Editoria: Helio Fernandes. Subeditoria: Roberto Monteiro Pinho

domingo, 24 de julho de 2016

Terrorismo contraditório, irrisório, mas não provisório. Dia 9 de Agosto, Cunha receberá o OURO da corrupção

HELIO FERNANDES

È indispensável repetir com a maior insistência: o terrorismo veio para ficar. Multiplicando as formas, acumulando experiência e vitimas, cada vez mais cruéis, selvagens, desumanos e insanos. E não se satisfazem nem têm como objetivo ou ato fundamental, unicamente o assassinato. Mesmo que seja em massa. Manter o mundo em suspense, intranqüilo, sem saber o que acontecerá no dia seguinte, prioridade total e absoluta.

È nessa hipótese ou possibilidade que o Brasil se enquadra no momento: o evento mais famoso do planeta, a Olimpíada. Com milhões de atletas, residentes, turistas, nos transformamos em alvos obrigatórios e indispensáveis. Como o terrorismo é imprevisível e sem localização que possa ser destruída, é uma guerra que precisamos travar, com indisfarçável desvantagem.

Eles têm o mundo inteiro para combater, quando, onde e no momento que escolherem. Nós, as vitimas do terrorismo explosivo ou silencioso, não temos opção. A obrigação é a defesa, se possível preventivamente. Somos bilhões de pessoas, quase totalmente desguarnecidas. Reféns não sabemos de quantos, inteiramente protegidos e guarnecidos.

Para complicar e acentuar as nossas desvantagens, eles não têm apreço pela vida, se jogam desavisadamente no despenhadeiro da morte. Nós as vitimas, (com raras exceções) preservamos a vida e a sua manutenção. Temos gosto e prazer na sobrevivência, mesmo sabendo que o mundo é desumano e desigual. Por isso e vários outros motivos, combatemos as guerras e o terrorismo, similares e semelhantes.

O terrorismo tem que ser combatido de forma ininterrupta, mas sem escândalo ou histrionismo, abandonando os holofotes. Na Copa do Mundo, logo ali, em 2014, o terrorismo não foi noticia, a impressão é que não existia. Apesar dos jogos cobrirem o país todo, não utilizaram nem 10 por cento dos 88 mil homens que atuarão apenas no Rio.

È lógico, claro e evidente que a segurança é indispensável. Para garantir e proteger atletas, dirigentes, residentes e turistas, e não para utilizá-los e assustá-los ainda mais. Como está acontecendo no episodio de agora. O Ministro da Defesa chegou perto: "Que porralouquice”. O da Justiça, que não podia nem devia ocupar o cargo, repetiu o primarismo e a incompetência, de quando era secretario de segurança de SP.

Perseguia alunos, abusava da violência, a capital vivia assustada, tinha medo até de sair de casa. Mas ele não saía da televisão, desavergonhadamente se exibindo. E este repórter registrando tudo. Agora, tão distraído pelo exibicionismo, que discorda dele mesmo. Exemplo: "São amadores, incapazes de organizar qualquer movimento". E logo depois, estarrecedoramente: "As Olimpíadas estão seguras e garantidas, com a nossa ação destruímos o terrorismo". E tudo em linguagem tão confusa e atrapalhada, que até Temer notou e comentou, negativamente.

Em suma: o terrorismo é doença mortal. Com diagnostico, mas sem medico e sem remédio. Ainda.

Cunha será cassado em 9 de agosto

Em plena Olimpíada, receberá o OURO da corrupção. A PRATA da bandidagem publica. O BRONZE da multiplicação das propinas. Mas enquanto não chega esse dia, os membros da Mesa, eleitos por ele, distribuem como recompensa, o máximo de privilégios. Já devia ter entregue até á ultima quinta, a residência oficial, com todas as fantásticas mordomias. Incluindo os 8 seguranças, 4 cozinheiros e 2 assistentes. Alem do pagamento de todas as despesas da mansão luxuosa. O prazo foi prorrogado, só sairá no dia 6 de agosto.

Ganhou um apartamento "funcional", que de acordo com a jurisprudência Toffoli, tem "foro privilegiado". Apesar de não poder freqüentar a Câmara, a Mesa manteve os 94 mil reais mensais para o seu gabinete. Este já deveria ter sido fechado, e os funcionários remanejados. Também continuará recebendo o salário mensal de 34 mil reais. Com tudo isso, advogados querem desbloquear suas contas, informam: "Ele está sem dinheiro até para alimentação”.

Alem de todas essas barbaridades, ele mesmo, de longe, coordena um movimento de "não comparecimento", para que a cassação não obtenha os 257 votos, necessários. O Presidente da Câmara foi muito criticado, por ter estabelecido: "Quem não comparecer em sessão de votação, terá o salário descontado". Dizem que Rodrigo Maia quer atingir Eduardo Cunha. Nem precisava, qualquer analista conclui: ele será cassado e seu futuro decidido em Curitiba. Ou seja: a condenação. Que ocorreria mesmo num julgamento no Supremo.

Rússia: terrorismo contra o esporte

 Definitivamente, corretamente, justificadamente, o país está fora das Olimpíadas. O Comitê antidoping, numa investigação de rotina, achou fatos estranhos. Aprofundou os trabalhos, constatou assombrado, que era o mais colossal sistema de dopagem coletiva que já havia conhecido. Cavou mais, descobriu com provas irrefutáveis: estavam envolvidos premeditadamente, atletas, dirigentes, funcionários, membros do governo.

Levaram as descobertas ao conhecimento das mais importantes autoridades do COI. (Comitê Olímpico Internacional). Este criou órgãos especiais, exclusivamente para investigar o que aconteceu na Rússia. A constatação foi tão impressionante que a conclusão foi unânime: a punição teria que ser a expulsão e proibição da Rússia de participar dos jogos. O que acontecerá sem a menor duvida, apesar das dezenas de recursos, todos recusados.

Ha 10 dias, revelei: "Putin não virá ao Brasil". Ele que pratica vários esportes, alguns violentos, já havia confirmado a presença. Palavra substituída por outra, constrangimento. O COI constatou que Putin sabia de tudo, mas não tinha autoridade para puni-lo. Acontece que Putin dirige a Rússia como comandava a KGB. Ditatorialmente. Não esquecer a participação dele, na guerra insensata e irresponsável contra a Ucrânia.

 A delação de João Santana, pode ser o apogeu da Lava-Jato

Quando o famoso marqueteiro teve a prisão determinada pelo Juiz Sergio Moro, estava dirigindo campanha presidencial na Republica Dominicana. 48 horas depois desembarcava no Brasil, foi preso no aeroporto. Estranho e causando comentários: o fato de ter vindo sem celular ou computador. Esperando-o, dois amigos com quem conversou.

Dias depois revelei com exclusividade: "O marqueteiro não fará delação: quer o mesmo que o marqueteiro Duda Mendonça conseguiu no mensalão. Curiosamente, Santana substituiu Duda, que dirigiu a campanha de Lula de 2002 a 2006. Absolvido no processo do mensalão no Supremo. Foi a Portugal receber 10 milhões. Se comprometeu a não trabalhar com política. Está feliz e satisfeito na agencia. Passei 3 meses sem informação. Até que todos publicaram, era fato publico e notório: a mulher de Santana iria fazer delação, autorizada pelo marido.

Em junho, disseram a ele: "A delação de sua mulher, decepção total". Ficou surpreendido, continuaram: "Conversas e negociações só com você pessoalmente". Começou a refletir, decidiu: "Não posso me arriscar a ser condenado há 20 anos, só por ficar em silencio". Resolveu falar. Comunicou a Lula e Dilma, que não tinha saída: "Ou falo ou passo o resto da vida na prisão".

Não entenderam nada, ficaram furiosos. Sobre a Odebrecht, considerou que fora enganado e não beneficiado pela empresa. Portanto nesse caso, resolveu que daria todas as informações. Revelei tudo isso, bem antes.

Agora a delação está homologada por Sergio Moro, já tiveram duas conversas. Uma delas vastamente publicada. E terrível para Dilma, principalmente. Mas com enorme repercussão dentro do PT. O próprio Lula está tão assustado, que seus advogados levantaram a suspeição de Moro para julgá-lo. Recurso negado.

Dilma teve duas reações. Assim que foi conhecido o depoimento, "que houve caixa 2 nas duas campanhas", respondeu que tudo fora oficial e registrado na justiça eleitoral. A noticia explodiu, ela mudou, declarou, "eu não sabia de nada". Desastroso. Com esse jargão ou bordão, "não sabia de nada", desespero e tragédia. Foi para a beira do precipício. Pode acontecer o seguinte.
No "julgamento" político do Senado, perderá o mandato definitivamente. E ficará sem direitos políticos por 8 anos, isto é o mínimo. Não existe uma possibilidade em um milhão de haver outro resultado. O Jaburu já controlou e cooptou tudo.

Quanto á conclusão de Curitiba, ela pode ser condenada. Única saída: como o marqueteiro citou o "financiamento da chapa", o TSE pode se recuperar do longo desgaste. Já acreditei nisso. Com royalties para Rui Barbosa, até as pedras da rua.

PS- "As instituições nacionais funcionam plenamente. Que os senadores tomem a decisão que julgarem conveniente ao nosso futuro".

PS2- De quem é esse vaticínio genial e analise rigorosamente imparcial?  Do presidente que era vice "decorativo", e se transformou em presidente provisório, depois de vitoriosa campanha de traição conspiração.

PS3- Tem tanta confiança no "julgamento" político e na regiamente conduzida cooptação, que comemora antecipadamente a "efetivação". Qualquer duvida consultar a Folha de ontem. E ler o artigo, imaginem, assinado Michel Temer.


Nenhum comentário:

Postar um comentário