Editoria: Helio Fernandes. Subeditoria: Roberto Monteiro Pinho

segunda-feira, 24 de julho de 2017

O BRASILEIRO PERDEU A AUTOESTIMA, DIZIMADO PELA CORRUPÇÃO E O CINISMO DA POLÍTICA MENTIROSA E VIL. TODOS DESDE A RENÚNCIA DE JANIO, PASSANDO POR COLLOR, SARNEY, FHC, LULA, DILMA E TEMER  DESMORALIZARAM O PAÍS NO GLOBO TERRESTRE. JANGO FOI UMA EXCEÇÃO.

ROBERTO MONTEIRO PINHO

Enquanto os políticos que dizimaram o Brasil discutem e articulam de todas as formas, usando ardis e de explícito cinismo, até mesmo as fórmulas mais subterrâneas para se manter no poder. As águas desse país se tornaram caudalosas e turvas, deixando um rastro de injunções que afetam a economia, o social e ainda dizimou a auto-estima do brasileiro.
Não existe nenhum dos últimos cinco presidentes da República, e os ditadores dos “anos de chumbo 64-85”, que não tenha colaborado criminosamente para esse quadro delinqüente que vivemos hoje. Isso sem contar com o insano ex-presidente Janio Quadros, que bagunçou a República com a sua renúncia que abriu as portas para o gole e contra Jango Goulart.
Ao longo de 20 anos estamos entregando o país de vez para o capital internacional, e ainda no tal governo dito dos pobres, do senhor Lula da Silva (PT), já confessado pela cúpula e seus militantes remunerados, o golpe do “projeto de poder”.
Do Congresso, executivo e judiciário, tudo se nivela, no festival das praticas lesivas ao cidadão - o brasileiro, que labuta e contribuiu com seu suor, e ainda paga os impostos mais elevados do planeta.
Para ser mais exato, dos últimos três presidentes, Lula, da Silva, Dilma Rousseff e agora Michel Temer, conforme todos já sabem, foram mentirosos, levianos e criminosos, eis que praticaram a luz do que foi apurado e divulgado nos meios de comunicação, os mais infernais dos atos de corrupção, tendo como carro chefe o famigerado “mensalão” e a operação Lava - Jato.
Declarado culpado em sentença proferida pelo juiz Moro na 4º Vara Federal de Curitiba, Lula da Silva, teve há pouco o bloqueio da vultosa quantia de 8 milhões que estava na sua conta de investimento num banco brasileiro.
Provavelmente esse cidadão, ira proclamar e convocar seus simpatizantes a doarem o que puderem para ajudá-lo na pobreza em que se encontra. Se não irônico, certamente isso pode até ocorrer e muitos, até mesmo aqueles pobres miseráveis que não tem o que comer, doarem dinheiro para o petista.
O Brasil não merece isso que está acontecendo. Ninguém merece.
Hoje li estarrecido uma notícia em que o país naufragou totalmente no campo da indústria. Que indica o desmantelamento da nossa indústria.
O relatório da Conferência das Nações Unidas para o Comércio e Desenvolvimento, Unctad, foi divulgado no dia 19 de julho. É um documento anual, que avalia o cenário econômico mundial, e que abordou amplas tendências econômicas e no caso do Brasil com destaque o quadro de retrocesso.
De acordo com a Unctad, no começo da década de 1970 a participação das manufaturas na geração de emprego e valor agregado no Brasil correspondia a 27,4%, em valores da época, enquanto que em 2014 essa participação caiu para 10,9%. "Todo o sistema que tinha por objetivo industrializar o país entrou em colapso", disse à BBC Brasil Alfredo Calcagno, chefe do departamento de Macroeconomia e Políticas de Desenvolvimento da Unctad.
Na avaliação da Unctad e dos entrevistados pela reportagem, o processo teve início com os choques econômicos vividos pelo mercado nacional nos anos 1980, se intensificou com a abertura comercial no começo dos anos 1990, seguido pelo abandono das políticas desenvolvimentistas e pelo emprego da taxa de câmbio como ferramenta no combate à inflação.
"O caminho para a industrialização do Brasil foi claramente interrompido", afirmou à BBC Brasil Paulo Francini, diretor da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo).
Uma nação onde uma massa de 1,8 milhões de servidores públicos aposentados consomem o equivalente ao que 19 milhões de aposentados da iniciativa privada recebem do INSS.
Cabe aqui denunciar que 80% do total dos juízes no Brasil alcançaram essa função estatal privilegiada sem nunca ter advogado. Eles são oriundos dos próprios quadros dos tribunais e das procuradorias.
Tudo numa autêntica ciranda de favorecimento de um sistema colonial, onde as castas precisavam ser agraciadas no tempo do Império.
O Brasil se divide em três. O Pode da República, a exército de servidores estatais e os que corrompem a tudo e a todos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário