Editoria: Helio Fernandes. Subeditoria: Roberto Monteiro Pinho

domingo, 8 de fevereiro de 2015

PETROLEO, NO BRASIL E EM PASADENA. FALTA DAGUA, DE ENERGIA, INFLAÇÃO CADA VEZ MAIS ALTA E PIB CADA VEZ MAIS BAIXO. JUROS ELEVADISSIMOS, DESADMINISTRAÇÃO, CORRUPÇÃO ALUCINANTE, CORRUPTOS E CORRUPTORES, INCLUINDO O TESOUREIRO NACIONAL DO PT. EMPRESARIOS PROTEGIDOS E NÃO QUERIAM QUE DILMA FOSSE REJEITADA PELO POVO NAS PESQUISAS?

HELIO FERNANDES
09.02.15

Dona Dilma caiu 44 por cento depois da reeleição, o segundo mandato começou apenas a 41 dias. Mais impopular do que ela só FHC, que caiu 46 por cento, logo depois de implantar o Real, e dizer: “Salvamos o Brasil”.

Os juros foram a 43 por cento, loucura completa. Passou o cargo a Lula com esses juros em 25 por cento. E a Comissão de Desestatização, roubalheira total, que criou fortunas inimagináveis. Assunto diário deste repórter na Tribuna da Imprensa de papel.

E Dona Dilma muito católica, deve agradecer a Deus por um fato: a pesquisa Data Folha começou a ser feita 48 horas antes e publicada 24 também antes de ter indicado, convidado e nomeado para presidente da Petrobras, o presidente do Banco do Brasil.

Se a pesquisa tivesse saído “um pouquinho depois”, em vez de ter a popularidade derrubada em 44%, poderia ter levado de roldão, tudo que “conquistou” com as mentiras da campanha.

“Ah! mundo, mundo, se eu me chamasse Raimundo, seria uma rima e não uma solução”. Não quero dizer que “implantado” o presidente do BB na Petro, Dona Dilma esteja querendo copiar o poeta, ela nem sabe quem foi Manuel Bandeira.

Parecia que agora o ex-do BB, só não tivesse liderança, comando, capacidade de enfrentar essa guerra total, que é tirar a empresa de uma profundidade maior do que aquela onde está o pré-sal. Grande negócio com o barril a 100 dólares, hoje quase calamitoso com o barril a menos de 50 dólares.

 Banqueiro que detesta cheque.

Agora vão surgindo e se acumulando as acusações sobre esse novo personagem. Começou com 2 milhões e 700 mil reais que “emprestou” a uma socialite. Sua amiga. Porque negar essa importância a ela, afinal a amizade e intimidade têm que valer alguma coisa.

O Ministério Público federal investigou descobriu e comprovou: esse presidente do BB comprou imóvel de 160 metros quadrados, pagou em DINHEIRO VIVO. Seu ex-motorista contou que fazia muitos pagamentos para o chefe em DINHEIRO VIVO.

Também foi acusado de “lavagem de dinheiro”, é um homem cuidadoso, não gosta de ver “dinheiro sujo”. A Receita Federal multou esse Bendine em quase 125 mil reais, porque SONEGOU da Receita 280 mil reais. Comprou um apartamento em São Paulo por quase 150 mil reais, como é o seu habito, quase obsessão, pagou em DINHEIRO VIVO.

Analisando os fatos, a Receita colocou na ficha: “Seus bens aumentaram muito mais do que permitia sua renda”. E as irregularidades foram crescendo. Assim, não ter nenhuma intimidade com uma empresa de petróleo, faltar também liderança e comando, é o mínimo.

Bendine vai presidir uma empresa que atingiu o ponto do atual descalabro por causa da fantástica corrupção. Mas com essas “credenciais”, totalmente negativas, não vai passar da condição de transitório. Presidente do BB, o maior banco do país, não usava cheque. Na Petrobras, vai querer pagar em PETROLEO VIVO?

Política extravagante.

No mundo inteiro, existem apenas dois sistemas políticos-partidários: Presidencialismo ou Parlamentarismo. Alguns são substituídos por ditadura, é outra historia. Mas no Brasil temos a fusão excêntrica dos dois, somos ao mesmo tempo Presidencialistas e Parlamentaristas. E com isso existe o “troca-troca”, ministros e partidos em número exagerado.

