Editoria: Helio Fernandes. Subeditoria: Roberto Monteiro Pinho

quarta-feira, 28 de março de 2018


SUPOSTOS PRESIDENCIÁVEIS, SAEM DO ARMÁRIO NA SEMANA SANTA

HELIO FERNANDES

Neste 2018,  haverá  a eleição com o maior numero de candidatos, quase todos sem chance. Incluindo Temer e Meirelles, os dois pela mesma legenda, o MDB. Isso é inédito.

Ontem, a primeira desincompatibilização: Paulo Rabelo de Castro deixou a presidência do BNDES. Nenhuma chance. A favor: não é acusado na Lava-Jato. Contra: eleitoralmente desconhecido.

A surpresa do dia. Rodrigo Maia, o primeiro a se apresentar como candidato consolidado e até favorito, deixou entrever mudança de rumos. Seria candidato á reeleição, amigos falam, "será o mais votado". Com isso, seguiria o roteiro escrito e reescrito pelo Doutor Ulisses. Presidente da Câmara em 2019-20, Maia  teria 2 anos de apogeu, no auge para 2022.

Insistindo na formula de agora, poderia começar 2019 sem mandato.

È o mesmo susto que atinge Bolsonaro. Se não se eleger, fica sem mandato. Então admite a candidatura a governador, ou mais uma reeleição. Tem discutido como alternativas. Impopular e sem mandato a esta altura da vida, impensável. Mas espera o destino de Lula.

Vários, muitos, diversos candidatos, que não valem uma linha. E passemos ao personagem que prometeu se definir nos próximos dias. Joaquim Barbosa vou começar pelo seu passado, que raros conhecem. Era procurador da Republica, criador de casos, não gostava de trabalhar, brigado com todo mundo.

Um dia teve idéia genial, que submeteu ao chefe: ir para o exterior (Europa e EUA). "será ótimo para a Procuradoria, farei vários cursos". O chefe conversou com outros procuradores, a idéia foi aplaudida, ficar livre dele, um prêmio coletivo. Viajou rapidamente, ficou muito tempo, teve que voltar.

Agora, as coincidências que plasmaram e consolidaram seu futuro. No aeroporto conheceu a notável figura de Frei Beto, amigo e assessor eventual do presidente Lula.

Alguns dias depois, Lula resolveu nomear um negro para o Supremo. Perguntou a Beto se conhecia alguém. Beto contou o episodio do aeroporto. Lula respondeu simplesmente:  "fala com ele". Frei Beto falou, foi preenchida a vaga do STF.

Passado algum tempo, foi relator do mensalão, todos conhecem sua atuação e contradição. Logo depois se aposentou. Iniciada a corrida sucessória, seu nome foi lembrado. Preferiu sempre a vice, preferência de quem não gosta de trabalhar.

PS- De todos os  citados aqui, nenhum tem  a menor chance de vitoria.

PS2- Do ponto de vista eleitoral, só  quem tem voto é Lula. Daí  a complicação. 

A  LIBERTAÇÃO DE PICCIANI 

Dezenas de anos de corrupção e enriquecimento ilícito, dominando inteiramente a política do Rio, apenas 4 meses de prisão. Grande preocupação ganhou a liberdade, foi pra casa.

Bloquearam 4 milhões da sua conta não acharam nada.

Como ele ainda é presidente da Alerj, está apenas afastado, começam a conversar sobre a possibilidade dele reassumir. Nada surpreendente.

JONAS LOPES: SEM PRISÃO, LADRÃOZÃO DA DELAÇÃO

Comecei a denunciá-lo em 2004, na Tribuna da Imprensa. Só foi preso  em 2017, inacreditável. Passou imediatamente a fazer delação, confessando as roubalheiras, e entregando os 5 parceiros. Como ele, membros do TCE. (Tribunal de  Contas do Estado).

Em vez de ser preso, conseguiu autorização para morar 6 meses no exterior.O juiz que fez essa concessão, devia estar preso.Voltou, completou a delação. Disse que desde o ano 2000, chefiava uma quadrilha no TCE. Recebia em dinheiro, dividia por 6. Dava mensalmente, 71 mil para casa um. Em 17 anos, 14 milhões para cada conselheiro. 84 milhões no total.

Continuo defendendo que esses 84 milhões devem ser bloqueados e devolvidos ao TCE. Ontem a PGR, denunciou os 5 conselheiros. Mas Jonas Lopes, o LADRÃOZÃO, foi poupado. Continua em casa, recebendo o teto salarial ATÈ QUANDO?

*AMANHÃ  SEXTA-FEIRA SANTA (30) ESSA COLUNA NÃO SERÁ PUBLICADA.

Nenhum comentário:

Postar um comentário