Editoria: Helio Fernandes. Subeditoria: Roberto Monteiro Pinho

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

DO BB PARA A PETROBRAS, SEM CACIFE E SEM CREDENCIAIS. ESCOLHA "IRREPREENSÍVEL" DE DILMA, PROTESTOS GERAIS.
HELIO FERNANDES
07.02.15
Ontem quinta, a promessa do Planalto, é que hoje (ontem) sexta, até o meio dia, estaria escolhido e empossado o presidente da Petrobras. Nenhuma indicação, apenas rumores ou sugestões de nomes, mas nenhum com competência para presidir uma Petrobras normal, quanto mais como a de agora, anormalissima. Os que poderiam aceitar e acertar, longe do sim para essa presidência.
A sexta começou cinzenta no panorama visto da Ponte, mas ainda enevoado no Plenário da Bovespa. Não sabiam de nada, mas qualquer que fosse o nome indicado, iria repercutir lá mesmo. As duas ações da Petro começaram sem esclarecimento. Para operar, venderam timidamente, ordinária menos 1%, preferencial caindo 0,67.
Ás 11 e meia já surgira o nome de Bendine, presidente do Banco do Brasil, ninguém acreditava. Mas os manipuladores, que sabem das coisas, venderam mais, pouco depois do meio dia, sem nada oficial, a ordinária já caia um pouco mais de 4 por cento, a preferencial, 4,70.
Ás 13,10 vinha uma notícia oficial: “O Conselho da Petrobras está reunido em São Paulo, o nome será anunciado ás 2 e 30, junto com os cinco diretores". Como faltava pouco tempo e não aparecia outro a não ser esse Bendine, as ordinárias da Petro já ultrapassaram os 7,30 reais, e as preferenciais, a casa dos oito.
Ás duas e meia em ponto, o civil Bendine mudou de roupa passou a ser oficial. Acrescentaram, e não era boato, rumor ou especulação: a lembrança do nome foi de Dona Dilma, não comunicou a ninguém.
Nem mesmo a Joaquim Levy, "a quem delegava poderes para procurar, encontrar e indicar o novo presidente da empresa". É a própria Dilma ás 2 e meia pediu a Mercadante que fizesse todos saberem que tudo foi feito por ela, sem conhecimento de ninguém.
Protestos, furiosos, incompreensões, (e a palavra descalabro) surgem de todos os lados. E do lado da Bovespa os números não mais surpreendentes: ordinárias menos 8,95, preferenciais 8,13. E o teto de 10 reais, abandonado, já estava em 9 reais e um pouquinho. Não existiam nem surgiram acusações de irregularidades de Bendine.
Concordância geral, inclusive do repórter: o que causa decepção geral, é o perfil dos cargos de Bendine, até ontem e a partir de agora: presidente do BB nada ver com presidente da Petrobras. Principalmente neste momento em que a empresa é noticia negativa no Brasil, e ainda mais estraçalhante no mundo inteiro.
Excluída a comparação do cargo que ocupava até esta manhã, e o que passa a exercer a partir da tarde, surgem as exigências pessoais e de personalidade para os obstáculos que terá que enfrentar.
Quanto ás qualificações para o novo cargo, Bendine não tem nenhuma. Para começo de conversa o menor conhecimento a respeito da mercadoria que vai produzir, retirar do fundo da terra, exportar. No Banco do Brasil era simples. Comprava e vendia dinheiro, o que sobrava era lucro.
Na Petrobras estará sujeito a regras que não conhece, controlando um produto que acredita, basta retirar de profundidades alucinantes, mas que o Brasil tem em quantidade, é que o mundo espera para comprara por qualquer preço.
Pessoalmente vai desejar jamais ter saído do BB para se transferir para uma empresa, que por mais rápida que seja a análise já começa num prejuízo, (ROUBO) de mais de 88 BILHÕES.
Foi por isso que Dona Graça saiu e ele entrou. Tirando o fato dela ter trabalhado o tempo todo na Petros, os dois têm características rigorosamente iguais. Não têm liderança, chefia, comando, autoridade, personalidade para se impor. Por isso, de 10 votantes, Bendine teve três contra. Inédito.
Por causa dessas deficiências, Dona Graça está saindo. Com as mesmas deficiências. Bendine está entrando. Inteiramente diferente. Foi escolhido por Dona Dilma pelo fato de chama-la de presidentA, então é confiável, não há como duvidar. Se for para se omitir, excelente. Para exagerar na punição que agrade e proteja a chefe, nenhum Bendine igual a ele.
De qualquer maneira, Bendine pode não será um presidente provisório, mas será na certa temporário.
PS- Na reunião da cúpula do PT pelos 35 anos de existência, o ambiente era de velório coletivo. Ninguém conversava, nem diálogo nem discórdia evidente e declarada.
PS2 – Quebrando o silêncio, o Tesoureiro nacional do PT, que acaba de sair de um interrogatório, acusado de receber 200 milhões de dólares, (500 milhões) afirmou: “Temos muito o que comemorar. Continuamos no poder e estamos todos em liberdade”. Impossível reproduzir a reação geral.
PS3- As ordinárias da Petro caíram, 6,54 em 99 reais cravados. Preferenciais, queda de 6,94 também em 9 reais. Sábado e domingo estudarão o que fazer. Na segunda e terça podem vender ou comprar. Fim de semana “sujeito as chuvas e trovoadas”.
Resposta.
“Por que apelidaram as mulheres que apoiavam Lacerda, de viúvas de Lacerda?”; Jose Nelio do Nascimento. Desculpe, não eram viúvas e sim “mal amadas”. Quando resolveu fundar a Tribuna da Imprensa em 1949, Lacerda não tinha recurso de espécie alguma, a não ser a sua formidável capacidade de mobilização.
Como exercia fascínio sobre mulheres. Geralmente de meia idade, inacreditavelmente aglutinou 800 delas, que fizeram tudo. Compraram aqueles quatro prédios enormes do Lavradio, montaram as máquinas, colocaram o jornal em condições de sair e ser entregue ás bancas.
Essa ligação das mulheres empreendedoras com Lacerda se tornou pública. E o grande jornalista Antonio Maria que eu levei para a Manchete em 1951 foi que batizou as seguidoras de “mal amadas”. Até hoje lembro com satisfação da equipe que formei, pegando uma revista que ia fechar, em uma que em menos de dois anos chegou á maior tiragem daquele tempo: 200 mil exemplares semanais. Infelizmente Antonio Maria morreu muito moço, mas o “achado” de linguagem dele, ficou para sempre. Eram mocissimos, todos se realizaram, marcaram seus espaços. O único que já tinha “nome e sobrenome” era Ruben Braga. Dei a ele duas páginas, com o titulo “duas páginas de Ruben Braga”, escrevia o que queria. Meses depois completaria 40 anos, fizemos grande festa.
.........................................................................................................................................
Nossos leitores podem fazer comentários e se comunicar com os colunistas, através do e-mail: blogheliofernandes@gmail.com
As respostas serão publicadas aqui no rodapé das matérias. (NR).

Ao Helio Fernandes,

Se for possível, escreva mais sobre suas prisões, lugares e detalhes que marcaram sua vida de jornalista durante o golpe. Se isso for possível. Tenho um parente, era de Marinha e ficou confinado por meses. Ele sofreu vários métodos de violência. 

Genaro de Menezes - São Luiz - MA
Senhor jornalista.
Bem lembrado, porque não volta com o assunto Charlie, que já passa de 200 mil assinaturas.
Marcia Eliana Sarmento – Curitiba-PR
Mr. Helio Fernandes
I'm reading you out in Massachusetts.

P Malcon Rudwik – Massachusetts - EUA

Nenhum comentário:

Postar um comentário