente “alega legitima defesa”, as autoridades (?) dão crédito á sua alegação.

Vejam só as incoerências do caso, defendidos pelo próprio policial. 1 – O surfista atacou-o com uma faca. 2 – Ficou surpreendido, “temeu pela vida”, a única opção era se defender. 3 – Deu dois tiros, praticou puro e inacreditável assassinato, sendo que o segundo tiro foi dado pelas costas.

Análise do fato com base na reconstituição feita pela própria policia á qual pertence o assassino. 1 – Nunca ninguém viu o jovem surfista armado. 2 – No treinamento, os policiais aprendem a se defender e não a matar. 3 - O ataque mais fácil de ser reprimido (a palavra está no manual) é quando o suposto ofensor está com uma arma.

4 – O portador da faca tem que chegar perto, quando estiver perigosamente perto, o policial pode paralisa-lo com um tiro na perna ou até na mão, imobiliza-lo e afastar o perigo. 5 – O policial abandonou as recomendações regimentais, atirou duas vezes no jovem, assassinou-o impiedosamente.

6 – Mas conseguiu um ângulo que não preocupa as autoridades (?) interessadas em defendê-lo. Segundo o depoimento do próprio policial, “o jovem que partia para ele, com uma faca”, de frente, foi assassinado com um tiro pelas costas. Policial assassino, cruel, selvagem, mas também mágico.

A cúpula da Policia Militar acumula casos incríveis como esse. Ha seis meses, dois policiais da mesma corporação, assassinaram uma mulher que fugia num carro, nem sabiam quem era. Igualmente desobedeceram o regulamento, que “proíbe atirar num carro em fuga”.

Existe um vídeo sobre o fato, que foi exibido vastamente na TV e internet. Investigam o fato há seis meses, nenhuma conclusão. Os policiais foram presos por causa da intervenção do Ministério Público e o espírito de Justiça do Juiz.

E a cúpula da Policia Militar continuará omissa ou cúmplice?

Placar eleitoral.

Eduardo Cunha voltou a ser o candidato mais votado para presidente da Câmara. A vantagem não é muita, mas no momento, o suficiente para colocá-lo como o terceiro personagem na linha de sucessão. Os acordos são vergonhosos, mas como a votação é aberta têm tudo para serem, cumpridos.

Quase metade do PSDB, que finge de oposição, está comprometida com ele. (Se o PSDB fosse mesmo oposição, examinaria o discurso de Dona Dilma, linha por linha, deixaria a presidente desolada e destroçada). E a outra metade, dessa mesma legenda dará o voto a Cunha, domingo. A Câmara e o país só podem ser salvos no dia seguinte, pela Lava-jato.

Renan é candidatissimo, mas ainda não apareceu oficial ou publicamente nessa condição. Se aparecer, não perde. Exatamente como Cunha, depende do referendo da Lava-jato. A eleição é domingo, a definição de Curitiba, pode se tornar pública segunda feira.

PS- Está para sair, não demora, livro interessantíssimo. Sobre árvores, Editora Réptil. Texto excelente do Ministro Joaquim Levy. Foto do ótimo Alexandre Santana.

PS2- O livro foi escrito antes dele ser Ministro. Sabe tudo sobre árvores, é apaixonado e estudioso do assunto. Mas o livro é apenas a respeito das árvores do Aterro do Flamengo, que Levy conhece profundamente, desde a raiz até á implantação e a permanência ali.

Resposta 

Vinicius Marangoni, foi ótimo você trazer o assunto a debate. Dona marta, aristocrata, carreirista, super exibicionista, só entrou no PT porque era casada com Eduardo Suplicy. Em 1994, foi eleita prefeita de São Paulo, no mesmo ano em que o marido não se reelegia para o senado, e Lula era derrotado pela segunda vez para presidente.

Fanfarrona assumiu com estardalhaço, nem ligou para as derrotas do PT. Sua administração foi medíocre, como se dizia, ela “não suportava o cheiro do povo”. Candidata a reeleição, indo mal nas pesquisas, procurou Maluf, que já era o mesmo de sempre e de hoje. Foi apoiada por ele, alijada do poder em 1998, quando o marido se elegia senador e Lula acumulava a terceira candidatura não vitoriosa a presidente.

Em 2002 novamente candidata a prefeito, foi triturada, não chegou ao segundo turno, nem adiantou o apoio de Lula que chegava ao planalto pela primeira vez. E do marido, que era senador. Ficou vagando, em 2010 chegou ao senado, com fato inédito. Eram duas vagas, os favoritos para a reeleição, Orestes Quércia e Romeu Tuma, que morreram durante a campanha.

Logo que se acomodou no senado, e já era ministro do turismo, o que conhecia do cargo, aprendido nas suntuosas viagens que fazia ao exterior, confessava: "só compro roupa nas grandes grifes da Europa", não mentia elogiava muito dona Dilma.

Voltou para o senado, ficou mais um tempo, novamente Ministra, agora da cultura. Fazendo parte do governo, mas sempre contra dona Dilma, por conta da velha rivalidade, e do ciúme que não escondia: “Quem devia ser presidente era eu e não ela”. (Dilma).

Demitida sumariamente, saiu trovejando contra o sucessor na cultura, e não poupando Dilma, dizia que fora traída por Lula.

Agora, o fim da carreira e do carreirismo. Não podendo avançar pela bajulação, se encaminha pelo ataque: “O PT muda ou acaba”. Antes do PT mudar ela vai acabar. Não ha mais saída, não devia ficar raivosa, fez uma biografia enorme. Que tirando o mal humor habitual e as intrigas, vai produzir um ótimo obituário.
.........................................................................................................................
Nossos leitores podem fazer comentários e se comunicar com os colunistas, através do e-mail: blogheliofernandes@gmail.com
As respostas serão publicadas aqui no rodapé das matérias. (NR).

Caro Helio Fernandes, escrevi em meu blog diversas vezes sobre a necessidade de um livro de entrevistas com o sr, nos moldes do "Depoimento" de Carlos Lacerda".

O sr pretende um dia conceder entrevista longa, desta natureza?

Saudações do admirador Fernando Pawwlow

PS- sentia falta de um canal de contato como este, com o sr. O blog da "Tribuna da Imprensa" faz referencias a este blog, mas me foi custoso encontrá-lo. Abraços
...
Helio,
Quem você malharia em praça pública. Cite ao menos três figuras dessas em evidência.
Geilton Torres – Niterói – RJ.
...
Señor Fernando.

Soy Uruguaio (Montevidéu), deseo lós mas contentos êxitos su periódico en la internet.
Miguel de Sierra Cortez – Uruguai


Nenhum comentário:

Postar um comentário