A Constituição em vigor, a de 1988, a “cidadã”, foi encaminhada debatida e deveria ser aprovada como Parlamentarista. (Não discuto o mérito, mas era o objetivo). Na Comissão de Redação, o deputado Nelson Jobin alterou tudo, criou esse monstrengo que não é uma coisa nem outra.

Mais tarde, o próprio Jobim publicamente confessou a alteração, não lhe aconteceu nada. Perdão, foi Ministro da Justiça e depois Ministro do Supremo, onde foi expulso com 60 anos, poderia esperar a “expulsória” dos 70 anos.

Escrevo sobre o assunto há mais der 30 ou 40 anos, pregando modificações imperiosas. Para terminar por hoje: duas modificações facílimas de fazer, se não forem feitas fica tudo contaminado.

1 – Acabar com o voto proporcional, o que impediria que alguém com 20 mil votos ou menos, seja eleito, preterindo alguém com 100 mil votos ou mais. Exemplo: o Estado do Rio tem 43 deputados Federais, os mais votados estão eleitos, nenhum problema.

2 – Implantar a chamada “clausura de barreira”, que já existiu mas foi revogada. Basta estabelecer um número de parlamentares, para ter direito ao Fundo Partidário e ao horário “gratuito” de televisão. Começamos por aí, depois vamos fazendo o resto.
O mestre da corrupção privilegiada.

Seu nome é Eike Batista, todos sabem. Protegido por Lula e Dilma, que pretendiam que ele conseguisse “ser o homem mais rico do mundo”, colocariam isso na conta dos dois. Orgulhosos, satisfeitos, não esconderiam: “Isso só aconteceu, fomos nós e o nosso governo que demos a ele sustentação necessária”.

Mas o que esperar de um empresário que presidia as reuniões do Conselho, falando em alemão com o cachorro: E que pagou fortunas a todos os diretores que entravam na justiça contra ele. Garantido por Lula e Dilma, sem garantias, conseguiu “empréstimos fabulosos” com os maiores bancos brasileiros. Sem falar no BNDES que dava rios de dinheiro a Eike.

Agora um juiz cuidadoso “bloqueou” seus bens, justificou: “Eike Batista está transferindo os bens, dilapidando o patrimônio, prejudicando os credores”. Há mais ou menos três meses, Eike recebeu aviso judicial do banco de Crédito da Suíça: “Sua inadimplência está muito alta, acima de qualquer limite”.

Resposta.

Jose Nelio Nascimento, por equívoco ficou faltando o que você pediu sobre Sandra Cavalcanti. Saiu a respeito de Lacerda, hoje completarei com informações sobre ela. Excelente figura, era a candidata a sucessão de Lacerda em 1965.

Eram muitos os candidatos. Lacerda preferiu Flexa Ribeiro. Perderam fácil para Negrão de Lima. A campanha dele era coordenada pelo General (da reserva) Golbery. Este fora grande amigo der Lacerda, já eram inimigos irreconciliáveis. Golbery procurou os comunistas, “acertou” com eles. Como estavam sempre precisando de recursos, Golbery pagou o que eles pediram.

Depois de receberem, veio a ordem de cima, para os comunistas: “Votem em Negrão com um lenço no nariz, mas votem”. Votaram. Negrão foi governador.

A Sandra de 1982, diferente. Eleição direta para governador, quatro candidatos: Brizola, que venceria e quase não tomaria posse por causa da Proconsult. Moreira Franco que se elegeria quatro anos depois em 1986. Sandra e Miro Teixeira, nenhuma chance. Só que o Miro resolveu insultar Sandra, acusando Lacerda de “jogar mendigos no Rio da Guarda”. Já se sabia que ia fazer isso. Sandra levou um documento para ele assinar confessando a acusação. Assinou, Sandra entrou na Justiça, foi condenado.

(Em 1986 Miro candidato a deputado, o que é até hoje) para poder se registrar precisava que Sandra desistisse do processo. Pediu a este repórter para falar com a Sandra (até hoje somos amigos e eu admirador dela) pedi. Ela retirou o processo, falou: “Helio, você sabe que não quero prejudica-lo, só não podia ouvir em silêncio, a acusação falsa”.
.........................................................................................................................................
Nossos leitores podem fazer comentários e se comunicar com os colunistas, através do e-mail: blogheliofernandes@gmail.com
As respostas serão publicadas aqui no rodapé das matérias. (NR).

Helio,

O que você teria para contar sobre a divisão do antigo estado e o novo estado da Guanabara e Rio de Janeiro?


Diogenes Pereira – Rio de Janeiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário